Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Mestre Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Mario Vieira (Manim), Luiz Carlos Antunes (Mestre Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (Mestre MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).


BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

P O D C A S T # 5 4 6

27 novembro 2020

 

ABBIE GARDNER 
ZÉLI SILVA 
TIM WARFIELD 

PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO:

https://www.4shared.com/mp3/AzFa8J0Eea/PODCAST_546.html


ETERNAL TRIANGLE - STITT, ROLLINS, GILLESPIE

24 novembro 2020


 

No ano de 1957 Dizzy Gillespie, Sonny Rollins e Sonny Stitt gravaram o álbum SONNY SIDE UP, quando estavam em notável forma, musicalmente falando, porém o fizeram de forma transparente, espontânea e sem alarde de qualquer tipo.

Foi lançado em 1959 pelo recém criado selo Verve do produtor Norman Granz.

A dupla de Rollins e Stitt altamente inspirada influenciados por Charlie Parker, mas cada um teve uma abordagem muito diferente para a improvisação. Stitt transferiu a intensidade incandescente de Parker para o tenor depois que vários fãs e críticos apontaram a similaridade tonal de seus sons de contralto. Rollins era um músico mais atencioso que expandiu o vocabulário da improvisação bop incorporando elementos temáticos em seus solos e por experimentando diferentes formas melódicas e comprimentos de frase incomuns. Há ainda a magia de Dizzy Gillespie como sendo o próprio espírito do bebop.

O resultado foi uma gravação clássica. Os integrantes desse sexteto foram: -  Dizzy Gillespie (tp,vcl) Sonny Stitt, Sonny Rollins (st), Ray Bryant (pi), Tommy Bryant (bx) e Charlie Persip (bat) - New York, 19/dezembro/1957

THE ETERNAL TRIANGLE (Sonny Stitt). Aqui, depois de expor o tema em uníssono, há pouco mais de 14 minutos de emocionantes e excelentes solos de bebop.

CRÉDITOS DO PODCAST # 545

21 novembro 2020

 

LIDER

EXECUTANTES

TEMAS e AUTORES

GRAVAÇÃO LOCAL e DATA

JIMMY ROWLES

Jimmy Rowles (pi), Red Mitchell (bx) e Donald Bailey (bat)

HAVE YOU MET MISS JONES ?

(Lorenz Hart / Richard Rodgers)

Hollywood, CA, 12/agosto/1988

Sarah Vaughan (vcl), Jimmy Rowles (pi), Monty Budwig (bx) e Donald Bailey (bat)

FRASIER

(Johnny Mercer / Jimmy Rowles)

Los Angeles, 1974

Jimmy Rowles (pi), George Duvivier (bx) e Oliver Jackson (bat)

THE LADY'S IN LOVE WITH YOU

(Burton Lane / Frank Loesser)

Paris, 21/julho/1978

YES SIR, THAT’S MY BABY

(Walter Donaldson / Gus Kahn)

Jimmy Rowles (pi), Al Hendrickson (gt), Joe Mondragon (bx) e Nick Fatool (bat)

WE'LL BE TOGETHER AGAIN

(Carl Fischer / Frankie Laine)

Forum Theatre, Los Angeles, 13/setembro/1956

Jimmy Giuffre (st), Jimmy Rowles (pi), Red Mitchell (bx) e Larance Marable (bat)

PROBLEMS (Jimmy Giuffre)

Los Angeles, janeiro/1959

Jimmy Rowles (pi)

SOPHISTICATED LADY

(Duke Ellington / Irving Mills / Mitchell Parish)

New York, junho/1981

JUMPIN' PUNKINS (Mercer Ellington)

Jimmy Rowles (pi), Stan Getz (st)

THE PEACOCKS (Jimmy Rowles)

New York, outubro/1975

Jeri Brown (vcl), Jimmy Rowles (pi), Eric Von Essen (bx)

OLD ORLEANS (Jimmy Rowles)

Hollywood, CA, 22/maio/1994

Stacy Rowles (tp), Jimmy Rowles (pi), Eric Von Essen (bx) e Donald Bailey (bat)

TAKE THE A TRAIN (Billy Strayhorn)

Hollywood, CA, 8/junho/1988

Bob Brookmeyer (v-tb), Jimmy Rowles (pi), Buddy Clark (bx) e Mel Lewis (bat)

THE BULLDOG BLUES

(Bob Brookmeyer)

Los Angeles, 17/janeiro/1955

P O D C A S T # 5 4 5

20 novembro 2020


  MÚSICO EM FOCO COM

 JIMMY ROWLES


PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO:

https://www.4shared.com/mp3/cbZ0s0IKiq/PODCAST_545.html


CRÉDITOS DO PODCAST # 544

14 novembro 2020

 

LIDER

EXECUTANTES

TEMAS e AUTORES

GRAVAÇÃO LOCAL e DATA

BESSIE SMITH & ARMSTRONG

Bessie Smith (vcl), Louis Armstrong (cnt) e Fred Longshaw (org) 

ST. LOUIS BLUES

 

(William Christopher Handy)

New York, 14/janeiro/1925

COUNT BASIE

Count Basie & His All-American Rhythm Section: Buck Clayton (tp), Don Byas (st), Count Basie (pi), Freddie Green (gt), Walter Page (bx) e Jo Jones (bat)

Los Angeles, 24/julho/1942

WARREN VACHE

Warren Vache (cnt,flh) e Bill Charlap (pi)

Greenwich, Connecticut, 14/dezembro/2000

GERI ALLEN

Geri Allen (pi), Charlie Haden (bx) e Paul Motian (bat)

BLUES IN MOTION

(Charlie Haden)

New York, 15/setembro/1987

TUBA SKINNY

TUBA SKINNY & POTATO HEAD JAZZ BAND Shaye Cohn (cnt, ldr), Alberto Martin (tp), Craig Flory, Martin Torres (cl), Barnabus Jones, Valentin Garcia (tb),  Jason Lawrence,  Antonio Fernandez (bj), Max Bien-Kahn (gt), Todd Burdick (tuba), Alejandro Tamayo (bx),  Erika Lewis (bombo), Robin Rapuzzi (wasb), Luis Landa (bat)

AT THE JAZZBAND BALL

(Eddie Edwards / Nick LaRocca / Henry W. Ragas / Tony Sbarbaro / Larry Shields)

Live at Torreilles, França, 20/julho/2019

STAN GETZ

Stan Getz (st), Duke Jordan (pi), Jimmy Raney (gt), Bill Crow (bx) e Frank Isola (bat )

STELLA BY STARLIGHT

(Ned Washington / Victor Young)

New York, 12/dezembro/1952

HECTOR COSTITA

Hector Costita (st), Magno d’Alcantara [Maguinho] (tp), Luiz Melo (pi), Benedito Pereira dos Santos [Ditinho] (tb), Manoel Luis Viana ['Xú' Viana] (bx) e Rezala José [Turquinho] (bat)

ELA É CARIOCA

 (Tom Jobim/Vinicius de Moraes)

Gravadora: Fermata, São Paulo,1964

NORDKRAFT BIG BAND

Jan Jacobsen, Mimi Barkmann, (sa), Uffe Markussen, Ask Andreassen (st), Nis Hellerøe Myrtue (sbar), Nicholai Andersen, Tristan Button, Niels Munk Petersen, Jonas Scheffler Kristensen (tp), Jonas Lindh, Rasmus Alexander Uhrenholt Holm, Thomas Skovlund Hansen (tb), Kristian Kloster (b-tb), Martin Granum (gt), Theo Benjamin Hjorth (pi), Anders Ammitzbøl, (bx) e Peter Lund Paulsen (bat) e Bob Mintzer (st)

BUT NOT FOR ME

(George Gershwin / Ira Gershwin)

Aalborg, Dinamarca 01/outubro/2018

JAMES MOODY

Dave Burns (tp), William Shepherd (tb), James Moody (sa, st), Pee Wee Moore (sbar) Jimmy Boyd (pi), John Latham (bx) e Clarence Johnston (bat)

WAIL MOODY, WAIL

(Dave Burns / James Moody)

Hackensack, N.J., 12/dezembro/1955

PARIS JAZZ BIG BAND

Pierre Bertrand, Rémi Sciuto (st), Nicolas Folmer (tp, arranjo, direção), Fabien Mary, Michel Feugère, Tony Russo (tp), Phillippe Georges, Denis Leloup Guy Figlionlos (tb), Didier Havet (b-tb), Sylvain Del Campo (sa), Pierre-Olivier Govin (sa, cl), Stéphane Guillaume  (ssop), Sylvain Beuf (cl), Frédéric Couderc (sbar), Zool Fleischer (pi),  Louis Winsberg (gt), Christophe Wallemme (bx), Stéphane Huchard (bat) e Minino Garay (perc)

IONA (Nicolas Folmer)

Live at “Le Trabendo”, Paris, 18/janeiro/2007

P O D C A S T # 5 4 4

13 novembro 2020

 

ARMSTRONG & BESSIE SMITH
GERI ALLEN









HECTOR COSTITA





                             PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO:

                               https://www.4shared.com/mp3/YlB6dWrHea/PODCAST_544.html

RECORDANDO MUGGSY SPANIER

10 novembro 2020

FRANCIS JOSEPH "MUGGSY" SPANIER 

( 9/novembro/ 1901 –  2/fevereiro1967)

Foi um dos grandes cornetistas do jazz tradicional. Ele era conhecido como o melhor executante de cornetim da cena de Chicago até a chegada de Bix Beiderbecke.

Ele foi membro do The Bucktown Five, pioneiros do Estilo Chicago que englobava o jazz tradicional Dixieland e a música swing.

Spanier nasceu em Chicago. Aos 13 anos ele começou a tocar cornetim e tocou com Elmer Schoebel em 1921. Ele pegou emprestado o apelido de Muggsy de John "Muggsy" McGraw, o gerente do famoso time de beisebol do New York Giants, do qual era torcedor.

Em 1929, ele se tornou membro de uma banda liderada por Ted Lewis, depois passou dois anos com Ben Pollack. Depois de uma doença, ele montou o grupo de oito músicos Muggsy Spanier e Sua Banda Ragtime. Em 1939, a banda gravou várias sessões de padrões Dixieland para a Bluebird Records que mais tarde foram chamadas de The Great Sixteen que influenciaram um renascimento de DIXIELAND.

Seus outros empreendimentos mais importantes foram o quarteto que  co-liderou com Sidney Bechet (os 'Quatro Grandes') em 1940.

De 1940 a 1941, ele tocou com Bob Crosby. Na década de 1950, mudou-se para a Costa Oeste e juntou-se à banda de Earl Hines de 1957 a 1959. Depois de fazer uma turnê pela Europa, ele se aposentou em 1964. 

A seguir o áudio ilustra sua qualidade interpretativa onde executa a clássica composição "Big Butter And Egg Man" (Percy Venable / Armstrong) com sua Ragtime Band.

Muggsy Spanier And His Ragtime Band : Muggsy Spanier (cnt), George Brunies (tb), Rod Cless (cl), Ray McKinstry (st), George Zack (pi), Bob Casey (gt), Pat Pattison (bx) e Marty Greenberg (bat) – Gravação: Chicago, 7/julho/1939


NOTAS:

