Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

28 fevereiro 2018


       ANIVERSARIANTES  DO  MÊS    -  JAZZ  &  OUTROS (20)
Março, 01 a 03
01            Harry Belafonte, ator e canto, New York, 1927
          Frederic Chopin, composição / piano, Polônia, 1810
          Barrett Deems, bateria, Illinois, 1914
          Ralph Gleason, escrita e critica de JAZZ, New York, 1917
          Edward Jones, bateria, New York, 1929
          Glenn Miller, trombone / líder, Iowa, 1904
          Benny Powell, trombone, Louisiana, 1930
          Joseph Reinhardt, guitarra, França, 1912
          Dinah Shore, canto, Tennessee, 1917
          Ralph Towner, guitarra, Chehalis / Washington, 1940
02      Desi Arnaz, ator / canto / lider, Cuba, 1917
          Eddie “Lockjaw” Davis, saxofone.tenor, NewYork, 1921
          Minor “Ram” Hall, bateria, Louisiana  1897
          Orrin Keepnews, produção, New York, 1923
          Doug Watkins, contrabaixo, Michigan, 1934
          Kurt Weill, composição, Alemanha, 1900
03       Barney Bigard, clarinete, New Oleans, 1906
          Jimmy Garrison, contrabaixo, Flórida, 1976
          Pierre Michelot, contrabaixo, França, 1928
Retornaremos

MUSEU DE CERA 101 ANOS

27 fevereiro 2018


Complementando a excelente ideia e lembrança do Mestre Apostolo Pedro, coloco os 2 temas - primeiras gravações sob a chancela de música de jazz>







26 fevereiro 2018

Prezados  CJUBIANOS e amantes do JAZZ:

Hoje, 26 de fevereiro de 2018, completam-se 101 anos da gravação do 1º disco de JAZZ, o célebre disco contendo  "Livery Stable Blues" / "Dixieland Jass Band One Step" pela "Original Dixieland Jazz Band".
"Brancos" de New Orleans em New York, 26 de fevereiro de 1917, Victor Talking Machine (futura RCA Victor):  La Rocca, Larry Shields, Henry Ragas, Eddie Edwards e Tony Sbarbaro, jamais poderiam imaginar que estariam fazendo história.

CRÉDITOS DO PODCAST # 402

LIDER
EXECUTANTES
TEMAS / AUTORES
GRAVAÇÕES LOCAL e DATA
MARK ELF
David Hazeltine (pi), Mark Elf (gt), Peter Washington (bx) e Lewis Nash (bat)
HOW LOW CAN YOU GO
(Mark Elf)
New York, 21/novembro/2005
RICH WILLEY
Rich Willey (tp), Jack Wilkins (st), Larry Camp (gt), Rick Shaw (bx) e Victor Mannecchia (bat)
TAMPA BLUES (Rich Willey)
Tampa, FL, 11/Agosto/ 1997
PAUL TOWNDROW 
Paul Towndrow  (sa), Steve Hamilton (pi), Alyn Cosker (bat) e Michel Janisch (bx)
HIGHT POINT
  (Paul Towndrow )
Glasgow, Escócia, 01/junho/2005
BILLIE HOLIDAY
Billie Holiday (vcl), Buck Clayton (tp), Edmond Hall (cl), Lester Young (st), James Sherman (pi), Freddie Green (gt), Walter Page (bx), Jo Jones (bat)
A SAILBOAT IN THE MOONLIGHT
(John Jacob Loeb / Carmen Lombardo)
New York, 15/junho/1937
BARNEY KESSEL 
Victor Feldman (vib), Hampton Hawes (pi), Barney Kessel (gt), Leroy Vinnegar (bx) e  Shelly Manne (bat)
LET’S COOK!
(Barney Kessel)
Los Angeles, 11/novembro/1957
FRANK WESS
Patrick Artero (flh), Gilles Berthenet (tp), Thierry Lhiver (tb), Dominique Vernhes, Frank Wess (st),  Philippe Chagne (sbar), Oriol Bordas (sa), Philippe Duchemin (pi), Ramon Fossati (gt), Jean-Pierre Rebillard (bx) e Stephane Roger (bat)
TICKLE TOE (Lester Young)
Paris, 21/maio/1992
EDDIE "CLEANHEAD" VINSON
Eddie "Cleanhead" Vinson (sa, vcl), Patti Bown (pi), Mike Bloomfield (gt) e bx e bat desconhecidos
WEE BABY BLUES
(Pete Johnson / Big Joe Turner)
New York, março/1967
LEROY VINNEGAR 
Geoff Lee (pi), Leroy Vinnegar (bx), Mel Brown (bat) e Curtis Craft (perc)
LEROY’S WALTZ
(Leroy Vinnegar)
Milwaukie, Oregon, março/1992
PHILLY JOE JONES
Virgil Jones, Don Sickler (tp), Benny Powell (tb), Frank Wess (sa), Charles Davis (st), Cecil Payne (sbar), Walter Davis, Jr. (pi), Larry Ridley (bx), Philly Joe Jones (bat, ldr) e Slide Hampton (arranjo)
FOCUS (Tadd Dameron)
Englewood Cliffs, N.J., 11/julho/1983
LUCKY THOMPSON
Lucky Thompson (st, ldr), Paul Neves (pi), George Tucker (bx), Oliver Jackson (bat)
LADY BIRD (Tadd Dameron)
Live at "The Half-Note", New York, 19/fevereiro/1965

O MELHOR SEGUNDO "JAZZ TIMES"

25 fevereiro 2018

O JAZZ CLUB VILLAGE VANGUARD, DA POESIA AO JAZZ


 

O lendário clube de jazz de Nova York Village Vanguard acaba de ser escolhido na pesquisa anual de leitores da revista Jazz Times como o melhor clube de jazz do mundo, no momento em que comemora esta semana 83 anos de existência com celebrações lideradas por um desfile de músicos de jazz contemporâneos.
O clube, localizado na Sétima Avenida Sul de Nova York, foi fundado em 22 de fevereiro de 1935 por Max Gordon, mas em seus primórdios foi para recitais de poesia e algumas formas de música, especialmente folclórica.
Era um lugar de encontro e fórum para artistas, boêmios, intelectuais, poetas e músicos em um período em que a Gordon foi negada uma licença de cabaré especial. Ao longo do tempo, ele conseguiu obter uma e começou a apresentar vários tipos de música, incluindo jazz, com artistas como Ben Webster, Sidney Bechet e Mary Lou Williams.
Mas somente em 1957 que  decidiu transformá-lo em um clube de jazz exclusivamente.
Desta forma, ele começou a contratar músicos como Miles Davis, Thelonious Monk, Horace Silver, Gerry Mulligan, The Modern Jazz Quartet, Anita O'Day, Charlie Mingus, Dexter Gordon, Bill Evans, Stan Getz, Freddie Hubbard, Carmen McRae, etc., tornando-se um dos principais centros de jazz de Nova York e do mundo.
A famosa orquestra de Thad Jones-Mel Lewis, que eventualmente se tornou a Orquestra de Jazz de Vanguarda, tocou de 1966 a 1990 todas as segundas feiras do ano.
O novo grupo continuou a fazê-lo regularmente e centenas de músicos de jazz famosos desfilaram no palco do clube, muitos dos quais gravaram suas apresentações ao vivo para serem transformados em álbuns "Live at  Greenwich Village".

Max Gordon morreu em 1989. No dia seguinte, sua viúva, Lorraine Gordon fechou o clube. Mas um dia depois ela abriu novamente e o clube vem trabalhando desde então sem interrupção e sem mudanças até hoje. Esse era o desejo de seu marido e de todos os paroquianos.
(traduzido e adaptado do blog Noticias de Jazz)

       ANIVERSARIANTES  DO  MÊS    -  JAZZ  &  OUTROS (18)
Fevereiro 22 a 24
22      Dave Bailey, bateria, Virginia, 1926 
          Herb Brown, composição, New Mexico, 1896
          Spade Cooley, violino / lider, Oklahoma, 1910       
          James, Reese Europe, lider / composição, 1881
          Joe LaBarbera, bateria, New York, 1947
          Bob Magnusson, contrabaixo, New York, 1947
          Dorothy McGuirre, canto, Nebraska, 1926
          Rex Stewart, trumpete, Pensilvania, 1907
          Buddy Tate, saxofone.tenor, Texas, 1912
          Joe Wilder, trumpete, Pensilvania, 1922
23      Johnny Carisi, trumpete / composição, New Jersey, 1922
          Les Condon, trumpete, Inglaterra, 1930
          Philip Neri Darois, contrabaixo / tuba, Massachusetts, 1919
          Cie Frazier, bateria, Lousiana, 1904
          Money Johnson, trumpete, Texas, 1918
24      Charles Albertine, composição / arranjo / saxofone.tenor, New Jersey, 1929
          Andrzej Kurylewicz, piano, Polonia, 1933
          Michel Legrand, piano / composição / lider, França, 1932
          Bob Magnusson, contrabaixo, New York, 1947
          David Newman, saxofone.tenor, Texas, 1934

        ANIVERSARIANTES  DO  MÊS    -  JAZZ  &  OUTROS (19)
Fevereiro 25 a 28
25      Ida Cox, canto, Georgia, 1896
          George Dunning, composição, Indiana, 1908
          Albert Gay, saxofone.tenor, Inglaterra, 1928        
          Bill Green, saxofone.alto, Kansas, 1928
26      Jackie Gleason, ator, New York, 1916
          Harry Gold, saxofone.tenor, Irlanda, 1907
          Betty Huton, canto / atriz, Michigan, 1921
            1ª gravação de JAZZ, ODJB, New York, 1927
          James Moody, saxofone.tenor / composição, Georgia, 1915
          Hugues Panassier, produção/escrita, França, 1912
          Dave Pell, saxofone.tenor, New York, 1925
          Yosuke Yamashita, piano / composição, Japão, 1942
27      Abe Most, clarinete,  New York, 1920
          Harold Jones, bateria, Indiana, 1940
          Bob Hutcherson, vibrafone, California, 1940
          Carlos  Chaim, contrabaixo, Brasil, 1953
          Elizabeth  Taylor, atriz, Inglaterra, Inglaterra
          Joane Woodward, atriz, Georgia, 1930     
          Mildred Bailey, canto, Washington, 1907
          Joey Calderazzo, piano, New York, 1965
          Dexter Gordon, saxofone.tenor, California, 1923
          Freddie Keppard, cornet / lider, Louisiana, 1890
28      Max Jones, escrita, Inglaterra, 1907
          Louis Metcalf, trumpete, Missouri, 1905
          Zero Mostel, ator, New York, 1915
          Joseph Torregano, clarinet, Louisiana, 1952
           (29) Richie Cole, saxofone.alto, New Jersey, 1948
          (29) Jimmy Dorsey, saxofone.alto / lider, 1904
          (29) Paul Rutherford, trombone, Inglaterra, 1940

                             Retornaremos

P O D C A S T # 4 0 2

23 fevereiro 2018

MARK ELF 
PAUL TOWNDROW  

LEROY VINNEGAR  


RICH WILLEY 




PARA DOWNLOAD DO ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO E CLICAR NA JANELA BAIXAR:

https://www.4shared.com/mp3/NspoGBpfca/podcast_402.htm

20 fevereiro 2018


Série   PIANISTAS  DE  JAZZ
Algumas Poucas Linhas Sobre o Piano e os Pianistas
55ª Parte - VI
(47)(f)    DUKE  ELLINGTON      Pianista Executante de uma Orquestra
BIBLIOGRAFIA

Esse final serve para listar um pouco da “BIBLIOGRAFIA” sobre o Maestro, uma das mais extensas na área do JAZZ, seja em função de sua longa permanência à frente de sua banda por cerca de meio século, seja pela qualidade e quantidade de composições, seja ainda pelo que sua música representa para o JAZZ e para a própria música, já que sem questões outras ELLINGTON foi um dos mais importantes músicos do século XX e projetou sua obra para além do tempo.
Assim as cerca de 04 dúzias de indicações seguintes constituem apenas uma “amostra” para aqueles que desejaram conhecer um pouco mais sobre o Maestro, sem nem de longe esgotar as informações bibliográficas sobre o mesmo.

BIG BOOK OF SWING
Bill Treadwell, 1ª Edição, 1946, U.S.A., Duke Ellington nas páginas 42, 43 e toda uma série de fotos e de referências, incluindo “lady.crooners”, com o texto iniciado com a sugestiva frase “From The Cotton Club To Carnegie Hall....”

THE ENCYCLOPEDIA OF JAZZ
Leonard Feather, 1ª Edição, 1956 (reimpressão de 1960), U.S.A., prefaciada por Ellington, Benny Goodman e John Hammond, com extenso verbete nas páginas 190 a 192 e diversas fotos do maestro e seus músicos

A HISTÓRIA DO JAZZ
Barry Ulanov, 426 páginas, 1ª Edição, 1957 (tradução de original americano de 1952), Brasil, nos traz capítulo especial dedicado a Duke Ellington (capítulo 15, páginas 212 a 224), conciso, preciso e bem descritivo do Maestro e de sua época.

DUKE ELLINGTON - HIS LIFE AND MUSIC
Peter Gammond (The Jazz Book Club, Inglaterra), 2ª Edição, 1959 (1ª em 1958), Inglaterra, com diversos outros colaboradores e prefácio por Hugues Panassié, aborda sua versão sobre Duke Ellington com a seqüência “”The Man”, “The Music”, “The Musicians” e “A Record Guide”. Contem ainda um gráfico cronogramando as entradas e as saídas dos músicos, por instrumento, na banda e 16 páginas de fotos (P&B). É obra excelente.

A HISTÓRIA DO JAZZ NOS PALCOS DE NOVA YORK
Samuel B. Charters & Leonard Kunstadt, 1ª Edição, 1964 (tradução de original americano de 1962), Brasil, 333 páginas, dedica o capítulo 17 (“A Casa Que Mills Construiu”) a parte da trajetória de Duke Ellington, em particular no “Cotton Club”, a seus músicos e discorre sobre Irving Mills, empresário de Ellington e um excelente “carona” na autoria das composições do maestro.

A HISTÓRIA DO JAZZ
Marshall Stearns, 1ª Edição, 1964(tradução de original americano de 1962), Brasil, 367 páginas, foca a contribuição de Ellington, em especial no Harlem, a partir da página 197 e com excelentes impressões do ambiente da época.

BIG BAND JAZZ
Albert McCarthy, 1ª Edição, 1974, Inglaterra, 367 páginas, obra de fôlego e plena de referências a Duke Ellington, em particular no capítulo 7 (“The Swing Era – Trendsetters & Big Names”, páginas 198/268) e com diversas fotos (P&B)

O JAZZ DO RAG AO ROCK
Joachim E. Berendt, 1ª Edição, 1975 (uma feliz tradução de original alemão de 1971, com um mais que infeliz título, bem melhor traduzido na versão espanhola editada no México, “El Jazz – De Nueva Orleans A Los Años Ochenta”, já que a obra do autor nada tem a ver com “rock” ou outras deturpações pseudo-musicais), Brasil, 408 páginas, com ótimo texto sobre Ellington nas páginas 73 a 78.

DUKE - A PORTRAIT OF DUKE ELLINGTON
Derek Jewell, 1ª Edição (reimpressão), 1977, Inglaterra, 192 páginas, iniciadas com excelente cronologia da vida e da carreira de Ellington, excelente material fotográfico em P&B, texto preciso e conciso encerrado com recomendação de mini-discografia.

THE WORLD OF JAZZ
Rodney Dale, 1ª Edição, 1979, Inglaterra, 192 páginas, é obra de luxo, farto material fotográfico (P&B e cores), com luzes sobre Ellington principalmente no capítulo 6 (“Big Bands”), páginas 86 até 99.

HISTÓRIA DO JAZZ
Como anexo à coleção da Abril Cultural de 34 LP’s com históricos dos grandes nomes do JAZZ, temos aqui textos de diversos autores sob coordenação de Joachim E. Berendt, 1ª Edição, 1980 (tradução de original alemão de 1975), Brasil, 144 páginas, incluindo texto do crítico Leonard Feather nas páginas 89 até 105 focando as figuras de Duke Ellington e de Louis Armstrong, sob o ponto de vista de suas individualidades e dos contrastes entre ambos. É obra importante.

GRAN ENCICLOPEDIA DEL JAZZ
04 volumes da Editora SARPE, 1ª Edição, 1980, Espanha, que nos traz nas páginas 564 a 572 extenso e bem elaborado verbete sobre Duke Ellington, contendo histórico seqüencialmente preciso, aspectos pessoais importantes, integrantes principais das formações do “Duque” e citação das principais composições.

DUKE ELLINGTON - O DUQUE DO JAZZ
Abril Cultural - Coleção “Gigantes do Jazz”, volume 7 (coleção com 32 volumes) - 1ª Edição no Brasil, 1980 (original italiano “I Grandi Del Jazz”, Milão / Itália, 1979). O volume contem textos de Albert McCarthy e de Bruno Schiozzi (tradução de Ivan Brandão Machado e Carlos Sussekind), com bom histórico sobre Ellington e sua carreira, acompanhado de LP com 10 faixas excelentes apoiadas em magníficos solos de Johnny Hodges, Cat Anderson, Barney Bigard, Cootie Williams, Lawrence Brown e Willie Smith.

THE BIG BANDS
George T. Simon, 4ª Edição, 1981 (1ª em 1967), U.S.A., 614 páginas, nas quais e após longo prefácio de Frank Sinatra (em que declara que seu grande professor no canto não foi o trabalho de outros cantores, mas a forma como Tommy Dorsey respirava e fraseava no trombone), o Autor percorre a história das “big bands” por meio do foco sobre o panorama da época, os líderes, o público, os músicos, a curva de crescimento / glória / declínio das bandas, as vocalistas, os arranjadores, o negócio musical, as gravações, o rádio, o cinema, a imprensa, as bandas mais importantes e as de músicos de diversos instrumentos, assim como foca outras dezenas de bandas de menor expressão, além de traçar um panorama das bandas após a época áurea, relacionar uma discografia seletiva e os “prefixos” das bandas. Para Duke Ellington o autor reserva as páginas de 186 até 196 de seu trabalho, historiando a carreira do Maestro e de sua banda.

STORIA SOCIALE DEL JAZZ
Eric J. Hobsbawn, 1ª Edição, 1982 (tradução de original inglês de 1961), Itália, 473 páginas, ademais de inúmeras referências a Duke Ellington ao longo de suas 04 partes (“La Storia”, “La Musica”, “L’aspetto Econômico” e “La Gente Del Jazz”), verbete especial com histórico, discografia e características pessoais (“affabile, ironicamente cerimonioso, civettone, galante, egocêntrico, relativamente chiuso, a volte generoso a volte avaro, amava circundarsi di uma corte; personalitá contraddittoria”).

ENCICLOPEDIA ILUSTRADA DEL JAZZ
Brian Case & Stan Britt, 1ª Edição, 1982 (tradução de original inglês de 1978), Espanha, 224 páginas em edição de luxo, amplo material fotográfico e com excelentes indicações discográficas, sendo que no se refere a Duke Ellington as páginas 68 até 70 são muito bem elaboradas em seqüência histórica e farta indicação de gravações, cobrindo o período de 1926 até o final. Ao verbete dedicado a Duke Ellington segue-se o referente ao seu filho Mercer.

JAZZ BAND, 1900/1960 (ANARQUEOLOGIA DO JAZZ, I)
Jorge Lima Barreto, 1ª Edição, 1984, Portugal,409 páginas, escreve uma síntese histórica do JAZZ (1900/1960) em que Ellington é citado quando o “swing” é o assunto, passeia pelos diversos instrumentos sendo então e novamente Ellington citado quanto ao piano, retornando a figura do Maestro no capítulo dedicado às “obras primas” gravadas, assim como no quadro final de “músicos” em ordem alfabética (nome, instrumento e etiqueta/selo para o qual gravou).

JAZZ: UMA HISTÓRIA EM QUATRO TEMPOS
Roberto Muggiati, 1ª Edição, 1985, Brasil, 103 páginas em formato reduzido, é uma bela jornada, ainda que sintética pelo espaço reduzido de texto, em que o autor com precisão e estilo muito pessoal avança no tempo sobre a cronologia do JAZZ, passando por Duke Ellington no capítulo “A Lenda dos Caçadores de Marfim” (marfim = teclas do piano), com fotografia de página inteira (73) do Maestro. O autor já lançou no mercado algumas outras obras ligadas ao JAZZ, sempre com méritos.

OBRAS PRIMAS DO JAZZ
Luiz Orlando Carneiro, 1ª Edição, 1986, Brasil, 178 páginas de perfeitas escolhas de gravações dos grandes nomes do JAZZ, dedicando o autor as páginas de 22 até 28 à obra maior de Duke Ellington, culminando com uma “discografia” que contem as obras primas selecionadas e comentadas em seu texto.

THE MAKING OF JAZZ: A COMPREENSIVE HISTORY
James Lincoln Collier, 1ª Edição, 1987 (reimpressão do original de 1978), Inglaterra, 543 páginas em que Ellington é seguidamente mencionado, em particular no capítulo “III – The Swing Age: A Music Matures”, em que o sub-título “Duke Ellington: Master Painter” ocupa as páginas de 238 até 247 com amplo retrato do Maestro e suas vida, obra e composições principais comentadas.

OPUS 86 - JAZZ
Andres Francis, 1ª Edição, 1987 (tradução de original francês de 1982), Brasil, 332 páginas, com Duke Ellington devidamente abordado em capítulo específico nas páginas de 57 até 74 ao lado de outras bandas, além de fartamente indicado no capítulo referente às gravações.

THE BIG BAND YEARS
Bruce Crowther & Mike Pinfold, 1ª Edição, 1988, Inglaterra, edição de luxo coom 208 páginas, farto material fotográfico, fartas referências a Duke Ellington em especial no capítulo 3, “Duke Ellington” (páginas 38 até 51), com histórico bem focado sobre o Maestro e sua banda.

OS GRANDES CRIADORES DO JAZZ
Gérald Arnaud & Jacques Chesnel, 1ª Edição, 1989 (tradução de original francês de 1985), Portugal, 256 páginas, reservou para Ellington um lugar entre “os cavaleiros das teclas”, assim como e além de diversas outras citações, capítulo especial nas páginas 194/195 com o sub-título “Do Jungle Ao Jardim”, citando que “o maior dos compositores afro-americanos não escreveu senão aquilo que era necessário para que o gênio do seu povo se exprimisse: as memórias de um chefe de orquestra, durante cinquenta anos de obras-primas”

THE BIG BAND ALMANAC
Leo Walker, 1ª Edição, 1989 (reimpressão do original de 1978), U.S.A., 466 páginas, sendo que as de 115 até 120 são dedicadas a Duke Ellington. Fotos em P&B, músicos principais que integraram a banda, vocalistas, prefixos e histórico constituem o conteúdo da abordagem do autor.

O MUNDO DO JAZZ
Jim Godbolt, 1ª Edição, 1992 (tradução de original inglês de 1990), Portugal, 160 páginas em que o autor buscou reunir material fotográfico e jornalístico retratando o mundo do JAZZ. Nos capítulos “O Nascimento das Grandes Bandas”, “A Febre do Swing”, “Uma Tapeçaria Multi-facetada” e “As Perdas do Jazz”, temos Ellington devidamente apreciado.

BIG BANDS
Julie Hoerner, 1ª Edição, 1992, U.S.A., mini-livro acompanhado de 01 CD lançado como parte da série “The Life, Times, & Music Series”, destacando Duke Ellington nas páginas 22/23 e no CD com seu prefixo, composição de Billy Strayhorn, “Take The ‘A’ Train”,

JAZZ - HISTORY, INSTRUMENTS, MUSICIANS, RECORDINGS
John Fordham, 1ª Edição, 1993, Inglaterra, 216 páginas em edição de luxo, sendo Ellington focado em sua biografia, estilo, composições, fase do “Cotton Club” e participação no “Newport Jazz Festival”. Farto material fotográfico em alta qualidade.

LOS 100 MEJORES DISCOS DEL JAZZ
Jorge Garcia, Federico G. Herraiz, Federico Gonzales, Carlos Sampayo, 160 páginas em formato grande e edição de luxo, 1ª Edição, 1993, Espanha, com Ellington abordado nas páginas 18/19 (gravações do final da década de 1920), 50/51 (gravações da década de 1940) e 89 e 99 (gravações da década de 1950). Todas as gravações são devidamente comentadas em meio e farto material fotográfico.

JAZZ MILESTONES - A PICTORIAL CHRONICLE OF JAZZ 1900/1990
Ken Vail, 1ª Edição, 1993, Inglaterra, 176 páginas, com prefácio do grande sax-tenorista Scott Hamilton, aporta-nos ano a ano e a partir de 1900 um calendário dos nascimentos/falecimentos de músicos de JAZZ, das composições, das gravações, dos livros e dos filmes, com breves históricos dos fatos marcantes de cada ano, dos clubes de JAZZ e dos mapas esquemáticos da Storyville, de Chicago, do Harlem e da Rua 52 (“A Rua Que Nunca Dorme”), além de uma relação final em ordem alfabética de músicos com datas de nascimento/falecimento e seu instrumento principal. Primoroso material fotográfico em P&B. Evidentemente Duke Ellington é foco em dezenas dos anos decorridos nesse período.

SWING KINGS
Julie Koerner, 1ª Edição, 1994, U.S.A., mini-livro acompanhado de 01 CD lançado como parte da série “The Life, Times, & Music Series”, destacando Duke Ellington nas páginas 24 a 26 e no CD com o clássico de sua autoria e Bubber Miley “The New East St. Louis Toodle-oo”.

JAZZ - A AUTÊNTICA MÚSICA AMERICANAJames Lincoln Collier, 1ª Edição, 1995 (tradução de original americano de 1993), Brasil, 324, é obra de autor e pesquisador da maior importância, que dedica as melhores e inúmeras referências a Duke Ellington e suas composições.

ELS 25 GRANS DEL JAZZ
Miguel Jurado (texto em catalão), 1ª Edição, 1995, Espanha, 199 páginas, traz nas páginas de 64 até 73 uma bela seqüência histórica sobre Elllington e sua música, entremeada de algumas fotos, sendo a mais feliz a do selo do 78rpm da “Bluebird” com o clássico “East Saint Louis Toddle-oo”.

LA DISCOTECA IDEAL DEL JAZZ
Joan Riambau, 1ª Edição, 1995, Espanha, 488 páginas. Após uma “Introducción” e uma “Breve História Del Jazz”, o autor prossegue com foco sobre os músicos em ordem alfabética, a cada um correspondendo o que considera o melhor em gravações, com Ellington ocupando as páginas de 159 até 163, com destaque para 10 gravações e 02 antologias do Maestro: uma excelente seleção escolhida e bem comentada.

ALL THAT JAZZ - THE ILLUSTRATED STORY OF JAZZ MUSIC
Ronald Atkins, 1ª Edição, 1996, Inglaterra, 224 páginas em formato grande, com a seqüência “Evolução do Jazz”, “Gigantes do Jazz”, “Músicos” (de ‘A’ a ‘Z’) e mais uma série de anexos. As páginas 42 e 43 são dedicadas a Ellington, com mini-cronologia, gravações clássicas e histórico, retornando o foco sobre Ellington nas páginas 201 e 202 com destaque e comentários sobre outras gravações do maestro.

OS GRANDES DO JAZZ
Edições del Prado S.A., 1ª Edição, 1996/1997 (tradução para o português), Espanha, coleção com 05 volumes e 72 CD’s, com o “Volume I” contendo capítulo especial sobre Duke Ellington nas páginas 157 até 168, com histórico, gravações comentadas e bom material fotográfico.

THE JAZZ MASTERS
Ediciones Folio S.A. (vide o anterior “ALL THAT JAZZ - THE ILLUSTRATED STORY OF JAZZ MUSIC” de 1996, em grande parte reproduzido no texto dessa coleção), 1ª Edição, 1997 (tradução para o português), Espanha, coleção com 03 volumes e 101 CD’s, com verbete dedicado a Ellington.

A CENTURY OF JAZZ - A HUNDRED YEARS OF THE GREATEST MUSIC EVER MADE
Roy Carr, 1ª Edição, 1997, Inglaterra, 256 páginas em edição de luxo, com Ellington nos capítulos “The Wind City & The Big Apple”, “Jazz Festivals” e “The Movies”. Material fotográfico de primeira qualidade para um amplo panorama do JAZZ, com referências ao mesmo na Inglaterra.

TRIBUTO AO SÉCULO XX - JAZZ
Papel Virtual Editora, diversos autores, 1ª Edição, 1999, Brasil, 198 páginas, traz em capítulo especial dedicado ao JAZZ da autoria de nosso finado "cjubiano" e Mestre Luiz Carlos Antunes, um panorama perfeito da evolução e das transições de estilos, marcando a presença de Ellington nessa longa e histórica “estrada”.

GUIA DE JAZZ EM CD - UMA DISCOTECA BÁSICA
Luiz Orlando Carneiro & José Domingos Raffaelli, 2ª Edição, 2002, Brasil, 265 páginas de livro em formato reduzido, livro a que já nos referimos na “Discografia”, em que coube ao co-autor e “cjubiano” Raffaelli (†) discorrer sobre Ellington e sua principais gravações, devidamente comentadas (“Early Ellington”, “Duke Ellington 1935-36/1936-37/1938”, “The Blanton-Webster Band”, “Ellington At Newport”, “The Far East Suite”, “And His Mother Called Him Bill” e “Second Sacred Concert”).

JAZZ - DAS RAÍZES AO PÓS-BOP
Augusto Pellegrini, 1ªEdição, 2004, Brasil, 399 páginas, em que o autor cita Ellington em várias etapas de sua extensa e concisa obra: “Swing’, “Big Bands” e principalmente em “Grandes Nomes do Jazz”, quando reserva as páginas de 239 até 244 para traçar um histórico do Maestro e da banda, com extensa relação de suas composições e clássicos do repertório ellingtoniano.

GLOSSÁRIO DO JAZZ
Mário Jorge Jacques, 2ª Edição, 2009, Brasil, 530 páginas, é obra importante para conhecermos estilos, locais e outras informações sobre Duke Ellington como, por exemplos e entre outros, “Cotton Club”, “Jungle”, “Washingtonians” e muito mais. A par desse aspecto é obra fundamental de consulta para iniciantes e iniciados, pela organização de termos e demais tópicos que o Autor conseguiu reunir em obra desse fôlego.

ARTE DO PIANO - COMPOSITORES & INTÉRPRETES
Sylvio Lago, 1ª Edição, 2007, Brasil, 751 páginas, obra obrigatória, dedica amplos parágrafos a Ellington, detendo-se em comentários nas páginas 472/474, 486/487 e principalmente 493/498 em que analisa a figura, a trajetória, a música e o estilo do Maestro.

JAZZ - A HISTORY OF AMERICA’S MUSICA
Ken Burns & Geofrey C. Ward, 1ª Edição, 2007, U.S.A., 490 páginas, é copioso em suas referências a Duke Ellington, assim como a coleção de DVD’s que acompanha a obra (coleção lançada no ano de 2011 em 12 exemplares e nas bancas de jornais). É obra de fôlego de um historiador.

JAZZ - THE GOLDEN ERA
Richard Havers & Richard Evans, 1ª Edição, 2009, U.S.A., 192 páginas em edição de luxo com 01 CD encartado, trazendo excelente resenha sobre Duke Ellington nas páginas 38 até 46, material fotográfico de alta qualidade e interesse histórico, sendo 02 delas em página inteira, além da faixa “Take The ‘A’ Train” de Billy Strayhorn gravada em Hollywood em fevereiro de 1941 por Ellington e orquestra, com solo do trumpete de Ray Nance.

JAZZ AO SEU ALCANCE
Emerson Lopes, 1ª Edição, 2009, Brasil, 601 páginas, inclui mini-verbete sobre o Maestro e comenta com propriedade a gravação “Ellington At Newport 1956”.

O LIVRO DO JAZZ - De New Orleans ao Século XXI
Joachim-Ernst Berendt e Günther Huesman, 1ª Edição, 2014, Brasil, 638 páginas, além das diversas referências sobre ELLINGTON ao longo da obra, inclui capítulo exclusivo e muito bem estruturado sobre o Maestro nas páginas 103 a 108. Trata-se de ampliação do livro “O JAZZ DO RAG AO ROCK” indicado anteriormente, alcançando músicos posteriores ao ano 1999.

UNIVERSOS DO JAZZ, Volumes I e II
Sylvio Lago, 1ª Edição, 2015, Brasil, 548 páginas no total, tal como na indicação anterior e além de diversas referências sobre ELLINGTON, inclui verbete específico sobre o Maestro. Este trabalho de Sylvio Lago é obra para consulta permanente.

São também bastante elucidativas e ilustrativas do trabalho, da música e da personalidade de DUKE ELLINGTON os artigos publicados na revista francesa “Jazz Magazine” de setembro de 1966 (“Antibes 007 – Billy Strayhorn”, longa entrevista com o compositor, arranjador e alter-ego de ELLINGTON) e de maio de 1999 (“Ellington Était um Héros”, em que Archie Shepp discorre sobre a soberana influência de ELLINGTON em seu trabalho no JAZZ e na música como um todo).
Acreditamos ter publicado um “resumo” que permitirá aos interessados aprofundarem-se no universo desse patrimônio musical.

