Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

UM DISCO PARA TODAS AS ESTAÇÕES
AARON NEVILLE - NATURE BOY "THE STANDARDS ALBUM" - @@@

31 agosto 2004

Nosso caríssimo Embaixador para as planícies abaixo do Trópico de Capricórnio certa noite me entregou o disco aqui retratado, falando muito bem do mesmo. Aaron Neville, um dos Neville Brothers, originários de New Orleans, é um gigante de quase dois metros de altura por metro e meio de largura, que depois de uma boa temporada na prisão partiu para uma carreira solo.

Sua voz é em nada condizente com sua figura física. Fina, delicada e macia, faz a alegria das mulheres neste disco, onde canta doze standards da música norte-americana com um jeito bastante intimista e romântico. Sua interpretação carregada de swing em "Summertime", a faixa de abertura, com uma levada bem menos tradicional do que as que estamos acostumados e com bom destaque para a guitarra de Ry Cooder, nos dá uma falsa impressão de como será o resto do disco, bem mais lento e romântico.

Cercado por um grupo de músicos do primeiro time e arranjos de Rob Mounsey, que dobra como trombonista e tecladista, Neville consegue manter um excelente padrão interpretativo ao longo de todas as faixas, com destaque para "Come Rain or Come Shine", "The Very Thought of You", aqui com a participação de Linda Ronstadt, "Since I Fell For You" e "Nature Boy", que dá título ao CD. Digno de nota, também, é o contraponto dos trombones a Aaron, na faixa "The Shadow Of Your Smile". "Who Will Buy" retoma o swing da faixa de abertura sem no entanto compremeter o clima do disco. Que ainda tem o sax de Michael Brecker sublinhando a atmosfera intimista na faixa "Our Love Is Here To Stay".

Lançado no ano passado, o CD é uma barbada como pano de fundo de qualquer reunião em que se pretenda atingir os corações sem as mentes.



Faixas:
Summertime; Blame It On My Youth; The Very Thought Of You; The Shadow Of Your Smile; Cry Me A River; Nature Boy; Who Will Buy?; Come Rain Or Come Shine; Our Love is Here To Stay; In The Still Of The Night; Since I Fell For You; Danny Boy.

Músicos:
Aaron Neville, vocais; Ry Cooder, guitarras; Linda Ronstadt, vocais; Ray Anderson, trombone; Michael Brecker, sax tenor; Ron Carter, baixo; Ronnie Cuber, sax barítono; Roy Hargrove, trompete; Rob Mounsey, trombone, teclados, arranjos; Grady Tate, bateria; Randy Brecker, flugelhorn.

ALGUNS TEMAS PARA OUVIR

30 agosto 2004

Mccoy Tyner: Blues for Fatha;

Michel Camillo: See You Later;

Roberto Occhipinti: One Finger Snap.

Todos do site Jazzpromo.com.

Enjoy !

FILMES NOS QUAIS JAZZMEN APARECEM (OU COMPUSERAM AS TRILHAS SONORAS)

29 agosto 2004

Mais uma dica do excepcional jazz on film.

Pergunto aos Mestre Raf e Goltinho, e aos demais Cjubianos: quantos destes vimos, no cinema, ou temos em DVD (tantos sequer saíram)?

Ainda faltam os "curta-metragens", documentários e aqueles exclusivamente de performances, que o site também inclui, em outras seções:


The films selected feature jazz musicians on screen. However, it does include films with notable soundtracks composed by jazzers.

(ABC) All Black Cast. Between 1910 and 1960 hundreds of films were produced featuring all-black casts. These were made for segregated audiences and were often made by black film companies. With the coming of sound more and more black musicians were filmed in a varity of settings.

ALFIE
UK 1996 •115 mins • Directed by Lewis Gilbert
Music by Sonny Rollins. Ronnie Scott and Stan Tracy also on the soundtrack

ALL NIGHT LONG
UK 1961 • 95 mins • Directed Michael Relph
featured are Dave Brubeck, Tubby Hayes,Charlie Mingus, Kenny Napper, John Dankworth and Alan Ganley who also ghosted drums for Patrick McGoohan

AH! QUELLE EQUIPE
France 1956 • 96mins • Directed Roland Quignon
With Sidney Bechet in lead role.

AMERICAN BLUE NOTE
USA 1989 • 96 mins • Directd by Ralph Toporrof

ANATOMY OF A MURDER
USA 1959 • 160 mins • Directed by Otto Preminger
Great sound track from Duke Ellington who also makes an appearance at the piano and says a few lines. This was Ellington's first complete score for a Hollywood film

ASSAULT ON A QUEEN
USA 1966 • 106 mins • Directed by Jack Donohue
Terrible film but the third of Ellington's complete scores for a Hollywood film ( see Anatomy of a Murder, Paris Blues, and 'Change of Mind')

ATLANTIC CITY
USA 1944 • 86 mins • Directed Ray MaCarey
with Louis Armstrong

ARTISTS AND MODELS
USA1937 • 97 mins • Directed by Raoul Walsh
Armstrong's third appearance in a feature film after 'Pennies from Heaven'

BALL OF FIRE
USA 1941 • 112 mins • Directed by Howard Hawks
Great scene with Gene Krupa and his Orchestra with Roy Eldridge. ( see Song is Born)

BALLAD IN BLUE
UK 1964 • 88 mins Directed by Paul Henried
With Ray Charles in lead

BEAT GENERATION
USA 1959 • 93 mins • Directed by Charles Hass
with Armstrong's All Stars

BENNY GOODMAN STORY
USA 1955 • 116 mins • Directed by Valentine Davies
With Lionel Hampton, Teddy Wilson, Gene Krupa, Kid Ory, Buck Clayton

BELL, BOOK AND CANDLE
USA 1958 • 102 mins • Directed by Richard Quine
Features trumpeters Pete and Conti Candoli in marvellous night club scene with Jack Lemmon on bongos.

BELL OF THE NINETIES
USA 1934 • 70 mins • Directed by Leo McCarey
Classic Mae West film with Duke Ellington and his Orchestra on screen and backing West on' My Old Flame'

BEWARE (ABC)
USA 1946 • 60 mins • Directed by Bud Pollard
Louis Jordan's first starring role. He made various musical films during the forties at the hieght of the jump-jive craze.

BIG BROADCAST OF 1937
USA 1936 • 99 mins • Directed by Mitchell Leisen
Features the Benny Goodman Orchestra with Jess Stacy (piano) and Gene Krupa

BIRD
USA 1988 • 160 mins • Directed by Clint Eastwood
Uneven bio of Charlie Parker. Features some of Parkers solos remastered with new rhythm section. Charlie Macpherson does a lot of the dubbing. Score by Lennie Niehaus

BIRTH OF THE BLUES
USA 1941 • 86 mins • Directed by Victor Schertzinger
with Jack Teagarden and Louis Armstrong on screen

BIX, THE LEGEND
Italy 1990 • 111mins • Directed by Pupi Avanti
A very good film about Bix Biederbeck. Great sound track of numerous Bix classics transcribed by Bob Wilder. Cornet played by Tom Pletcher with Wilber playing C melody sax.

BLUE ICE
USA 1992 • 105 mins • Directed by Russell Mulcahy
Michael Caine as ex-spy jazz club owner. Features a quintet of Pete King (alto) Gerald Presencer (tpt) Anthony Kerr (vibes) Dave Green (bass) and Charlie Watts (drums)

BOY ! WHAT A GIRL
USA 1946 • 70 mins • Directed by Arthur Leonard
Musical with Slam Stewart, Mary Lou Williams, Sid Catlett, and guest Gene Krupa

BREAKFAST IN HOLLYWOOD
USA 1946 • 90 mins • Directed by Harold Schuster
features the Nat 'King' Cole Trio

CABIN IN THE SKY (ABC)
USA1942 • 99 mins • Directed by Vincente Minneli
With Armstrong and Ellington

CARMEN JONES
USA1954 • 103 mins • Directed by Otto Preminger
Small parts for Max Roach, Ritchie Powell and Curtis Counce

CHANGE OF MIND
USA 1969 • 98 mins • Directed by Robert Stevens
Duke Ellington's final Hollywood score and played by his Orchestra

CHECK AND DOUBLE CHECK (ABC)
USA1930 • 75 mins • Directed by Melville Brown
Comic duo Amos and Andy film featuring the Duke Ellington Band with Carny, Hodges, Bigard etc.

THE CONNECTION
USA 1961 • 110 mins • Directed by Shirley Clarke
With Freddy Redd Quartet with Jackie McLean, Larry Ritchie and Michael Mattos featured through out the film

THE COOL WORLD
USA • 1963 • 105 mins
This film from the director of the The Connection has a score by Mal Waldron played by Dizzie Gillespie, James Moody, Yusef Lateef, Art Taylor and Aaron Bell, who are featured on screen

THE COTTON CLUB
USA 1984 • 128 mins • Directed by Francis Ford Coppola
Great recreation of the Cotton Club Days with fresh transcriptions by Bob Wilbur

THE CRIMSON CANARY
USA 1945 • 64 mins • Directed by John Hoffman
Coleman Hawkins, Howard McGee, Sir Charles Thompson , Oscar Pettiford and Densil Best appear on screen but for some strange reason other jazzers ghost the sound track

CURSE OF THE JADE SCORPION
USA 2001 • 95 mins • Directed by Woody Allen
Apart from Allen's usual selection of jazz classics the film features a band lead by Dick Hyman that includes Howerd Alden (gtr), Ken Peplowski (clarinet) and Ray Beckenstein (saxes)

DR TERROR'S HOUSE OF HORRORS
UK 1964 • 98 mins • Directed by Freddie Francis
Portmanteua film that features the Tubby Hayes Quintet with Alan Ganley and Jimmy Deuchar in one episode

THE FABULOUS BAKER BOYS
USA 1989 • 113 8 Directed by Steve Kloves
Enjoyable movie about working musicians with great piano playing from Dave Grusin who ghosts for Jeff Bridges

THE FABULOUS DORSEYS
USA 1947 • 87 mins • Directed by Alfred Green
Apart from the Dorsey Brothers, one the rare screen appearances of Art Tatum blowing everybody off the screen with his playing.

THE FIVE PENNIES
USA 1959 • 117 mins • Directed by Melville Shavelson
Story of Red Nichols with Armstrong ,Shelly Manne Trummy Young, Joe Venuti,and Curtis Counce appearing on sreen

THE GENE KRUPA STORY (a.k.a. Drum Crazy)
USA 1959 • 99mins • Directed by Don Veiss
Bio of Gene Krupa with Shelly Manne, Anita O’Day and Red Nichols with Krupa ghosting for Sal Mineo

THE GIG
USA 1985 • 90 mins • Directed by Frank D. Gilroy
Very underrated film about the jazz life .Warren Vache is on screen in a major role playing the trumpet. Other musicians on the soundtrack include Kenny Davern, George Masso (ghosting for Wayne Rogers) Milt Hinton, John Bunch and Herb Harris

THE GLASS WALL
USA 1953 • 80 mins • Directed by Maxwell Shane
Drama with Shorty Rogers and his group with Jack Teagarden, Shelly Manne and Jimmy Giuffre on screen

THE GLEN MILLER STORY
USA 1953 • 116 mins • Directed by Anthony Mann
Contains great Night Club scene featuring Louis Armstrong All Stars with Gene Krupa doing a drum duet with Cozy Cole

GLORY ALLEY
USA1952 • 77 mins • Directed by Raoul Walsh
features Louis Armstrong with Jack Teagarden

GOING PLACES
USA 1938 • 84 mins • Directed by Ray Enright
with Armstrong and Maxine Sullivan

GOLDEN DISC
UK 1958 • 80mins • Directed by Don Sharpe
Built around 50's pop idol Terry Dene but featured Phil Seaman including Don Rendell, Ronnie Ross, Bert Courtley, Kenny Napper and Eddie Harvey. Seamen for some reason appears on the credit as Seamon.

HELLZAPOPPIN
USA 1941 • 83 mins • Directed by H C Potter
Surreal comedy with Slim Gaillard, Salm Stewart and Rex Stewart on screen

HERE COMES THE GROOM
USA 1951 • 114 mins • Directed by Frank Capra
A brief appearance by Louis Armstrong

HEARTBEAT
USA 1979 • 109 mins • Directed by John Byrum
Hollywood's idea of Jack Kerouac's life but with great solos from Art Pepper. Music played by Shorty Rogers and all the usual West Coast crew

HEY BOY! HEY GIRL!
USA 1959 • 81 mins • Directed by David Rich
With Louis Prima and Keely Smith

HI- DI-HO
USA 1947 • 47 mins • Directed by Josh Binney
with Cab Calloway

HIGH SOCIETY
USA 1956 • 107 mins • Directed by Charles Walters
Famous musical with Armstrong and his fifties All Stars

HIT PARADE OF 1937
USA 1937 • 78 mins • Directed by Gus Mains
Popular at the time this musical revue featured various artists. This one included Duke Ellington and his Orchestra

HIT PARADE OF 1943
USA 1943 • 85 mins • Directed by Albert Rogell
As above but with Count Basie and his Band

HIT PARADE OF 1947
USA 1947 • 90 mins • Directed by Frank McDonald
As above but with Woody Herman and his Orchestra with Flip Phillips, Shorty Rogers, Bill Harris and Jimmy Rowles

HIT PARADE OF 1951
USA 1951 • 85 mins • Directed by John Auer
musical comedy with the Firehouse Five Plus Two

HOLLYWOOD HOTEL
USA 1937 • 101 mins • Directed by Busby Berkeley
fFeatures the Benny Goodman Orchestra and the original quartet

INDECENT PROPOSAL
USA 1993 • 117 mins • Directed by Adrian Lynn
Herbie Hancock appears on screen as the cocktail piano man

I WANT TO LIVE
USA • 1958 • 120 mins • Directed by Robert Wise
Great film with great jazz. On screen in the opening club sequence are Gerry Mulligan, Art Farmer, Bud Shank, Frank Rosolino, Pete Jolly, Shelly Manne and Red Mitchell.

JAM SESSION
USA 1944 • 74 mins • Directed by Charles Barton
with Louis Armstrong

JUST FRIENDS
Belgium • 1993 • Directed by Marc-Henri Wajnberg
Story of musicians set in the fifties with music by Michael Herr and Archie Shepp

JIVIN’ IN BEBOP (ABC)
USA 1947 • 60 mins • Directed by Leonard Anderson
Separate cinema musical made for black audiences with Gillespie, Milt Jackson, John Lewis, Ray Brown, James Moddy, Benny Carter

KANSAS CITY
USA • 1995 • 115 mins • Directed Robert Altman
Altman's recreation of Kansas City jazz scene of the thirties. Playing the Hey Hey club musicians are a galaxy of todays leading players including Joshua Redman, David Murray. Ron Carter, Russell Malone and Nicholas Peyton. (see A to Z docus; Kansas City; Jazz 34)

KILLER DILLER (ABC)
USA 1948 • 80 mins • Directed by Josh Binney
Black cast film featuring Nat 'King' Cole and the Andy Kirk Band

KINGS GO FORTH
USA1958 • 109 mins • Directed by Delmer Daves
Conti Candoli ghosts the trumpet for Tony Curtis when he sits in with the Red Norvo Quintet including Richie Kamuca on tenor sax ( see images)

LADY SINGS THE BLUES
USA 1972 • 144 mins • Directed by Sidney Furie
Bio of Billie Holiday with the usual songs

LA PALOMA
Germany 1959 • 100 mins • Directed by Paul Martin
One of the numerous European films Louis Armstrong appeared in

LAST TANGO IN PARIS
France / Italy 1972 • 130 mins • Directed by Bernardo Bertolucci
Great score by Gato Barbieri

L’ INSPECTEUR CONNAIT LA MUSIQUE / BLUES
France 1955 • 90 mins • Directed by Robert Mariaud
Sidney Bechet plays a lead role as well as the music.

LES LIAISONS DANGEREUSES 1960
France 1959 • 106mins • Directed by Roger Vadim
Featured on screen are Kenny Dorham, Barney Wilen, Duke Jordan and Kenny Clarke

LIFT TO THE SCAFFOLD / Ascenseur pour l'Echafaud
France 1957 • 90 mins.• Directed by Louis Malle
Louis Malle's debut feature, a classic thriller held wonderfully together by Miles Davis' improvised soundtrack. Featuring the great European tenor sax Barney Wilen and bassist Pierre Michelot who twenty years later was on the soundtrack, as well as appearing in Round Midnight.

LOOK BACK IN ANGER
UK 1959 •101 mins • Directed by Tony Richardson
Pat Halcox ghosts for Richard Burton’ trumpet playing and features the Chris Barber Band

LOOK OUT SISTER (ABC)
USA 1948 • 67 mins • Directed by Bud Pollard
musical featuring Louis Jordan and his Tympany Five

LOUIS ARMSTRONG;CHICAGO STYLE
USA 1975 • 74 mins • Directed by Lee Phillips
Very poor biography of Armstrong

LUSH LIFE
USA 1993 • 104 mins • Directed by Michael Ellis
Story of two New York jazzers. With tenorist Bob Cooper and trumpeter Chuck Findley ghosting for Jeff Goldblum and Forest Whitaker. Another fine score from Lennie Niehaus

THE MAN WITH THE GOLDEN ARM
USA 1955 • 118 mins • Directed by Otto Preminger
Short Rogers, Shelly Manne, Pete Candoli, Milt Bernhart, Bob Cooper, Frank Rosolino and Ralph Pena all appear during Frank Sinatra’s drumming audition

A MAN CALLED ADAM
USA 1966 •103 mins • Directed by Leo Penn
Score by Benny Carter with Louis Armstrong. Sammy Davis Jr' trumpet ghosted by Nat Adderly

MANHATTAN MUSIC BOX
USA 1937 • 80 mins • Directed by Charles F. Reisner
Comedy featuring the Cab Calloway Orchestra and Louis Prima and his Band

MO BETTER BLUES
USA 1990 • 129 mins • Directed by Spike Lee
Terence Blanchard ghosts the trumpet for Denzel Washington and Branford Marsalis sax for Wesley Snipes

MR ROCK AND ROLL
USA 1957 • 74 mins • Directed by Charles Dubin
Features the Lionel Hampton Big Band

MURDER AT THE VANITIES
USA 1934 • 87 mins • Directed by Mitchell Leisen
Features the Duke Ellington Orchestra

NEW ORLEANS
USA 1947 • 90 mins • Directed by Arthur Lubin
With Armstrong, Barney Bigard, Kid Ory, Woody Herman and Billie Holiday on screen

NEW YORK, NEW YORK
USA 1977 •153 mins • Directed by Martin Scorsese
Georgie Auld ghosts the Tenor sax for Robert DeNiro and makes small appearance

NO SUN IN VENICE (Sait-on Jamais)
France 1957 • 90 mins • Directed by Roger Vadim
Music by John Lewis and played by the Modern Jazz Quartet

ODDS AGAINST TOMORROW
USA 1959 • 96 mins • Directed by Robert Wise
Great film and great score by John Lewis with members of the Modern Jazz Quartet

O'VOUTI E O'ROONEY (ABC)
USA1947
All black musical with Slim Gaillard

PARADISE IN HARLEM (ABC)
USA 1939 • 85 mins • Directed by Joseph Seiden
Features the Luck Millinder Orchestra with Mamie Smith

PARIS BLUES
USA 1961 • 98 mins • Directed by Martin Ritt
Score by Duke Ellington. Armstrong is featured on screen. Paul Gonsalves and Murray McEachern ghost on tenor and trombone for Paul Newman and Sidney Poitier

PENNIES FROM HEAVEN
USA 1936 • 80 mins • Directed by Norman Z McLeod
The second screen appearance of Louis Armstrong in a Feature film.His first feature film EX FLAME from 1931 is now lost ( Armstrong appeared in 22 American features plus shorts and documentaries, He also made appearances in a number of European films. Lionel Hampton is also featured

PETE KELLY'S BLUES
USA 1953 • 95 mins • Directed Jack Webb
One of Hollywoods most enjoyable films of the jazz age. It features Ella Fitzgerald and Peggy Lee. Dick Cathcart ghosted the trumpet for Jack Webb, Matty Matlock ( ghosting for Lee Marvin) Eddie Miller, George Van Eps (g), Nick Fatool also on soundtrack.

PILLAR TO POST
USA 1945 • 96 mins • Directed by Vincent Sherman
with Louis Armstrong and his Orchestra including Dexter Gordon. Dorothy Dandridge also sings a duet with Armstrong.

POWERS GIRL
USA 1942 • 94 mins • Directed by NormanZ. Mcleod
Features Benny Goodman and his Band with Peggy Lee (vocal)

RAT RACE
USA 1960 • 100 mins • Directed by Robert Mulligan
features Gerry Mulligan who also ghosted baritone for Tony Curtis

REET, PETITE AND GONE (ABC)
USA 1947 • 75 mins • Directed by William Crouch
with Louis Jordan and his Tympany Five

REMEMBER MY NAME
USA • 1978 • 94 mins • Directed by Alan Rudolph
Soundtrack written and performed by Alberta Hunter with Vic Dickenson (tbn), Bud Johnson( ten) Doc Cheatham (tpt) Connie Kay (drums)

REVEILLE WITH BEVERLY
USA 1943 • 77 mins • Directed by Charles Barton
Musical featuring both the Count Basie and the Duke Ellington Orchestras

RICHARD III
UK 1995 • 105 mins • Directed by Richard Loncraine
Shakespeare set in a 30's fascist England. Singer Stacy Kent appears with a big band in the opening scene

RIDE' EM COWBOY
USA 1941 • 82mins • Directed by Arthur Lubin
Abbott and Costello comedy with wonderful scene on board a bus with Ella Fitzgerald singing "Ticket a Tasket"

ROUND MIDNIGHT
France 1986 • 133 mins • Directed by Bertrand Tavernier
Dextor Gordon plays lead in this very good jazz film suggested by the life of Bud Powell in Paris. It also features Herbie Hancock, Pierre Michelot, Bobby Hutchinson

RHYTHM INN
USA1951 • 70 mins • Directed by Paul Landres
Musical featuring Wingy Manone (tpt), Matty Matlock (clar), Pete Daily ?(tpt)

ST. LOUIS BLUES
USA 1958 • 93 mins • Directed by Allen Reisner
The life of W.C. Handy ? with Nat King Cole, Ella Fitzgerald, Cab Calloway, Mahalia Jackson, Barne Bigard, Red Callender, Teddy Buckner and Curtis Counce

ST. LOUIS BLUES
USA 1939 • 90 mins • Directed by Raoul Walsh
Features Maxine Sullivan singing her most popular song Loch Lomond

SCROOGED
USA 1988 • 101 mins • Directed Richard Donner
Features Miles Davis and David Sanborn as Street musicians in short scene

THE SCORE
USA / Germany 2001 • 124 mins • Directed by Frank Oz
Robert De Nero as a jazz club owner with brief appearances by Mose Allison and Cassandra Wilson

SECOND CHORUS
USA 1940 • 85 mins • Directed by H C Potter
Features the Artie Shaw Band with Bobby Hackett and Billy Butterfield ghosting the trumpets for Fred Astair and Burgess Meredith

SEPTEMBER
USA 1987 • 83 mins • Directe by Woody Allen
No laughs in this Woody Allen film but extensive use of the classic Art Tatum / Ben Webster album.
(All Woody Allen's films have a great deal of jazz on their soundtracks and are worth checking out)

SHADOWS
USA 1958 • 81 mins • Directed by John Cassavetes
Sax solos on sountrack by Shafti Hadi ( who has also, recorded under the name of Curtis Porter with Hank Mobley) Some of the music by Charles Mingus

SNOWS OF KILIMANJARO
USA • 1952 • 114 mins • Directed by Henry King
Contains a nice club sequence featuring Benny Carter on alto

A SONG IS BORN
USA 1948 • 112 mins • Directed by Howard Hawks
Hawks' remake of his own 'Ball of Fire' (see this page) with Armstrong, Tommy Dorsey Lionel Hampton, Mel Powell,Charlie Barnet and Benny Goodman (see images page)

STORMY WEATHER
USA 1943 • 78 mins • Directed by Andrew Stone
All black musical with Fats Waller, Cab Calloway and Lena Horne

THE STRIP
USA 1951 • 86 mins • Directed by Leslie Kardos
Mickey Rooney as jazz drummer on Sunset Strip with Armstrong, Jack Teagarden, Barney Bigard, Earl Hines on screen

THE SUBTERRANEANS
USA 1960 • 1960 • Directed by Ranald MacDougall
Another Hollywood injustice to Jack Kerouac. However it did feature Gerry Mulligan, Art Pepper, Art Farmer, Andre Previn (in jazz mode) and Carmen McRae on screen.

SWEET LOVE BITTER (AKA; I't Won't Rub Off, Baby!)
USA 1966 • 92 mins • Directed by Herbert Danska
Vaguely about the last days of Charlie Parker with Charles McPherson ghosting the alto for Dick Gregory. Music score by Mal Waldron

SWEET AND LOWDOWN
USA 2000 • 90 mins • Directed by Woody Allen
Biography of Emmet Ray, legendonary swing guitarist and second only to Django Reinhardt in greatness Unfortunately a purely fictitious character brought wonderfully to life by Sean Penn. The soundtrack features Howard Alden and Buckey Pizzarelli on solo and rhythm guitar, respectively with Ken Peplowski on clarinet, going through their paces on numerous classic numbers from the thirties.

THE SWEET SMELL OF SUCCESS
USA 1957 • 93 mins • Directed by Alexander Mackendrick
Great film about New York ‘s underbelly. The sound track and the film features Chico Hamilton and his group with Jim Hall ghosting for Martin Milner, the jazz musician being framed by Burt Lancaster. Conte Candoli (tpt) and Frank Rosolino (tbn) are briefly featured with Chico Hamilton

SWING PARADE OF 1946
USA 1946 • 74 mins • Directed by Phil Karlson

SVEN KLANGS KVINTETT
Sweden 1976 • 109 mins • Directed by Stellan Olsson
One of the best ever features ever about the jazz life based loosely on Swedish baritone Lars Gullin ( the video is available from the Swedish Film Institute but no English subtitles)

SYNCOPATION
USA 1942 • 88 mins • Directed by William Dieterle
Features Benny Goodman, Harry James, Charlie Barnet, Joe Venuti and Gene Krupa. Rex Stewart and Bunny Berigan ghost trumpet for Jackie Cooper and Todd Duncan respectively

THE TALENTED MR RIPLEY
USA 1999 • 140 mins • Directed by Anthony Minghella
Two groups are featured in this movie; Guy Barker (tpt) fronts a septet of European jazzers with Gene Calderazzo on drums. The other is a sextet lead by Pete King (alto) with Byron Wallen (tpt) Clark Tracy (drums) Jean Toussaint (tnr) Geoff Gascogne (bass) and Carlo Negroni (piano)

TOO LATE BLUES
USA1961 • 103 mins • Directed by John Cassavetes
One of the best American films about the jazz life. It features Benny Carter, Jimmy Rowles, Red Mitchell, Milt Bernhart, Shelly Manne and Slim Gaillard

WE FROM JAZZ
Russia 1983 • mins • Directed by Karen Shaknazarov

WHEN THE BOYS MEET THE GIRLS
USA 1966 • 97 mins • Directed by Alvin Ganzer
With Louis Armstrong and his All Stars

VANYA ON 42nd STREET
USA 1994 • 120 mins Directed by Louis Malle
Great soundtrack provided by the Joshua Redman Quartet with Christian McBride on bass

YOUNG MAN WITH A HORN
USA 1949 • 112 mins • Directed by Michael Curtis
Very loosely based on the life of Bix Beiderbecke with Harry James ghosting for Kirk Douglas with Willy Smith featured in the small band. The ubiquitous Hoagy Carmichael makes another appearance.

PRESENTE PARA MARCELÓN

27 agosto 2004

Para v., Marcelón, quem diria ? Dois de seus ídolos num improvável mas real encontro, e, melhor, num fime: "All Night Long".

Example

Aliás, que site este jazz on film !

Tudo quanto houve ou há, de imagem, em filme, tv, vídeo e dvd sobre jazz.

Só mais este aperitivo: o poster do filme do Louis Malle, musicado por Miles:

Example

Babar é pouco ...

DANIEL GARCIA NO JB DE HOJE, NA COLUNA
DO MESTRE LUIZ ORLANDO CARNEIRO

26 agosto 2004

Transcrevo aqui com as devidas vênias, do JB e do Mestre e amigo Luiz Orlando Carneiro, sua coluna de hoje, na qual resenha o último disco desse músico cejubiano, Daniel Garcia, que esteve presente nas últimas duas edições das CJL prévias à da noite de hoje. E nosso CJUB faz parte da matéria.
Como observação, apenas a de que saiu grafado como Almir Martins o nome do trompetista Altair Martins, outro dos músicos que já se apresentou em nossas produções. Os grifos são nossos.


"Os caminhos do compositor Daniel Garcia

O saxofonista Daniel Garcia é muito respeitado e atuante no terreno demarcado da MPB instrumental. Na condição de músico profissional, ganha também a vida acompanhando em estúdios e palcos vozes tão populares e diversas como as de Elba Ramalho, Roberto Carlos, Maria Bethânia, Ed Motta, Alcione ou Beth Carvalho.

No entanto - como o trompetista Guilherme Dias Gomes, que lançou recentemente um ótimo álbum jazzístico, intitulado L'amour - o verdadeiro amor de Daniel Garcia é o modo de expressão musical em cujo Olimpo estão John Coltrane, Dexter Gordon, Hank Mobley, entre outros deuses do sax tenor.

No fim do mês passado, Garcia liderou um quinteto, no Mistura Fina, na série Chivas Jazz Lounge, promovida pela turma de experts do CJUB (Charutos Jazz Uísque Blog). A noitada, produzida por Arlindo Coutinho, foi uma bem-sucedida celebração de temas de autoria de Dexter Gordon ou recorrentes na extensa discografia do mestre do sax tenor bop, falecido em 1990, aos 67 anos. Ao lado de Daniel, estavam Dario Galante (piano), Augusto Mattoso (baixo), Rafael Barata (bateria) e Almir Martins (trompete).

Os mesmos músicos - menos Almir Martins - estão reunidos no CD Caminho, recém-saído do forno, e o primeiro disco com a assinatura de Daniel Garcia na qualidade de líder, intérprete e compositor. Das oito faixas do álbum de produção independente, seis são da pena de Daniel: a faixa-título, Jardim, Primavera, Kronos, Domingo e Estrela negra. O experiente e refinado pianista italiano Dario Galante, carioca desde 1986, contribui com Marakabop. A oitava peça, Mr. Big Dog, é do exímio saxofonista Idriss Boudrioua, que não participa da gravação. A seção rítmica, com Barata e Mattoso, é das melhores em atividade no Brasil, de nível nova-iorquino.

Garcia toca sax tenor em todas as faixas, exceto em Caminho, em que prefere um sax soprano incisivo, cortante, sem os ''orientalismos'' ornamentais muito empregados por quem tem problemas com a afinação e o sopro muito difíceis do instrumento introduzido no jazz por Sidney Bechet, e depois glorificado por Steve Lacy. A faixa de quase oito minutos dá o tom interativo do quarteto, no plano rítmico-harmônico, com destaque para Dario Galante e o brilhante Rafael Barata.

A partir de Jardim, mas principalmente em Primavera e Kronos, Garcia mostra, com técnica e sensibilidade invejáveis, sem quaisquer exibicionismos gratuitos, que o seu approach é decididamente melódico, tanto na exposição temática, como nos solos improvisados. O som é generoso, quase sem vibrato. Suas frases têm sujeito, objetos direto e indireto, e predicados apropriados. Ou seja, os fundamentos do estilo do tenorista podem ser encontrados nas ''declarações'' claras e fluentes de Dexter, no fraseado legato e pungente do Coltrane não-radical, e na arte melódico-harmônica de Hank Mobley - um dos mais depreciados músicos da escuderia Blue Note dos anos 60.

Primavera (faixa de 6m25s) tem como ponto de partida o langoroso fragmento melódico inicial da Sagração da primavera, de Stravinsky. Como o tema é bem conhecido dos que têm alguma intimidade com a música erudita, o desenvolvimento que o quarteto dá à peça é um bom exemplo do estilo do líder - um explorador da melodia em desdobramentos mais horizontais do que verticais, embora sem deixar de usar, aqui e ali, exclamações tipicamente coltraneanas.

Kronos é o ponto alto do primeiro CD inteiramente jazzístico do saxofonista. Nas notas do álbum, Arlindo Coutinho destaca a ''belíssima construção melódica de Dario (Galante) na introdução da balada, abrindo caminho para a melodia de largas notas expostas por Daniel''. José Domingos Raffaelli, por sua vez, sublinha que a balada ''enseja a Daniel expor seu lado lírico, em contraste acentuado com a veemência que projeta no final da faixa''.

Essa ''veemência'' é precedida de um interlúdio cheio de contrações e alongamentos rítmicos criados por Galante, Mattoso e Barata. Em pouco mais de oito minutos, Garcia e a seção rítmico-harmônica constroem a peça mais rica do CD.

As outras peças de Garcia são também envolventes e bem estruturadas, como Domingo - marcada por uma cálida batida basicamente bossa nova, com intervenções ágeis e assimétricas de Barata, que fazem parecer que o tempo fica sempre em suspense, aberto às observações cuidadosas de Galante e ao fraseado elegante do saxofonista."

por Luiz Orlando Carneiro

CJUB NA JAZZ +

25 agosto 2004

É isso mesmo na 6a publicação da revista " Jazz + " os desenhos do nosso Reinaldo aqui apresentados estão na pagina 15, e com a indicação de que foram publicados no CJUB. Valeu Reinaldo!

Quanto à revista, além das informações de concertos e avaliações de CDs de praxe, vale a leitura da entrevista com Naná Vasconcelos, que entre outras coisas declara que o Miles Davis diz que Miles era referência e não podia fazer isso. Curioso!

E finalmente atendendo a pedidos, retransmito aqui a ficha técnica do excepcional CD do Roy Haynes ("Fountain of Youth"), gravado ao vivo no Birdland em Dez 2002 e considerado pela DownBeat como o disco do ano, e pelo Luiz Orlando Carneiro, como a sétima maravilha do jazz. Example

Tracks: 1) Greensleeves (Traditional); 2) Twinkle Trinkle (Monk); 3) Summer Night (Dubin/Warren); 4) Ask Me Now (Monk); 5) Butch And Butch (Nelson); 6) Inner Trust (Kikoski); 7) Green Chimneys (Monk); 8) Remember (Berlin); 9) Question & Answer (Metheny)

Musicos: Roy Haynes (bateria); Martin Bejerano (piano); Marcus Strickland (sax tenor, soprano e "bass clarinet") e John Sullivan (baixo).

XIV CONCERTO CHIVAS JAZZ LOUNGE - DIA 26 DE AGOSTO, NO MISTURA FINA
"NEW YORK JAZZ"

20 agosto 2004

Será no próximo dia 26 de agosto, no Mistura Fina (Av. Borges de Medeiros, 3207 - Lagoa, fone 2537.2844), às 21 horas, a continuação dos concertos da série CHIVAS JAZZ LOUNGE, patrocinada pela Pernod-Ricard do Brasil, produtora do whisky Chivas Regal.

Para essa 14a. edição dos Concertos CJL, o CJUB programou um concerto de jazz mais tradicional, para o qual vai contar com o trio de renomados músicos radicados em Nova Iorque, o "New York Jazz", que, complementado por três importantes jazzistas de São Paulo, vai mostrar a plenitude de suas qualidades musicais através de um variado repertório, o qual será disponibilizado aqui oportunamente.

O trio "New York Jazz" é composto por banjo, clarinete e piano e capitaneado por Eddy Davis, norte-americano, maestro, compositor, músico de jazz tradicional e ao mesmo tempo um grande apaixonado pelo chorinho brasileiro e pela bossa nova, tendo mesmo composto diversos temas dentro deste último ritmo. Davis, com seu fantástico banjo, é também o band-leader do conhecido grupo de jazz "The New Orleans Jazz Band", no qual toca todas as segundas-feiras, no Carlyle Café, em Nova Iorque, o famoso cineasta Woody Allen.

Eddy Davis, Orange Kellin e Conal Fowkes
Eddy Davis também foi responsável pelas trilhas sonoras de "Tomates Verdes Fritos", de John Avnet e "Sweet Lowdown" ("Poucas e Boas", no Brasil), de Woody Allen, tendo composto para este mesmo cineasta uma canção para o filme "Celebrity" (de 1998). Davis figurou também em um filme do diretor Mike Figgis, intitulado "One Night Stand".

Em documentário chamado "Wild Man Blues", a cineasta Barbara Koppel registrou os concertos feitos na Europa, por Woody Allen, Eddy Davis e a New Orleans Jazz Band, tendo recebido premiação nos festivais Sundance e de Veneza. Como registros musicais de seu trabalho, Eddy e seu grupo tem três CDs lançados pela RCA: "Music Masters", "The Bunk Project" e "Wild Man Blues", todos disponíveis no mercado.

Orange Kellin (clarineta) é sueco, radicado nos EUA há muitos anos, onde teve o privilégio de tocar com músicos famosos como Louis Armstrong e gravar com o pianista Earl "Fatha" Hines. Kellin é o responsável pelo maravilhoso som de clarineta do filme "Pretty Baby", de Louis Malle. Kellin viajou freqüentemente como solista convidado pela mais do que famosa "Preservation Hall Jazz Band", de Nova Orleans. Participou, devido ao seu estilo intensamente pessoal, das apresentações de "One Mo'Time", na Broadway, no ano de 2003.

Conal Fowkes é um jovem e grande pianista inglês, professor de música em Universidade e produtor de shows. Canta, também em espanhol com grande charme sendo, enfim, um músico completo, ganhador de diversos prêmios em seu país. Conal teve participação em diversas trilhas de filmes como "Finding Forrester", "Madame Souzatka", "Ghost World", "Lipstick on Your Collar" e "Indian Summer". Stacey Kent, Cleo Laine, Marion McPartland, Scott Robinson e Paquito d'Rivera foram alguns dos expoentes com quem Conal já tocou.

Eles chegam de uma nova excursão à Europa e vêm pela segunda vez ao Brasil para encontrar amigos e mostrar novas composições. Terão como convidados especiais para esta apresentação três músicos brasileiros: Fernando Kfouri no trombone, Pedro "Pepê" Lodovici Neto na bateria e, retornando aos palcos cariocas depois de algum tempo, o excelente contrabaixista Zéca Assumpção, músico cujo raro talento é reconhecido igualmente no Brasil e no exterior, por acompanhar há muitos anos a Egberto Gismonti.

Todos são membros fundadores da mais antiga banda de traditional jazz do Brasil, a "São Paulo Dixieland Band", e tem tocado com Eddy Davis e seus companheiros no Brasil em outras ocasiões, com total entusiasmo, assim colaborando para trazer ao público momentos memoráveis de musicalidade e belas improvisações.

A noite promete ser tão "quente" quanto essa vertente jazzística é denominada e portanto bastante animada. Uma das características marcantes do "traditional" são as interpretações de temas mais facilmente assimiláveis pela grande maioria e que pode compreender algumas sub-divisões como o "ragtime", o "blues", o "boogie-woogie", o "Dixieland", o "swing" e até alguma música para "big-bands", sempre gerando um elevado nível de interação com a audiência e momentos de pura descontração. É divertimento garantido, sobretudo para aqueles interessados nos ritmos mais próximos das origens do jazz.

E para esquentar ainda mais a apresentação do "New York Jazz", faremos o clássico sorteio, no intervalo entre o primeiro e o segundo set, de duas garrafas do precioso uísque Chivas Regal.

Como de hábito, recomendamos a aquisição antecipada de ingressos pelo site da Ticketronicks, em http://www.ticketronics.com.br. Na noite do Concerto haverá vendas de lugares, cuja localização, entretanto, será segundo a disponibilidade.

NEW YORK JAZZ - Set List

Recebemos a lista das músicas que poderão ser apresentadas pelo trio New York Jazz, que, com o auxílio luxuoso dos craques paulistas Zéca Assumpção, Fernando Kfouri e Pepê Lodovici (vide post anterior a respeito), vão se apresentar no próximo dia 26, no Mistura, dentro da produção cjubiana de mais um concerto Chivas Jazz Lounge.

Examinem com cuidado e marquem suas prediletas para o "bis", caso elas não sejam incluídas em um dos dois sets. E preparem-se para fazer bastante barulho, ao defender suas escolhas, para que sejam tocadas então. Os músicos adoram isso!

Vejam só que belas possibilidades de escolha:

Royal Garden Blues - Clarence & Spencer Williams;
Mama's Gone- Bocage & Piron;
I Want a Big Butter an' Egg Man - Venable & Armstrong;
Indiana - Hanley, Ballard & McDonald;
At the Jazz Band Ball - La Rocca & Shields;
Sweet Georgia Brown - Bernie, Pinkard & Casey;
Limehouse Blues - Brahan & Furber;
I Ain't Gonna Give Nobody None of This Jelly Roll - Clarence & Spencer Williams;
Everybody Loves My Baby - Palmer & Williams;
Someday You'll Be Sorry - Armstrong;
Coney Island Washboard - Durand, Adams, Nestor & Shugart;
Do You Knou What It Means (To Miss New Orleans) - Eddie de la Lange & Louis Alter
Muskrat Ramble - Edward Ory;
Just a Close Walk With Thee - domínio público;
Basin Street Blues - Spencer Williams;
I Can't Give You Anything But Love - McDonald;
Maryland My Maryland - domínio público;
My Heart - Louis Armstrong;
I've Found a New Baby - Feldman, Palmer & Williams;
Riverboat Shuffle - Hoagy Carmichael, Mills & Parrish;
Blue and Broken Heart - F. Hunt;
China Boy - Phil Bouteljie & Dick Winfree;
Fidgety Feet - La Rocca, Shields & Sigman;
The Mooche - Duke Ellington & Miles
Honeysuckle Rose - Waller & Razaf
Wolwerine Blues - J. Spikes, B. Spikes & F. Morton;
Stardust - H. Carmichael, Mills & Parrish;
Thou Swell - George & Ira Gershwin;
Beale Street Blues - W. C. Handy;
Bourbon Street Parade - Paul Barbarin & Travis.

Após sua temporada em São Paulo, onde vão tocar em Campinas, no Mercure Hotel, nos dias 19 e 20 deste mês, e no bar Upstairs, na capital paulistana, esta noite no Mistura Fina será a única do grupo no Rio de Janeiro, uma excelente oportunidade de apreciar jazz tradicional com esse grupo famoso, que volta em seguida a São Paulo para participar do III Encontro Jazzístico Internacional do Sítio Moinho Velho, em Valinhos-SP, pelo segundo ano consecutivo.

Trata-se, verdadeiramente, de uma programação imperdível. Melhor que isso, só se o Woody Allen, que também toca clarineta na banda do Eddy Davis, estivesse lá para filmar.

THE RAFFAELLI'S JAZZ BAND


Esta é outra preciosa peça da Coleção Raffaelliana, vista em primeira mão pelos leitores deste CJUB.
Trata-se da Raffaelli's Jazz Band, obra com a qual o craque Chico Caruso homenageou nosso querido Raf, juntando num só conjunto "la crème de la crème" do universo jazzístico. Excepcional!
Que ainda serve para que os neófitos façam um exercício para ver se já estão conhecendo todos os membros da banda. Caso negativo, de volta às leituras e audições...

(clique para ampliar)

HORACE SILVER É OURO...

19 agosto 2004

Em tempos olímpicos vale comentar o último CD do excelente pianista Horace Silver, pela gravadora Bop City (?) encontrado sem dificuldade pelo Flavio Raffaelli, a quem mais uma vez recomendo a todos pela facilidade, rapidez e principalmente $$$.

Quanto ao CD, chamado "Rockin' with Rachmaninoff", trata se de um sonho tido pelo Silver sobre o encontro no céu do Duke Ellington com Serge "Rocky" Rachmaninoff, que foi sendo apresentado por Duke a diversos gigantes do jazz lá residentes, como Armstrong, Monk, Hawkins e outros, que deram origem a esse trabalho, na verdade gravado em 1991 mas só lançado agora. Acompanhado por um time de medalhistas como; Rick Woodard, Ralph Bowen, Doug Webb (sax tenor); Michael Mossman, Bob Summers (trumpete); Andy Martin, Bob McChesney (trombone); Bob Maize (baixo) e Carl Burnett (bateria), Silver alinha 11 temas de sua autoria homenageando os já citados e acima de todos o encontro do Rocky com Duke. Vale registrar ainda a participação vocal de Andy Bey em 4 faixas e de Dawn Burnett em 2.

Enfim, um CD a meu ver imprescindível em qualquer boa discoteca, e para levantar o astral de quem quer que seja. Esse, com certeza, vai para o podium.

Viva o prata que ouro é !!!

O CD ...

AS CHARUTEIRAS, DE VOLTA

16 agosto 2004


Depois de bom tempo ausentes, voltam a aparecer por aqui nossas divas charuteiras. Há poucas fotos boas dessas especiais criaturas disponíveis, daí a sua rarefação no CJUB. Clique na foto para ampliar e sentir o cheiro da fumaça. Enquanto ainda deixam.

XIII CJL - TRIBUTO A DEXTER GORDON - 29/7/2004 - Mistura Fina - @@@1/2

Definitivamente, concertos produzidos por Arlindo Coutinho têm algo de "diferente".

Uma aura especial, uma mágica, um brilho, uma entrega que não se vê nas demais gigs da cidade.

Desta vez, Coutinho optou por franco "nepotismo", resolvendo evocar a memória de um "certo" amigo, nada mais nada menos que a enciclopédia do saxofone tenor, Dexter Gordon, raiz comum, na árvore do jazz, das explosivas torrentes de John Coltrane e Sonny Rollins.

Logo ao som de For Regulars Only, viu-se que só mesmo um set de jazz sem concessões poderia dignificar o legado de Gordon, cuidadosamente pesquisado por Daniel Garcia (sax tenor, direção), que, para a fiel execução dos arranjos originais, arregimentou craques como Altair Martins (trompete, flugel), Dario Galante (piano), Augusto Mattoso (contra-baixo) e Rafael Barata (bateria).

E de fato vieram os grandes temas compostos ou celebrizados pelo saxofonista americano:

- Stick Wicket, um blues em exercício tipicamente hard-bop;
- Fried Bananas, imprimindo a pressão característica dos conjuntos de Dexter;
- Soy Califa, clássico do álbum "A Swingin´Affair" e sensacional latin, com destaque para o piano de Dario em insinuante contraponto à exposição do líder;
- The Rainbow People, linda balada logo evoluída para medium blues;
- Dexter Digs In, saltitante tema, com ótimo solo de Mattoso, em noite inspirada; e
- Tangerine, harmonicamente parelha a Just Friends, destacando-se a dobradinha Mattoso e Barata, este, possivelmente, o maior baterista de jazz em atividade no país.

De Daniel Garcia, diga-se que, além do timbre, atualmente bem próximo ao de Dexter, desfila de modo peculiar suas idéias, concisas e bem organizadas, mas sempre imperando o bom gosto e com a absoluta tranquilidade de, ao fim de cada solo, ter dado seu recado, sem notas a mais ou a menos. Atingiu, portanto, distintiva maturidade entre seus pares no instrumento.

O 2º set instalou-se camerístico, num duo de sax e piano, flexionando, sem solos, a autosuficiente Laura (Mercer), o que serviu de prelúdio para o melhor momento da noite, caprichosamente uma composição divorciada no universo dexteriano: Jardim, magnífico original de Garcia, por seu formato algo livre, serviu de ponto de partida para vôos arrojados de toda a banda, talvez porque mais livre das amarras dos arranjos.

It´s You Or No One (Cahn/Styne), das mais repisadas por Gordon ao longo da carreira, não poderia faltar, seguida de outro clássico de seu repertório, Montmartre, também com acento latin.

O único equívoco da noite pareceu a busca de reproduzir, com exatidão, o difícil arranjo de Round Midnight (Monk), tal como idealizado por Herbie Hancock para o filme homônimo, de Bertrand Tavernier, em que que Dexter protagonizou uma espécie de biografia híbrida de Bud Powell e Lester Young. De todo modo, em se tratando de Monk, Galante, claro, esteve sempre em casa.

A cosmopolita LTD mostrou bebop em estado puro, febril e urbano, com sua bridge swingada, dando vez a inspirados chosuses de todos, e provocando comoção pelo bis, com a reedição, ainda melhor, de Tangerine.

O invariável sorriso em todas as frontes, o tesão dos músicos, o gosto de "quero mais", a curiosidade e ansiedade pela próxima CJL ...

Em você, Arlindo Coutinho, há algo de místico, uma especial e apostólica vocação de anunciar, no Brasil, o evangelho do jazz.

SITE DO MAURO SENISE

O saxofonista e flautista MAURO SENISE estreou seu site.

WWW.MAUROSENISE.COM.BR

O site está muito legal, e mostra todo caminho que ele percorreu, a discografia e as participações. Vale a pena.

Zé Henrique

CJUB E A HISTÓRIA REAL II - continuação

10 agosto 2004


Aqui, a imagem do diploma recebido pelo Raf, mencionado na nota anterior e do qual ele tanto se orgulha (imaginem nós). E que depois de muito tempo e pedidos tais, ele nos emprestou para que pudessemos ilustrar muito [in]devidamente o "pedigree" do CJUB. Usurpadores profissionais perdem.
E salve o Mestre!

CJUB E A HISTÓRIA REAL II


Outra para a nossa série histórica. Esta foto mostra a cerimônia da entrega, no Mistura Fina, pelos Presidente e Vice da IAJE -International Association of Jazz Educators, do único diploma concedido a um estrangeiro. Como não poderia deixar de ser, o agraciado foi nosso querido Mestre Raf, lógico. Nada mais merecido, em vista de todo o seu trabalho, longo (dá aulas até hoje sobre a história do jazz, entre outras coisas de que é capaz de lembrar, de memória) e profícuo, estando sempre disponível para distribuir sua sabedoria àqueles com quem priva. Nós, do CJUB, felizmente temos esse privilégio.

CJUB E A HISTÓRIA REAL

09 agosto 2004


Essa foto, mais do que histórica, é simplesmente um documento espetacular, saído diretamente do arquivo pessoal de um dos mais importantes personagens da história do jazz no Brasil, em todos os tempos. Trata-se do nosso Mestre Raf em NYC, em 1954, ao lado dos cartazes das atrações jazzísticas do Birdland e do Carnegie Hall.

Cliquem na foto para ampliar e poder ler o nível das atrações disponíveis num único dia. Simplesmente magníficas!

E também o anúncio original do concerto do Carnegie Hall, que foi capa do disco duplo homônimo:
Example

LATIN JAZZ e otras cositas más....

08 agosto 2004

Aos apreciadores de música latina, aí vai uma boa dica. Entrem no site :

WWW.BATANGA.COM

Aí voces encontrarão de tudo sobre música latina.

É isso aí, curtam bastante.

Zé Henrique

SÓ JAZZ

05 agosto 2004

Newport celebra 50 anos voltando às raízes

Por Bill Beuttler, em 5 de agosto de 2004 (transcrito e traduzido livremente do jornal The Globe online)

A grande história acerca do aniversário dos 50 anos do festival de jazz de Newport pode parecer ligeiramente óbvia para aqueles não familiarizados com os festivais passados.

"Vou voltar ao jazz", diz George Wein, o promotor dos concertos, que tem estado à frente de todos os festivais em Newport, até hoje. "Quero ver se há de fato suficientes fans de jazz, sem trazer nomes do pop ou do crossover.

Ao longo dos anos, Wein, 78, desafiou a ira dos puristas do jazz (e de fato a colheu, por algumas vezes) ao programar rythm&blues, fusion e outros gêneros populares junto com o jazz mais puro, nos seus diversos festivais no mundo todo, incluindo Newport. A idéia era alargar a tenda, aumentar a receita da venda de ingressos e talvez transformar alguns neófitos, atraídos por outras apresentações, em novos fans de jazz.

Mas não haverá essa mescla no festival deste ano - agora chamado oficialmente de JVC Jazz Festival-Newport - que começa na próxima quarta-feira e vai até 15 de agosto, no Fort Adams State Park, em Newport, no Estado de Rhode Island.

"Decidi mudar a fórmula este ano", diz Wein. "Foi o jazz que fez o festival de Newport ser um grande festival, então vamos brindar ao jazz no quinquagésimo ano!"

Assim será o brinde ao jazz: entre os destaques deste ano estão tributos a vários dos maiores personagens do passado do jazz. A "Jon Faddis Jazz Orchestra" saudará a Dizzy Gillespie, Charlie Parker, Benny Goodman e Count Basie no sábado, seguida por Wynton Marsalis e a "Lincoln Center Jazz Orchestra" homenageando a Duke Ellington, Thelonious Monk e Louis Armstrong no domingo. Outros grupos menores farão tributos a Monk (de novo), John Coltrane, Art Blakey e a Herbie Nichols.

Sobreviventes "petardos" de festivais passados estão incluídos neste, como o baixista Percy Heath e o sax-alto Lee Konitz, ambos presentes ao primeiro Newport Jazz Festival, em 1954; Dave Brubeck, cuja estréia em Newport foi no ano seguinte; e o baterista Chico Hamilton, que estava entre os artistas que figuraram no famoso filme-documentário sobre o festival de 1958, "Jazz on a Summer's Day".

Além disso, neste ano um terceiro palco está sendo adicionado ao dois usuais, onde vão apresentar-se uma dúzia dos melhores pianistas de jazz da atualidade, em trabalho solo.

Tudo isso custa dinheiro, motivo pelo qual os fans do jazz enfrentarão preços de entradas mais caros este ano. "Não estamos sentindo nenhuma resistência aos preços, que ainda estão baixos comparados aos dos concertos pop," diz Wein. "Não é que nenhum dos artistas custe uma fortuna mas nosso orçamento é o maior que jamais tivemos porque estamos pagando talvez a 80, 90 pessoas, e pagando muito bem. Temos duas "big-bands" que nos custam bem caro, mais Herbie Hancock e Ornette Coleman e McCoy Tyner, uma outra banda "all-star", três tendas e três palcos."

DESTAQUES:

Dave Brubeck
O próprio Mr. "Take Five" abrirá as festividades deste ano, na Rogers High School de Newport, acompanhado do sax-barítono Kevin Deas, do cantor Alberto Mizrahi e dos Providence Singers, com sua composição sacra de larga escala, "The Gates of Justice". Brubeck escreveu a cantata em 1969, por encomenda da "Union of Hebrew Congregations" e do "College Conservatory of Music of the University of Cincinnati", para celebrar os percalços comuns de judeus e afro-americanos. Brubeck, 83, também tocará com seu quarteto no dia 14, no JVC Jazz Stage, no Fort Adams State Park.

Harry Connick Jr.
A coisa mais próxima de um "pop-star" no festival deste ano, a performance da "big-band" de Connick na sexta,13, à noite, no Newport Casino, está totalmente vendida. Connick tocará piano jazzístico também no dia 14, com seu quarteto, no palco principal JVC, repetindo com seu conjunto instrumental (e repita-se, desprovido de voz) seu CD do ano passado "Other Hours".

John Coltrane Remembered
Trane e seu legendário quarteto do início dos anos 60 serão homenageados no palco JVC no sábado, por um dos mais destacados tenoristas e discípulo de Coltrane, Michael Brecker, junto com o filho [do mestre] Ravi Coltrane, dividindo os trabalhos no sax. McCoy Tyner vai tocar como ele mesmo ao piano, Christian McBride substituirá o falecido Jimmy Garrison no baixo e Roy Haynes tomará o lugar do recentemente falecido Elvin Jones na bateria. É uma formação que promete fazer desta apresentação algo memorável.

Branford Marsalis Quartet
O selo de gravação de Branford Marsalis, Marsalis Music, de Cambridge, vai fazer um barulhão em Newport este ano. Os parceiros de selo Connick e Doug Wamble obtiveram vagas no sábado e no domingo, respectivamente, no Dunkin' Donuts Stage. E quando Branford subir ao palco JVC com seu quarteto e o convidado Miguel Zenón no sábado, três outros artistas estarão representando o selo: Zenón, o pianista Joey Calderazzo (cujo CD, em piano solo "Haiku", saiu esta semana) e o próprio Branford Marsalis Quartet, cujo CD de baladas melancólicas "Eternal", está com seu lançamento previsto para 14 de setembro. O quarteto - com Marsalis nos saxes tenor e soprano, Calderazzo no piano, Eric Reavis no baixo e Jeff "Tain" Watts na bateria - está entre os mais afiados combos de jazz, com apresentações constantes.

Lincoln Center Jazz Orchestra com Wynton Marsalis
No domingo, o irmão de Branford, Wynton, lidera uma saudação a três grandes criadores do panteão do jazz: Duke Ellington, Thelonious Monk e Louis Armstrong. Juntando-se ao trompetista Marsalis e sua orquestra, como convidados especiais, estarão o saxofonista James Carter, a violinista Regina Carter, o trompetista Nicholas Payton e o venerável trompetista/flugelhornista Clark Terry, que marcou ponto por quase uma década na seção de trompetes da orquestra de Duke Ellington.

Ornette Coleman Quartet
O saxofonista-alto Coleman entrou na cena do jazz de uma maneira grandemente controversa em 1959, portanto cinco anos depois do primeiro Newport, onde não se apresentou senão em 1971. Pode não ter modificado sozinho a forma do jazz desde então mas é indiscutivelmente um dos mais inovadores compositores do gênero. Atualmente seu quarteto está formado por seu filho Denardo Coleman, na bateria e por uma dupla de baixistas, Tony Falanga e Greg Cohen. (isso sim é ser diferente!)

Herbie Hancock, Wayne Shorter, Dave Holland e Brian Blade
Este super-grupo desconta a curiosa omissão de Miles Davis entre os maiorais do jazz escolhidos para serem homenageados nessa festa em Newport. O pianista Hancock e o saxofonista Shorter tocaram juntos no famoso quinteto de Miles dos anos 60, junto ao baixista Ron Carter (que vai fazer duas aparições em Newport este ano) e com o falecido baterista Tony Williams. Holland substitui Carter no quinteto e como todos os demais, que continuaram por décadas de estrelato em posições de líderes, Holland vem abocanhando uma série de premiações. O garoto novo é o baterista Blade, uma estrela em ascensão, que já acompanhou todo mundo, de Joshua Redman a Joni Mitchell.

(Se você leitor(a) amante de jazz, estiver com o passaporte em dia e com algumas economias repousando no fundo de renda fixa ou em outro escaninho financeiro - que não lhe dá nenhum prazer "at all", exceto saber que elas estão ali para alguma "necessidade" - mande tudo às favas e parta já para ver esse que poderá ser um dos últimos grandes encontros de sumidades do verdadeiro jazz. Alguns, como Dave Brubeck, Percy Heath, Roy Haynes, Lee Konitz, Clark Terry e Chico Hamilton, "masters" em todas as acepções da palavra, não vão poder se apresentar por muito mais tempo, que dirá num mesmo lugar. Então, esse Newport "cinqüentinha" desde já se afigura, historicamente, monumental. Enlouqueça, dê-se esse prêmio, vá!) M.N.

SONHOS E DELÍRIOS DE GRANDEZA

04 agosto 2004

Na manhã do dia 30 de junho de 2004 eu, ainda mal saído do mundo dos sonhos e do sono, achei que tinha lido esta notícia no Jornal do Brasil:

"Expansão de jazz no Rio terá crédito do BNDES. - CEJ receberá R$58 milhões para ampliar rede no Estado.

A Companhia Estadual de Jazz (CEJ), controlada pela espanhola Jazz Natural, obteve crédito de R$58 milhões do BNDES para o projeto de expansão de sua rede de distribuição.

Em comunicado veiculado ontem, o banco anunciou que vai financiar parte dos R$ 102 milhões que a CEJ investirá para estender a distribuição de jazz natural.

O projeto de expansão, segundo o BNDES, irá gerar 2,5 mil empregos e estenderá o abastecimento de jazz natural a 54 mil residências no Estado do Rio. A CEJ pretende estender a rede de distribuição de jazz canalizado aos municípios de Niterói e São Gonçalo, entre outros da região metropolitana.

A clientela potencial nos municípios beneficiados é de cerca de 90 mil residências, 1,5 mil estabelecimentos comerciais, 29 indústrias e 51 distribuidoras de combustíveis. Em seu plano estratégico para os próximos quatro anos, a CEJ propõe ampliar o número de clientes em 35% e aumentar em 50% o volume de jazz vendido até 2008."

Logo vi que aquilo se tratava de um delírio, uma mistura de falta de noção da realidade e falta de óculos. Mas tudo bem , a dura realidade não é tão dura assim, olha só :

A CEJ, Companhia Estadual de Jazz, a empresa carioca na qual tenho o cargo de contrabaixista, estava no dia 15 de julho em Ottawa, capital do Canadá, participando de um show ao lado do grande pianista Marcos Ariel e do não menos grande saxofonista canadense Jean Pierre Zanella. Os dois, em duo, acabavam de lançar o CD "Diplomatie". O show foi no teatro da National Library of Canada, a Biblioteca Nacional lá deles, e o detalhe pitoresco é que o piano usado na ocasião, quer dizer, o piano da casa é um Steinway grand piano que pertenceu ao Glenn Gould. É mole? Ah, e quem quiser importar o CD vai ter que esperar, porque o disco só sai nos EUA e no Canadá daqui a pouco... Mas aqui no Brasil já tem.

RayNaldo

52nd DOWN BEAT, ANNUAL CRITICS POLL

02 agosto 2004

Como acontece todo ano, a "DB" acaba de divulgar na sua edição de Agosto, os melhores do ano segundo seus críticos, e retransmito alguns dos indicados (sempre os 3 primeiros e suas respectivas votações entre parenteses) a saber:

Hall Of Fame - 1) Roy Haynes (68); 2) Billy Higgins (46); 3) Herbie Hancock (43)

Jazz Artist - 1) Dave Holland (112); 2) Wayne Shorter (74); 3) Ornette Coleman (55)

Album - 1) Extended Play / Dave Holland (65); 2) Strange Liberation / Dave Douglas (38); 3) The Bandwagon / Jason Moran (37)

Accoustic Group - 1) Dave Holland Quintet (190); 2) Keith Jarrett Trio (95); 3) Wayne Shorter Quartet (73)

Electric Group - 1) Zawinul Syndicate (100); 2) John Scofield (99); 3) Bill Frisell (64)

Big Band - 1) Mingus Big Band (155); 2) Dave Holland Big Band (147); 3) Vanguard Jazz Orchestra (88)

Alto Saxophone - 1) Lee Konitz (170); 2) Greg Osby (142); 3) Phil Woods (121)

TenorSax - 1) Joe Lovano (195); 2) Sonny Rollins (171); 3) Wayne Shorter (93)

Baritone Sax - 1) James Carter (202); 2) Gary Smulyan (178); 3) Hamiet Bluiett (126)

Clarinet - 1) Don Byron (207); 2) Marty Erlich (112); 3) Paquito D'Rivera (100)

Trumpet - 1) Dave Douglas (214); 2) Wynton Marsalis (110); 3) Nicholas Payton (100)

Trombone - 1) Steve Turre (200); 2) Robin Eubanks (142); 3) Roswell Rudd (116)

Flute - 1) James Newton (139); 2) James Moody (122); 3) Frank Wess (111)

Piano - 1) Keith Jarrett (126); 2) Kenny Barron (77); 3) Brad Mehldau (77)

Acoustic Bass - 1) Dave Holland (320); 2) Christian McBride (101); 3) William Parker (75)

Drums - 1) Roy Haynes (202); 2) Jack DeJohnette (150); 3) Elvin Jones (118)

Electric Bass - 1) Steve Swallow (238); 2) Victor Wooten (79); 3) Richard Bona (77)

Electric Keyboard - 1) Joe Zawinul (235); 2) Herbie Hancock (90); 3) Uri Caine (89)

Vibes - 1) Bobby Hutcherson (241); 2) Stefon Harris (192); 3) Gary Burton (165)

Composer - 1) Dave Douglas (109); 2) Wayne Shorter (91); 3) Dave Holland (73)

Arranger - 1) Maria Schneider (147); 2) Slide Hampton (75); 3) Bob Brookmeyer (71

Male Vocalist - 1) Kurt Elling (207); 2) Andy Bey (153); 3) Mark Murphy (108)

Female Vocalist - 1) Cassandra Wilson (203); 2) Dianne Reeves (116); 3) Diana Krall (81)

Rising Star - 1) Jason Moran (88); 2) Stefon Harris (46); 3) Chris Potter (43)

Nessa mesma indicação de "rising star", vale registrar como a melhor vocalista: 1) Luciana Souza (60); 2) Patricia Barber (59); 3) Lizz Wright )

Tributo a Dexter Gordon - O Quinteto

01 agosto 2004


Aqui está o quinteto que, liderado por Daniel Garcia, atuou na CJL 13, no Tributo a Dexter Gordon

Na foto dos bastidores, da esquerda para a direita, Augusto Mattoso, Rafael Barata, Altair Martins, Daniel Garcia, o produtor Arlindo Coutinho e Dario Galante. E com a participação especial, para quem quiser olhar o reflexo do espelho, dos CJUBianos Sazz e Bené-X.

Em breve, mais imagens, junto com a resenha. Clique na foto para ampliar.