DIXIELAND - literalmente significa "terra de Dixie" e desse modo se chamava o conjunto de estados sulinos dos EUA  no século XIX. Parece que a palavra dixie seria uma corruptela de "dix", dez em francês, e assim uma referência à moeda deste valor que circulava no sul. O estilo de Jazz DIXIELAND foi criado pelos músicos brancos na tentativa de imitar o estilo de música feito pelos negros de New Orleans já em Chicago. A música hot dos brancos e negros de New Orleans era muito parecida e nos primórdios do Jazz não havia designação distinta para elas. As bandas mais destacadas foram, além da ODJB, Louisiana Five, Arcadian Serenaders, Jazzola Six, New Orleans Rhyhtm Kings, dentre outras. A partir da metade dos anos 1940 o DIXIELAND passou a caracterizar toda e qualquer tentativa de se recriar ou reviver os estilos tradicionais das escolas de New Orleans e Chicago. Na verdade as diferenças entre o Jazz praticado por músicos brancos ou negros são bastante sutis, dado que, excetuam-se algumas bandas brancas um tanto ou muito comerciais, os melhores grupos dixieland se aproximavam bastante do espírito negróide que caracteriza as execuções do verdadeiro Jazz Tradicional.

CORNET  - nome em inglês dado ao cornetim instrumento muito empregado no início do Jazz até por volta de 1925 em lugar do trompete. Sua sonoridade é menos potente e menos brilhante, mas sua mecânica idêntica e seu ataque é mais rápido. Foi o primeiro instrumento de metal a ser equipado com válvulas a pistão e capaz de reproduzir todos os graus da escala cromática. O CORNET moderno tem origem alemã por volta de 1830 como uma versão valvulada do horn pequeno e circular instrumento que foi aperfeiçoado na França em 1840. 

Sua utilização nos EUA remonta à cultura francesa estabelecida em New Orleans e um dos pioneiros solistas em Jazz foi Manuel Perez (⁕1871 †1946) tocando na orquestra de John Robichaux em 1895 e o mais famoso o lendário — Buddy Bolden (⁕1877 †1931). Vários músicos iniciaram no CORNET como Louis Armstrong, Bix Beiderbecke, Jimmy McPartland, Muggsy Spanier, Wild Bill Davidson e muitos o mantiveram como instrumento usual além do trompete como Rex Stewart, Ruby Braff, Bobby Hackett, Nat Adderley, Thad Jones, dentre outros...  Em inglês chama-se de  cornet e em francês cornet à pistons e em português emprega-se também corneta de chaves e cornetim.

BIG BUTTER AND EGG MAN  - título de uma canção gravada por Louis Armstrong em 1926 com os Hot Five, e que aludia ao apelido jocoso dos fazendeiros dos estados do meio-oeste dos EUA que vinham para Chicago e outras grandes cidades para vender suas produções agro-pecuárias e com muito dinheiro nos bolsos  partiam para grandes farras em night clubs, bordéis e bares gastando dinheiro a rodo. 

 

DOIS ANOS SEM ROY HARGROVE

09 novembro 2020

 

Dois anos atrás, o celebrado e premiado trompetista ROY ANTHONY HARGROVE faleceu aos 49 anos de um ataque cardíaco.

Hargrove passou um ano (1988–1989) estudando no Berklee College of Music de Boston, mas podia ser encontrado com mais frequência em jam sessions em Nova York. Hargrove ganhou notoriedade mundial ao ganhar o Grammy Awards em 1996, 1997 e 2002. Ele tocou principalmente no estilo hard-bop e seu repertório incluía principalmente composições convencionais. No entanto, desde a primeira parte deste século ele também combinou jazz com funk, hip-hop, soul e gospel.

Quando muito jovem, aos 18 anos, foi Wynton Marsalis quem o descobriu em uma escola de artes cênicas em Dallas, Texas

Uma de suas primeiras influências mais profundas foi uma visita a sua escola secundária do saxofonista David "Fathead" Newman, que atuou como sideman na banda de Ray Charles Sua primeira gravação naquela cidade foi com o saxofonista Bobby Watson. Posteriormente, gravou com Mulgrew Miller e Kenny Washington, atraindo a atenção da crítica e do público.

Em 1990, ele gravou seu primeiro álbum solo, Diamond In The Rough pelo selo Novus / RCA. Em 1993 estreou a sua obra The Love Suite: In Mahogany, encomendada pela Lincoln Center Jazz Orchestra.

A partir de então, sua carreira disparou. Suas inúmeras gravações incluem Havana, com Crisol, grupo formado por músicos americanos e cubanos, gravado em Cuba, álbum que ganhou outro Grammy, de Melhor Álbum de Jazz Latino e Directions In Music: Live At Massey Hall, gravado com Herb Hancock e Michael Brecker, entre outros. Em 1994, agora contratado pela Verve, gravou With the Tenors of Our Time, com Joe Henderson, Stanley Turrentine, Johnny Griffin, Joshua Redman e Branford Marsalis. Gravou Family em 1995, depois experimentou um formato de trio no álbum Parker's Mood em 1995, com o baixista Christian McBride e o pianista Stephen Scott.

Hargrove participou de vários festivais de jazz e esteve associado à vocalista Roberta Gambarini, com quem gravou e se apresentou em várias ocasiões, com sua própria big band, outro dos frutíferos projetos de Roy Hargrove.

Hargrove explorou outras manifestações musicais, mas sempre mantendo a ligação com o jazz, Em 2000, Hargrove usou um som jazz com muito groove e funk, se apresentando e gravando com o cantor neo soul D'Angelo, resultando no álbum Voodoo.

Hargrove também executou a música de Louis Armstrong na produção musical de Roz Nixon, "Dedicated To Louis Armstrong", como parte do Verizon Jazz Festival. Em 2002, ele colaborou com D'Angelo e Macy Gray, os Soultronics e Nile Rodgers, em duas faixas para Red Hot & Riot, um álbum de compilação em homenagem à música do pioneiro afrobeat Fela Kuti. Ele atuou como sideman da pianista e vocalista de jazz Shirley Horn e do rapper Common no álbum Like Water for Chocolate e em 2002 com a cantora Erykah Badu no Worldwide Underground.

Mas o acúmulo de sua produção artística foi eminentemente hard-bop, gravando 22 discos como líder e 60 como integrante de outros grupos.

Uma pessoa simples e reservada na vida, Hargrove lutou contra uma insuficiência renal.

 


(Traduzido e adaptado de Noticias de Jazz de Pablo Aguirre)

CRÉDITOS DO PODCAST # 543

07 novembro 2020

 

LIDER

EXECUTANTES

TEMAS e AUTORES

GRAVAÇÃO

LOCAL e DATA

BILL EVANS 

Bill Evans (pi), Eddie Gomez (bx) e Marty Morell (bat)

WITCHCRAFT (Cy Coleman / Carolyn Leigh)

Live at  "Art D'Lugoff's Top Of The Gate", New York, 23/outubro/1968

YESTERDAYS (Otto Harbach / Jerome Kern)

GONE WITH THE WIND

 (Herbert Magidson / Allie Wrubel)

ROUND MIDNIGHT

(Thelonious Monk / Cootie Williams)

MY FUNNY VALENTINE

(Lorenz Hart / Richard Rodgers)

CALIFORNIA, HERE I COME

 (Buddy DeSylva / Al Jolson / Joseph Meyer)

EMILY (Johnny Mandel / Johnny Mercer)

ALFIE (Burt Bacharach / Hal David)

TURNOUT THE STARS (Bill Evans)

IN A SENTIMENTAL MOOD

(Duke Ellington / Manny Kurtz)

AUTUMN LEAVES

 (Joseph Kosma / Johnny Mercer / Jacques Prévert)

SOMEDAY MY PRINCE WILL COME

(Frank Churchill / Larry Morey)

HERE'S THAT RAINY DAY

(Johnny Burke / James Van Heusen)

MOTHER OF EARL (Earl Zindars)

P O D C A S T # 5 4 3

06 novembro 2020


 

JAZZ IN CONCERT COM BILL EVANS

PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO: