Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MENINOS, EU OUVI (1)

09 outubro 2017

Passear pela internet garimpando os temas que me dão muito prazer, tais como, Jazz, cinema, gastronomia e futebol, há muito já se tornou um hábito diário. E sabem de uma coisa? Já encontrei coisas que nem te conto em todos estes itens. Realmente a internet é um mundo para ser explorado e eu estou dentro. Tenho encontrado álbuns de Jazz que nunca pensei ainda fosse encontrar. Álbuns que sempre quis ter na minha coleção e nunca consegui adquirir. Encontro também muita gente nova e grupos também novos que, para minha surpresa, fazem um Jazz lindíssimo e que meus ouvidos agradecem. Ouço também as rádios internacionais especializada em programas de Jazz e os podcasts muito bem feitos e apresentados e, cito com muito prazer, o do meu querido amigo Mário Jorge que sempre traz “gente” da antiga e também alguns músicos que não tinha até então ouvido. Keep swinging Mr. Major, please. Mas além dessas viagens que faço na net também tenho amigos que vez por outra me mandam via email coisas maravilhosas, como foi o caso recente do meu querido amigo Marcos Parente. Ele, lá de Niterói, me enviou um álbum do trombonista e bandleader John Fedchock, musico que não me lembro de ter ouvido. Depois de ouvir atentamente fiquei deveras impressionado com a banda do cara. Falei isso para o Marcos que me mostrou pelo menos mais uns 6 álbuns do John que ele já tinha baixado. Onde eu estava que esta banda não passou pelos meus tímpanos?  Para quem nunca ouviu coloco aí embaixo uma faixa (The Groove City Groover) e espero que vocês curtam como eu. Valeu Marcão.
Forte abraço turma.

Biografia resumida:
John Fedchock (nascido em 18 de setembro de 1957 em Cleveland, Ohio) é um trombonista de jazz americano, líder de banda e arranjador.
Fedchock estudou na Ohio State University e Eastman School of Music. Ele trabalhou por vários anos na Woody Herman Orchestra na década de 1980 e foi particularmente conhecido por seus arranjos durante esse período. Ele também trabalhou com Gerry Mulligan, Louie Bellson, Bob Belden, Rosemary Clooney e Susannah McCorkle. Ele gravou seu primeiro álbum como líder em 1992 com o New York Big Band.

Ficha técnica do álbum:
The New York Big Band
Reservoir – RSR CD 138
1995  
Limehouse Blues
The Grove City Groover
La Parguera
Ruby My Dear
Blues Du Jour
Caravan
Nefertiti
Louie's Cheese Party
Nightshades
My Foolish Heart
Flintstoned
·         Alto Saxophone – Jon Gordon, Mark Vinci  
·         Baritone Saxophone – Scott Robinson   
·         Bass – Lynn Seaton  
·         Bass Trombone – George Flynn  
·         Drums – Dave Ratajczak  
·         Percussion – Jerry Gonzalez (tracks: 3, 6, 8)
·         Piano – Joel Weiskopf  
·         Tenor Saxophone – Rich Perry, Rick Margitza 
·         Trombone – Clark Gayton, Keith O´Quinn
·         Trumpet, Flugelhorn – Barry Ries,Greg Gisbert, Tim Hagans, Tony Kadleck
·         Recorded September 18 & 19, 1992 at Skyline Studios, NYC.


7 comentários:

MARIO JORGE JACQUES disse...

É isso amigo Tibau, sempre garimpando. Fedchock é excelente e foi programado no pod 285 (11/15) e no 329 (9/16). São tantos músicos que ás vezes eu tb não sei se já ouvi. Quanto aos pods tenho todos os arquivos, e vez em quando tenho que recorrer, mas é assim sempre garimpando. Esta é uma bandaça e diferente do álbum que tenho. Keeping swing. abração

Carlos Tibau disse...

Amigo Mario
Obrigado pela visita. Certamente eu ouvi no seu podcast mas quanto mais jovem eu fico mais vou esquecendo das coisas.
Forte abraço

Nelson disse...

Quando se passa a jogar na "seleção sub-oitenta" e amarrar o cadarço do sapato é considerada uma "modalidade olímpica", a tudo (ou quase tudo) se perdoa. Trata-se de uma banda liderada por um trombonista que "já tem estrada". Beleza !!!!!!amigo Tibáu. Um "sonzaço" de jazz

Obrigado pelo garimpo

Abçs.

"Nels"

Anônimo disse...

Prezado TIBAU:

É para ouvir, guardar, ouvir, guardar e ouvir/guardar para sempre.
Grato pela postagem.

PEDRO CARDOSO

Anônimo disse...

A banda é sensacional que ouvimos nos pods, mas a postagem de Tibau nos trás mais um ótimo album desta banda. Vou procurar o CD, valeu
Carlos Lima

Carlos Tibau disse...

Caros amigos.
Obrigado pela visita e criticas.
Amigo Nelson: obrigado pelo seu perdão. kkkkkkkkk. Para não praticar esta modalidade estou usando sapatos sem cadarço. kkkkkkkkkkkkkkkk.
Amigo Pedro e amigo Carlos (xará) valeu pela força.
Forte abraço para todos

Anônimo disse...

Tibau,
os com mais quilometragem - daí o vocativo "Mestres" - todos já o conheciam e curtiram sua banda e seu trombone. Já este pupilo jamis o ouvira antes e fiquei muito impressionado com a sonoridade da turma e em particular, do Fedchock.
Mais um belo trabalho de garimpagem. E em complemento, sua chamada para destacar a banda fez todo mundo se manifestar. Muito bom!
Grande abraço,
MauNah