Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

THE JUBILEE SHOWS # 12

07 maio 2010





JUBILEE SHOWS foi uma série de programas produzidos pela Armed Forces Radio Service (AFRS) durante a II Guerra Mundial para as estações de rádio e serviços de alto-falantes militares.
Apresentamos parte da edição gravada em novembro de 1943 no estúdio-auditório da NBC em Hollywood, Los Angeles.
Nesta audição: NOBLE SISSLE AND HIS ORCHESTRA, BARNEY BIGARD e SISTER ROSETTA THARPE.
1. ABERTURA – com o tema One O'Clock Jump (Basie) – locutor Vermon Smith e o Mestre de Cerimônia - Ernie "Bubles" Whitman.
Formação da Noble Sissle Orchestra: Edna Williams, Wendell Cully, George Winfield, Demas Dean (tp), Niccolaiih El Michelle aka Herb Fleming, Chester Burrill (tb), Jerome Don Pasquall (cl, sa), Ben Whitted, Eugene Mikell (sa), Paul Cubinar (st), Harry Brooks (pi), Jimmy Jones (bx) e Wilbert Kirk (bat).
Sissle nasceu em Indianapolis, Indiana, em 10 de julho de 1889, compositor, maestro, cantor e instrumentista. Organizou uma banda em Indianapolis, 1915, mudou-se para Baltimore e encontrou Eubie Blake, 1915. Em 1917 se juntou com a orquestra de dança de James Reese Europe, e viajou pela Europa com 369 Infantaria Regimental Band. De 1917 a1919; E.U. excursionou com Blake como Dixie Duo. Com Blake, escreveu os musicais Shuffle Along, 1921e Chocolate Dandies, 1924. Com uma grande orquestra excursionou por todo os EUA e Europa. Trabalhou como disc-jóquei em Nova York até meados dos anos 1950. Faleceu em dezembro de 1975.


2. SKATER'S WALTZ (Waldteufel) – com a Noble Sissle Orchestra.

3. C JAM BLUES (Duke Ellington) – grande clássico de Ellington com Barney Bigard acompanhado pelo pianista Phill Moore, trompetista McCloure Morris, baixo e bateria de Sissle. Bigard era um creole nascido em New Orleans, estudou música e clarineta com Lorenzo Tio. Ele se mudou para Chicago no início dos anos 1920, onde trabalhou com Joe "King" Oliver. Durante este período, grande parte de suas gravações foi com Oliver e outros, incluindo o clarinetista Johnny Dodds. Em 1927 se juntou à banda de Duke Ellington, em Nova York, onde permaneceu até 1942. Com Ellington, ele foi o solista de clarinete em destaque, ao mesmo tempo fazendo alguns trabalhos na seção dos saxes com o tenor o qual executava também com grande destreza.
4.HEY, LAWDY MAMA (Amos Easton) – aqui a banda de Sissle com uma curiosidade a trompetista Edna Williams também vocaliza com ótima interpretação. The International Sweethearts of Rhythm foi a primeira banda integrada só de mulheres nos Estados Unidos. Durante a década de 1940 a banda contava com alguns dos melhores músicos do sexo feminino. Executavam o jazz, em um circuito nacional, que incluiu o Teatro Apollo em Nova York, o Regal Theater em Chicago e o Teatro Howard em Washington. Tem sido identificado como "a mais importante e provavelmente a melhor agregação feminina da era Big Band" da qual Edna foi a trompetista "lead" e eventual vocalista.
5.THAT'S ALL (Tradicional) – Rosetta Tharpe (1915 1973) foi uma cantora pioneira do gospel, também compositora e guitarrista alcançou grande popularidade nos anos 1930 e 1940 com uma original mistura de spirituals e acompanhamento jazzístico. Ela se tornou a primeira grande estrela da gravação da música gospel ao final dos anos 1930.

6.BLUES IN THE NIGHT (Harold Arlen, Johnny Mercer) – canção que se tornou sucesso popular considerada como parte do Great American Songbook. Composta em 1941 para introdução do filme Hot Nocturne depois lançado com o título de "Blues in the Night". Foi uma das nove canções nominadas pela Academy Award for Best Original Song. É um blues levado em "eight-to-the-bar", ou seja um boobie-woogie orquestrado, mas naturalmente como boogie destaca-se o pianista Harry Brooks.
7.ENCERRAMENTO – com o tema One O'Clock Jump pela Noble Sissle Orchestra.
Fonte: CD - THE JUBILLE SHOWS Vol.10 – produção de Carl. A. Hällström – Storyville Records (501 1010) – Alemanha – 2005.


Um comentário:

APÓSTOLO disse...

Estimado MÁRIO JORGE:

Belo resgate, com um time de respeito.
Mais um gol de placa ! ! !