Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

ANIVERSÁRIOS PRÓXIMOS

31 outubro 2012

Para não deixar passar os que ainda vem e fazer menção ao que passou (por pouco): Mestre LOC fez anos no dia de ontem, amanhã é a vez do JoFla e no sábado é Raynaldo que também completa mais um. A todos esses amigos e confrades, um grande SALVE! e forte abraço e nosso desejo de muita saúde, que é o que verdadeiramente importa. O resto, mete-se o cartão de crédito e depois se resolve. Parabéns a todos e muitas felicidades. Abs.

CRÉDITOS PODCAST 126



EXECUTANTES
TEMAS
DATA
BECO DAS BIG BANDS por Maxell Johnstone
One Night Stand With Buddy Rich, Volume 2 : Bitsy Mullens, Lou Oles, Pinky Savitt, Carl Warwick, Sid Illardi (tp), Earl Swope, Mort Bullman, Al Lorraine, Mario Daone (tb), Les Clarke (sa), Aaron Sachs (sa,cl), George Berg, Mickey Rich (st), Sid Brown (sbar), Tony Nichols (pi), Lenny Mirabella (gt), Joe Shulman (bx) e Buddy Rich (bat)
GREAT MOMENTS, POONTANG, LET'S BLOW
"AFRS One Night Stand - The Palladium Ballroom", Hollywood, CA, 21/março/1946
TED BROWN
Ted Brown, Warne Marsh (st), Art Pepper (sa), Ronnie Ball (pi), Ben Tucker (bx), Jeff Morton (bat)
CRAZY SHE CALLS ME
Hollywood, CA, 21/dez/1956
BENJAMIN SCHAEFER
Benjamin Schaefer (pi), Robert Landfermann (bx) e Marcus Rieck (bat)
THE RED ROOM
clube "Loft", Cologne, Alemanha, 5/março/2007
DIRTY BLUES BAND
Glenn Ross Campbell (Steel Guitar), Jimmy Forrest (st), Rod "Piazza" Gingerman (harmonica e vocal), Willie Green (sbar), Freddie Hill (tp), Rick Lunetta (gt), Les Morrison (bx), Robert Sandell (gt), Pat Maloney (pi) e John Milliken (bat)
I CAN'T QUIT YOU BABY
novembro/ 2007
BOB BROOKMEYER
Bob Brookmeyer (v-tb), Stan Getz (st), Herbie Hancock (pi), Ron Carter (bx), Elvin Jones (bat) e Gary Burton (vib)
PRETTY GIRL
New York, 26/maio/1964
ARTURO SANDOVAL
Arturo Sandoval e Jason Carder (tp), Dana Teboe, Dante Luciani (tb), Felipe Lamoglia (st), Tony Perez (pi,keyboards), Armando Gola (gtbx), Alexis "Pututi" Arce (bat / timbales) e Tomas Cruz (perc)
21st CENTURY
New York, 9/out/1977
ADRIAN ROLLINI
Wingy Manone (tp), Joe Marsala (cl,sa), Adrian Rollini (bassax), Putney Dandridge (pi), Carmen Mastren (gt), Sid Weiss (bx) e Sam Weiss (bat)
BOUNCIN IN RHYTHM
New York, 14/junho/1935
NIGEL KENNEDY
Nigel Kennedy (violino), Adam Kowalewski (bx), Pawel Dobrowoski (bat), Tomasz Grzegorski (st) e Piotr Wylezol  (pi)
BIG BERTHA
Paris, 20/nov/2007
BOOKER ERVIN
Booker Ervin (st), Don Patterson (org) e Billy James (bat)
ROSETTA
New York, 10/julho/1964
B G
Franck Avitabile (pi), Louis Petrucciani (bx) e Luigi Bonafeéde (bat)
GETTIN' THERE
Paris, 19/jan/1998

UM PALCO. UM PIANO. UM GÊNIO. KEITH JARRETT.

29 outubro 2012

Rio, noite de quarta-feira.
O cenário : um palco, um piano e um gênio.

Pelo segundo ano consecutivo, Keith Jarrett desembarcou em solo carioca para a séria Jazz All Nights, promovida pela Dell Arte.
Em sua última apresentação, em abril de 2011, o espetáculo foi registrado no álbum duplo Rio, lançado pela ECM, e tornou-se mais um registro histórico e com lançamento relâmpago e que, para Jarrett, foi uma das suas melhores gravações em seus cinquenta anos de música. Este que vos escreve não assistiu esta apresentação ao vivo, a degustação ficou restrita ao álbum.

E enfim, me vi diante deste espetacular músico em um Teatro Municipal lotado para uma apresentação brilhante, cujo título, An Evening of Solo Piano Improvisations, só comprovou o talento, a criatividade e seu pleno domínio na arte de conduzir uma apresentação solo em cerca de duas horas de duração, dividida em dois sets.
Sua exigência foi um piano Steinway D, que foi cedido pela OSB e veio de São Paulo; e a afinação do instrumento ficou na responsabilidade de George Boyd.

No repertório, em cada tema, a única certeza era um início. O meio e o fim eram decididos em tempo do momento criativo, cuja improvisação, livre e despretensiosa, levava a caminhos sonoros imprevisíveis e ao mesmo tempo belos e instigantes. Sua música fala com o corpo, como se suas inteligências musical e cinestésica convergissem em torno da própria criação musical instantânea, indo ao encontro de um cenário imaginário de música improvisada.
Incitou a platéia em dois momentos - quando os aplausos iniciaram antes do término de um tema, aguardou os ânimos baixarem e colocou somente os dois acordes finais, como que dizendo – “agora sim, podem aplaudir”; e ao final, antes do início de um tema, a campainha de um celular o fez balançar a cabeça em tom de reprovação. Mas sempre se reverenciou ao público em sinal de agradecimento.

O Rio de Janeiro parece mesmo ter cativado Keith Jarrett. O samba, de uma nota só, se multiplicou exponencialmente nas teclas brancas e pretas, como pedras portuguesas explodindo em ousadia e malandragem e cujos passos eram conduzidos pelas suas mãos e pés.
E nem o público nem Jarrett pareciam querer ir embora, por duas vezes voltou ao palco e, mesmo com tanta bagagem musical, se entregou ao silêncio e compartilhou com o público – “não tenho idéia do que tocar”; e das mais variadas manifestações, recriou Gershwin (Summertime) e Harold Arlen (Somewhere Over the Rainbow).

Um verdadeiro espetáculo !

WAYNE SHORTER RETORNA À BLUE NOTE

Após quarenta e três anos de ausência, o saxofonista Wayne Shorter está de volta à gravadora BLUE NOTE, onde na realidade registrou  seus melhores discos.

Também  gravou com os “Jazz  Messengers” de  Art Blakey e integrou diversos pequenos conjuntos como  side–man,até o ano de 1970, quando registrou seu último álbum para o selo – “Odyssey of Iska”. 

Logo depois assinou contrato com a Columbia e com a Verve. Aos 79 anos de idade, Shorter dará sequência à sua carreira liderando um quarteto que se completa com o pianista Danilo Perez, o baixista John Patittucci e o baterista Brian Blade.

PAUL WINTER, QUEM SE LEMBRA ?


A  gravadora americana “Living Music” está anunciando o lançamento de um álbum duplo, reunindo gravações inéditas do sexteto universitário de Paul Winter, registradas durante sua excursão realizada em 1962 pela América Latina, incluindo naturalmente o Rio de Janeiro. Conterá também a gravação de uma apresentação especial feita na Casa Branca a convite de Jacqueline Kennedy. Vale a pena lembrar algumas passagens ocorridas na época, quando a Embaixada Americana fez de tudo para bem divulgar o sexteto, cujas apresentações tinham como  coordenador o letrista compositor e crítico Gene Lees. 

Em 11 de junho foi oferecido um coquetel à imprensa na Mesbla, seguido da primeira apresentação do grupo na Escola Nacional de Música. No dia seguinte, apresentação do sexteto na TV Continental, seguido de uma mesa redonda com a participação de Gene Lees, Warren Bernhardt, Sylvio Tullio Cardoso, Luiz Carlos Antunes, Seu Silva (CBS Records) e Valdo Moreira (TV Continental). Além disso, extra oficialmente aconteceram algumas canjas no “Bottle’s Bar”, com o sax-barítono Les Rout e o baterista Harold Jones. 

O sexteto que visitou o Brasil tinha a seguinte formação:  Paul Winter (as)-Dick Whitsell (tp)- Les Rout (sb)- Warren Bernhardt (p)- Richard Evans (b) e Harold Jones (dm), havendo destaque absoluto para a seção rítmica onde despontava Harold Jones, no futuro o baterista de Sarah Vaughan. 

Na época também foi lançado pela CBS um LP do sexteto que, na verdade, não entusiasmou a crítica.

DAVE BRUBECK ANUNCIA RETIRADA

26 outubro 2012

O veterano e estimado pianista Dave Brubeck, que completará 92 anos em dezembro próximo, anunciou oficialmente, pelo seu site, a sua retirada dos palcos, embora continue tocando o piano em seu próprio domicílio. 

Eis um músico que muito contribuiu para a divulgação do Jazz, não só nos Estados Unidos, através a série de concertos que deu nas universidades, como também em todo o mundo. 

Dono de um estilo próprio, ele tornou famoso o seu quarteto que contava com o grande saxofonista Paul Desmond, o baixista Gene Wright e o baterista Joe Morello. Sua discografia é rica em quantidade e qualidade e soma mais de cem álbuns gravados entre 1949 e 2011. Só podemos dizer..."TAKE FIVE" .

RIO DE JANEIRO FICOU DE FORA


Aconteceu mais uma vez. Isso vem de longe, desde os tempos de Benny Goodman, Lionel Hampton, Duke Ellington (primeira vez) e outros menos votados. Suas tournées vão direto para São Paulo e de lá seguem por outros países da América do Sul ou retornam à sua origem. Agora é a excelente orquestra da compositora e maestrina Maria Schneider que tocará em São Paulo nos dias 7 e 8 de dezembro. Rio de Janeiro ? Nem pensar...

DICK FARNEY

Aproveitando uma dica do Nelson Reis um vídeo raro do Dick Farney

video

P O D C A S T # 1 2 6


PARA BAIXAR: http://www.divshare.com/download/20175481-71c

CRÉDITOS DO PODCAST 125

24 outubro 2012



EXECUTANTES

TEMAS

DATA

BARRY HARRIS
Barry Harris (pi), George Mraz (bx) e Leroy Williams (bat)
SMOKE GETS IN YOUR EYES
Englewood Cliffs, N.J., 2/outubro / 1996
EDDIE HIGGINS
Scott Hamilton (st), Eddie Higgins (pi), Steve Gilmore (bx) e Bill Goodwin (bat)
New York, outubro/ 2001
BENNY GOODMAN
Billy Butterfield, Cootie Williams, Chris Griffin (tp), Lou McGarity, Cutty Cutshall (tb), Benny Goodman (cl), Les Robinson, Gene Kinsey (sa), Georgie Auld, Pete Mondello (st), Skippy Martin (sbar), Johnny Guarnieri (pi), Charlie Christian (gt), Walter Yost (bx) J.C. Heard (bat) e Helen Forrest (vcl)
New York, 4/junho/1941
BRANFORD MARSALIS
Branford (st), Joey Calderazzo (pi), Eric Revis (bx) e Jeff Watts (bat)
DINNER FOR ONE, PLEASE JAMES
Tarrytown, NY, outubro / 2003
ALBERTA HUNTER
Doc Cheatham (tp) Vic Dickenson (tb) Frank Wess (st,fl) Norris Turney (st,cl) Billy Butler (gt) Gerald Cook (pi,ldr) Aaron Bell (bx) Jackie Williams (bat)
AMTRACK BLUES
New York, 1978
OLD FASHIONED BLUES
HERBIE MANN
Herbie Mann (fl), Phil Woods (sa), Alain Mallet (pi), Marty Ashby (gt), Paul Socolow (bx) e Ricky Sebastian (bat)
SIR CHARLES DUKE
Pittsburgh, PA, 2003
DUKE ELLINGTON 
 Duke Ellington (pi) e Ray Brown (bx)
DO NOTHIN TILL YOU HEAR FORM ME
Las Vegas, Nevada, dezembro / 1972
TOMMY LADNIER
Joe Smith, Tommy Ladnier (tp), Benny Morton (tb), Buster Bailey (cl,sa), Don Redman (cl,sa,arr), Coleman Hawkins (st), Fletcher Henderson (pi), Charlie Dixon (gt) e Kaiser Marshall (bat)
SNAG IT
New York, 20/janeiro/1927
WALTER DAVIS, JR
Donald Byrd (tp), Jackie McLean (sa), Walter Davis, Jr. (pi), Sam Jones (bx) e Art Taylor (bat)
MINOR MIND 
Englewood Cliffs, N.J., agosto / 1959
BIG BAND Universidade de Zielona Gora
George Szymaniuk Lider, demais músicos são estudantes da Universidade
BAT BOOGIE
2003
BG
Sonny Clark (pi), Art Farmer (tp), Jackie McLean (sa), Paul Chambers (bx), e Philly Joe Jones (bat)
DEEP NIGHT
janeiro/1958

MORRE SAXOFONISTA DAVID S. WARE

22 outubro 2012

Quem faleceu vitimado por problemas renais foi o saxofonista David S.Ware. Natural de Plainfield, N.J., desde os nove anos tocava o saxofone. Mais tarde entrou para o Berklee College of Music. Viveu em New York onde trabalhou como chofer de taxi durante 14 anos. Em 1971 lançou seu primeiro álbum, o qual foi produzido por Abdul Hanah, um colega, também saxofonista de Boston. No final dos anos 70 gravou com o baterista Andrew Cirille e com o pianista Cecil Taylor. Formou seu primeiro quarteto nos anos 90 e o mesmo contava com Mathew Shipp ao piano, William Porter ao baixo e Marc Edward à bateria. 

Após gravar para pequenos selos, Ware foi apadrinhado por Branford Marsalis que o introduziu na Columbia Records, onde gravou dois álbuns de sucesso, ao ponto do crítico Gary Giddins declarar que “esse é o melhor conjunto de Jazz do momento”. Aos 60 anos, Ware teve que se submeter a um transplante de rim e daí para a frente tratar-se com a hemodiálise. Ele faleceu no “Robert Wood Johnson University Hospital” em New Brunswick, N.J. em 18 de outubro aos 62 anos.


RIP

“SATCHMO AT SYMPHONY HALL” FAZ 65 ANOS

Em Jazz celebra-se também aniversários de lançamento de discos importantes , como é o caso desse “Satchmo at Symphony Hall”, um dos álbuns mais importantes da carreira de Louis Armstrong que está completando 65 anos de edição.


A gravadora VERVE está lançando um álbum duplo com a gravação integral do famoso concerto, com uma das melhores formações dos “All Stars” de Satchmo, com Jack Teagarden Barney Bigard, Dick Cary, Arvell Shaw , Big Sidney Cattlet e a vocalista Vela Midleton. O álbum leva por título “Satchmo at Symphony Hall/ 65th Aniversary: The complete performance” , isto porque a VERVE conseguiu colocar na íntegra todo o concerto, aumentando em meia hora o tempo de audição.

Poucos sabem mas, esse álbum, em sua forma original foi lançado no Brasil, integrando a coleção “Jazz Odissey” , pela gravadora Warner e esse escriba foi o encarregado da tradução e adaptação do texto da contracapa de autoria de Ernest Anderson.

" BIG APPLE 2012 "

21 outubro 2012

Como prometido de volta de + 1 temporada "musical, etilica e gastronômica" em N.York, registro aqui minhas impressões dos clubes e atrações que compareci, a saber:

1) HELEN SUNG Quartet ( Dizzy's Club Coca Cola ), pianista e compositora americana de Houston de descendencia chinesa, razão do sobre nome, vencedora em 2011 do " Mary Lou Williams Piano Competition " bem cercada por Ron Carter (b), Eric Harland (ds) e Seamus Blake (ts & ss), realizou uma apresentação surpreendente com destaques para  " Love For Sale " com quase 10 minutos e " In Walked Bud " cheia de improvisos e citações.
@@@@

2) MICHAEL FORMANEK Quartet ( Jazz Standard ), contra baixista de muita improvisação acompanhado por Tim Berne (ts & as), Craig Taborn (p) da nova geração e bem interessante destaque do grupo, composto ainda pelo bom baterista Gerald Cleaver.
Apresentação eterea e confusa para o meu gosto.
@@@

3) CHARLES TOLLIVER & Music Inc Continuum ( Jazz Standard ), concêrto dentro do Festival of New Trumpet Music (FONT), com Xavier Davis (p), Bruce Edwards (g), Devin Starks (b) e Gene Jackson (ds) um quinteto da pesada tocando jazz de 1ª linha, "be bop" na veia.
No FONT se apresentou também nosso Claudio Roditi com a West Point Jazz Knights Big Band.
@@@@ 1/2

4) CHICAGO SYMPHONY ORCHESTRA ( Carnegie Hall ) sob a regência e consagração de Riccardo Muti, e saindo do roteiro jazzístico sem qualquer culpa para essa memorável e emocionante apresentação, com destaque para a 5ª Sinfonia de Dvorak.
@@@@@

5) JIM HALL Quartet ( Birdland ) com Steve Laspina (b), Joey Baron (ds) e Greg Osby (as) em uma de suas últimas apresentações segundo o próprio, mestre da guitarra silenciosa, formador de inúmeros seguidores ( Russell Malone, presente inclusive ) e ainda emocionando aos 82 anos.
Destaques para " All Across The City " e uma homenagem a Sonny Rollins com quem tocou na festa de 80.
@@@@

6) BRAD MEHLDAU ( Lincoln Center - The Allen Room ) apresentação solo soberba, desse mago das teclas como dito pela crítica local, sem falar do auditório lotado e elogiado pelo próprio Mehldau em noite engalanada com destaques para "And I Love Her"  e uma linda balada de Elvis Costello.
@@@@@ + @@@@@

7) JOHN SCOFIELD Trio ( Blue Note ) com Steve Swallow (b) e Bill Stewart (ds), apresentação sem brilho com Scofield e suas caras e bocas, tangenciando o "rock" e se não fossem Swallow dentro da sua costumeira introspecção elegante e a criatividade de Stewart acredito que o desastre seria maior.
@@ 1/2

8) VILLAGE VANGUARD ORCHESTRA ( Village Vanguard ) sempre as segundas feiras no templo máximo do jazz de N.York, essa super orquestra com Terell Stafford (tp), Luis Bonilla e John Mosca (tb), Gary Smulyan (bs), Michael Weiss (p) e John Riley (ds) entre outros.
Sem comentários e para quem gosta de jazz @@@@@

9) WALT WEISKOPF Group ( Smalls ), no buraco sensação entre os novos clubes da ilha, esse grande saxofonista acompanhado por Peter Zak (p), Paul Gil (b) e o ótimo baterista Billy Drummond.
@@@@

10) DAVE GRUSIN Quartet ( Blue Note ) comemorando 30 anos da GRP, gravadora onde além de pianista, arranjador é hoje um dos sócios, um maestro comandando um belo quarteto com Lee Ritenour (g), John Patitucci (b) e Will Kennedy (ds) com destaques para Arlequin do Ivan Lins nosso musico de maior reconhecimento internacional ( o que estranhamente não ocorre aqui ) e Stone Flower ( Jobim ).
@@@@ 1/2

Fechando essa mini maratona musical BILL CHARLAP Trio ( Village Vanguard ) pois afinal ir a grande maça e não assistir a um trio "fala sério" e que trio é esse, Charlap em grande forma com os Washington, que não são irmãos Peter (b) e Kenny (ds) em total sintonia, quebrando tudo e não a toa fazendo 2 semanas no Vanguard, que por si só já diz tudo.
@@@@@

É isso, só faltando o blues do guitarrista inglês MATT SCHOFIELD ( Iridium ) dica do Guzz e que fica para outro tipo de coluna.

A ressaltar e enaltecer a companhia do cejubiano sumido L. Carlos Fraga, que só fez aumentar ainda mais o brilho da temporada, fechando com PAT METHENY UNITY BAND ( Town Hall ).