Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MUSEU DE CERA # 45 - COW COW DAVENPORT

01 setembro 2008

Charles "Cow Cow" Davenport pianista, cantor e compositor talvez seja mais lembrado pelo seu famoso "Cow Cow Blues" um dos mais antigos exemplos gravados do início do gênero boogie-woogie. Nasceu no Alabama a 23/abril/1894 e aprendeu piano e órgão com sua mãe, na igreja de seu pai pastor protestante. Aos 17 anos foi expulso do Alabama Theological Seminary por executar uma peça sacra ao estilo ragtime durante um ato religioso. Davenport ao desgostar o pai teve que sair de casa em busca de sustento passando a atuar em espetáculos de vaudeville. Excursionou no circuito TOBA — sigla de Theatre Owners Booking Association uma organização tipo sindical de empresários que agenciava atrações para shows com artistas negros incluindo bandas de Jazz e cantoras de blues e aí criou uma apresentação intitulada — Davenport and Company with Blues com a cantora Dora Carr, inclusive gravando juntos em 1925 e 26. A dupla se desfez com o casamento de Dora.
Davenport tocou com a cantora Ivy Smith em 1928 e trabalhou como "caçador" de talentos musicais para as gravadoras Brunswick e Vocalion. Em 1930 fixou-se em Cleveland, Ohio e retornou ao circuito TOBA. Uma de suas últimas gravações foi com Sammy Price em maio de 1938 quando logo após sofreu um AVC paralizando seu braço e mão direita e conseqüentemente sua carreira de pianista. Contudo se manteve como cantor de blues e ao final dos anos 40 conseguiu recuperar a força em seus movimentos voltando a tocar o piano, retornando às gravações em 1945 tanto sozinho quanto com o grupo — Art Hodes Jazz Record Six.
No início dos anos 40 trabalhava em uma lavanderia quando em fins de 1942 com a Freddie Slack's Orchestra gravou "Cow Cow Boogie" com vocal por Ella Mae Morse então com 17 anos, conquistando um disco de ouro no selo Capitol o que revitalizou o interesse pela música de Davenport e pelo boogie-woogie, chegando este a ser um modismo dos anos 40. Infelizmente Davenport pouco conseguiu aproveitar ficando doente aparentando problemas cardíacos e vindo a falecer em 1955.
Seu estranho cognome COW COW foi adquirido com a execução de Railroad Blues na qual Davenport cantava uma parte em que descrevia de que modo um certo vagabundo da estrada de ferro (hobo) subira e viajara no limpa-trilhos (cow-catcher). O blues se tornou — Cow Cow Blues e Charles Cow Cow Davenport.
Selecionamos duas gravações — o grande clássico do piano boogie — Cow Cow Blues (não ser confundido com Cow Cow Boogie – com música e letra por Don Raye, Gene DePaul e Benny Carter de 1941) e um interessante tema — Dirty Ground Hog Blues onde Davenport canta o blues.
O estilo de Davenport é o que se pode chamar de piano rudimentar praticado nos honky-tonks e barrelhouses nos anos de 1910 a 20, cujo repertório cobria os blues, ragtimes, stomps e boogie às vezes em uma mesma peça os gêneros se mesclavam.
COW COW BLUES (Charles Davenport) – Cow Cow Davenport em rolo de pianola
Gravação original: Brunswick BR 80022 – (mx. C 2063B) - 16/7/1928
DIRTY GROUND HOG BLUES - (Charles Davenport) – Cow Cow Davenport piano e vocal.
Gravação original: Vocalion 1227 – (mx. C 2478) - 25/10/1928
Fonte: CD — Complete Recorded Works Vol. 1 (1925-29) por Cow Cow Davenport – selo Document – DOCD 5141 – jun 1994 – USA
.

Boomp3.com

Boomp3.com

Nenhum comentário: