Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

UM SAX DE OURO, NOSSO AURINO

18 julho 2017

Eu me lembro perfeitamente das tardes de domingo quando, junto de amigos como Lula, Helio Galindo, Luiz Fernando e outros, nos deslocávamos de Niterói para o Rio e no Café Nice assistíamos as Jam Sessions que ali aconteciam. Ouvíamos ali músicos tais como Cipó, Alex Ribeiro, Bill Horn e o Aurino, entre outros. Eram tardes muito agradáveis que curtíamos muito. Faço esta homenagem com muito prazer, pois dentre nossos solistas brasileiros, eu o considero como importante por suas participações com diversos artistas da MPB, principalmente nos álbuns do Roberto Carlos. Não encontrei na internet uma biografia digna do Aurino. São muitas poucas informações sobre sua vida e obra. No Dicionário da MPB do Ricardo Cravo Alvin a informação somente se refere as suas participações como sideman nas gravações. Deixo aqui registrado esta simples homenagem para um músico brasileiro de grande qualidade. Espero que vocês gostem. Forte abraço.










4 comentários:

pedrocardoso@grupolet.com disse...

Prezado TIBAU:

Belo resgate de um músico de exceção.
Cheguei a possuir os 03 discos de AURINO, cujo som sempre me encantou.
Infelizmente não preservei essas jóias, mas fico feliz em ouvir novamente esse mestre das palhetas e, em sua postagem, muitíssimo bem acompanhado.
Recordar é mais que viver, quando a recordação é de qualidade.

PEDRO CARDOSO

MARIO JORGE JACQUES disse...

Muito bom Tibau, grande lembrança e homenagem a um ótimo músico como Aurino e vários outros de saudosa memória.

Nelson disse...

Grande lembrança do Aurino, que ouvimos ao vivo nas "jams" do Paulo Santos no Teatro Municipal, do Rio de Janeiro e, no "Avenida Danças" ("Dancing Avenida") vizinho ao "Dancing Brasil" , localizados no final da Av. Rio Branco, defronte ao "derrubado Palácio Monroe" (um referencial do antigo Senado da República no Rio de Janeiro demolido "a troco de nada"). Também o vimos no Beco, nas memoráveis seções do "Little Club". Sua figura quase sempre junto a Cipó (sax-tenor) e ele de barítono. Seções memoráveis quase sempre com gente como Fats Elpídeo ou Chaim Lewac, Jair ou Paulo Marinho, Maurílio, Wagner("bochecha"), Pedro Paulo, Jorginho, Paulo Moura e outros "grandes" das décadas 50/60 passadas.
Obrigado a você, velho amigo Tibáu, por essa chance de aqui podermos ouvir novamente Aurino, que com sua arte gravada traz boas recordações dos momentos em que pudemos o ter visto e ouvido atuando.

Abç.do
"Nels"

Carlos Tibau disse...

Queridos amigos
Obrigado pela visita e comentários.
Forte abraço.