Retornaremos com o pianista Joe Albany

CRÉDITOS DO PODCAST # 401

19 fevereiro 2018

LIDER
EXECUTANTES
TEMAS / AUTORES
GRAVAÇÃO  LOCAL / DATA
CHET BAKER
Chet Baker (tp), Bob Brookmeyer (v-tb), Bud Shank (sbar), Russ Freeman (pi), Carson Smith (bx) e Shelly Manne (bat)
DOT'S GROOVY
(Jack Montrose)
Los Angeles, 9/setembro/1954
TOMMYHAWK
(Johnny Mandel)
SUN RA
Sun Ra And His Arkestra: Hobart Dotson (tp), Bo Bailey (tb), James Spaulding, Marshall Allen (sa), John Gilmore (st), Pat Patrick, Charles Davis (sbar), Sun Ra (piano), Ronnie Boykins (bx) e William "Bugs" Cochran (bat)
IMAGES IN A MIRROR
(Sun Ra)
Chicago, IL, 6/março/1959
HOURS AFTER (Sun Ra)
GEORGIE AULD
Neal Hefti (tp), Billy Byers (tb) Georgie Auld (as,ts,vcl) Clint Neagley (sa), Pete Terry (ts) Irv Roth (sbar), Jimmy Rowles (pi), Karl Kiffe (gt,bgo), Joe Mondragon (bx) e Alvin Stoller (bat)
VOX BOP (Georgie Auld)
Los Angeles, 21/março/1949
MILD AND MELLOW
(Georgie Auld)
BUDDY DEFRANCO
Don Fagerquist (tp), Buddy DeFranco (cl), Georgie Auld (st), Victor Feldman (vib), Carl Perkins (pi), Barney Kessel (gt), Leroy Vinnegar (bx) e Stan Levey (bat)
BENNY’S BUGLE
(Charlie Christian / Benny Goodman / Lionel Hampton)
Los Angeles, 29/outubro/1957
OH! LADY BE GOOD
(George Gershwin / Ira Gershwin)
THE BUDAPEST JAZZ ORCHESTRA
Csaba Puskas, Janos Hamori, Ferenc Magyar, Szabolcs Ducsai (tp,flh), Ferenc Schreck, Attila Almasi, Gabor Skerlecz (tb), Viktor Daniel Nagy, Miklos Csathy (b-tb), Akos Csejtey (sa,ssop,fl), Gabor Kollmann (sa,ssop,cl), Istvan Elek (st,cl,condução), Zoltan Zana, Arpad Dennert (st,cl), Gyorgy Varga (sbar,b-cl), Kalman Olah (pi, keyboard), Sandor Sarkany (bx), Tamas Berdisz (bat) e Kornel Mogyoro (perc)
SILVER IN THE BLACK
(Kalman Olah)
Hungarian Radio, Budapest, 2007
LET'S HAVE A CHET
(Kalman Olah)
MILT JACKSON
Milt Jackson (vib), Gene Harris (pi), Ray Brown (bx) e Mickey Roker (bat)
SOUL ROUTE (Gene Harris) 
New York, 1/dezembro/1983
DEJECTION BLUES (Ray Brown)
JOHNNY O'NEAL
Johnny O'neal (pi, ldr), Peter Washington (bx) w Lewis Nash (bat)
IN A MELLOW TONE
(Duke Ellington / Milt Gabler)
Ann Arbor, MI, 10/outubro/2001

       ANIVERSARIANTES  DO  MÊS    -  JAZZ  &  OUTROS (17)
Fevereiro 19 a 21
19      Saul Chaplin, composição, New York, 1912
          Stan Kenton, piano / lider, Kansas, 1912
          Ron Matthewson, contrabaixo, Escócia, 1944
          David Murray, saxofone.tenor, California, 1955
          Fred Van Hove, piano, Bélgica, 1937
20      Oscar Aleman, guitarra, Argentina, 1909 
          Frank Isola, bateria, Michigan, 1925
          Bobby Jasper, saxofone.tenor, Bélgica, 1926
          Leroy Jones, trumpete, Louisiana, 1958
          Phillip Moore, piano / composição, Oregon, 1918
          Lew Solof, trumpete, New York, 1945
          Nancy Wilson, canto, Ohio, 1937
          Jimmy Yancey, piano, Illinois, 1894
21      Tadd Dameron, piano / composição, Ohio, 1917
          Hiroshi Fukumura,  trombone, Japão, 1949
          Chris Hunter, saxofone.alto, Inglaterra, 1957
          Akira Sakata, saxofone.alto, Japão, 1946
          Al Sears, saxofone.tenor, Illinois, 1910       
          Andres Segovia, guitarra, Espanha, 1893
          Nina Simone, canto / piano, Carolina do Norte, 1932
          Warren Vache, trumpete, New Jersey, 1951
                                                                                                Retornaremos

P O D C A S T # 4 0 1

16 fevereiro 2018

BUDDY DEFRANCO
GEORGIE AULD
JOHNNY O'NEAL




PARA DOWNLOAD DO ARQUIVO DE ÁUDIO USAR O LINK ABAIXO E CLICAR NA JANELA BAIXAR:

https://www.4shared.com/mp3/QHK9qHwIca/PODCAST_401.html




15 fevereiro 2018


       ANIVERSARIANTES  DO  MÊS    -  JAZZ  &  OUTROS (16)
Fevereiro 16 a 18
16      William Anderson, trombone, Reino Unido, 1940
          Patti Andrews, canto, Minesotta, 1920
          Jeff Clayton, saxofones, California, 1955
          Bill Doggett, piano / órgão / composição, Pensilvania, 1916
          Charlie Fowlks, saxofone.barítono, New York, 1916
          Machito, canto / lider, Florida, 1909
17      Buddy Defranco, clarinete, New Jersey, 1923
          Will Davis, piano, Illinois, 1927
          Buddy Jones, contrabaixo, Arizona, 1924
          Herbie Lewis, contrabaixo, California, 1940
          Enric Madriguera, piano / violino / lider, Espanha, 1904
          Charlie Spivak, trumpete / lider, 1906
          Ronnie Zitto, bateria, New York, 1939
18      Frank Butler, bateria, Missouri, 1929
          Al Foster, bateria, Virginia, 1943
          Lonnie Johnson, canto, Louisiana, 1899
          Walter Johnson, bateria, New York, 1904
          De De Pierce, trumpete, Louisiana, 1904
                              Retornaremos