Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

A RECESSÃO AMERICANA E A MÚSICA QUE DESAPARECE DA MANHATTAN ELEGANTE

04 maio 2008

O período de recessão que vive a economia americana também está tirando os músicos de cena.

Stephen Holden conta na coluna de música do New York Times que a voz e o piano de Daryl Sherman foram cortados do lobby-bar do Waldorf-Astoria.

Daryl tinha uma expressão musical fora de série, seu repertório era de primeira, sempre com mudanças surpreendentes de acordes e sua voz era angelical.

O lobby do Waldorf-Astoria sempre esteve com boa frequencia nas cocktail hours, a maioria ia lá por causa da Daryl, ouvir sua voz e seu piano.

O piano que ela toca pertenceu a Cole Porter, que lá morou por vários anos, é um Steinway construido em 1907, que foi presenteado ao hotel por Porter em 1945. O piano foi movido para o lobby após sua morte em 1964.

O Waldorf-Astoria foi o último hotel conhecido por ter um piano no lobby. Após sua venda para o Blackstone Group, Daryl recebeu sua recisão contratual, sob alegação de corte de despesas.

Para quem quiser conhecer que grande perda foi para o Waldorf-Astoria, escute trechos de música de Daryl Sherman em:
http://www.amazon.com/Guess-Whos-Town-Daryl-Sherman/dp/B000KRN0CI

Nenhum comentário: