Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

DO OUTRO LADO DO JAZZ # 23

20 agosto 2007
























A DANÇA E O JAZZ (parte II) - A música sincopada de New Orleans a partir dos anos de 1913 e 14 tornou-se o acompanhamento mais em moda para a dança que invadia os salões de New York, principalmente os freqüentados por brancos da ilha de Manhattan. Em todos os cabarés e restaurantes da cidade passou a existir um conjunto com música sincopada. Note-se que frisamos MÚSICA SINCOPADA, já que o Jazz realmente viria se impor um pouco mais tarde.
Um dos responsáveis foi o músico e maestro negro James Reese Europe, o Jim Europe como era mais conhecido, que dirigia nessa época uma orquestra de dança atuando nos principais acontecimentos sociais de Nova York.
O outro responsável por esta euforia “sincopada-dançante” foi um casal de dançarinos brancos Vernon e Irene Castle. Todas as tardes os Castle se apresentavam no salão Castle House em Manhattan acompanhados pela banda de Jim Europe. Seus modos de dançar faziam enorme sucesso, talvez por atuarem de forma menos convencional para a época, precursores que foram de padrões sociais mais liberais antecipando as maneiras e atitudes que seriam correntes na Era do Jazz nos anos seguintes.
Irene, jovem e bela encrespava os cabelos, fumava em público, não usava mais espartilhos, enfim incorporava beleza e atitudes modernas. Vernon, alto e magro, de uma elegância impecável, inteiramente inglês. As mulheres afluíam para as aulas em que Vernon ensinava os novos passos, uma escola de dança social como era chamada e que revolucionaria os hábitos sociais-dançantes da América do Norte.
As danças executadas pelos Castles eram de origem afro-americana e requeriam músicas saltitantes e as bandas de New York não as executavam da forma que Vernon gostaria. Após ver a James Reese Europe's Society Orchestra atuar em uma grande festa Vernon convidou Europe para acompanhar o casal em suas exibições. Logo depois, a Victor Talking Records oferecia um contrato para a orquestra gravar, era a primeira vez que uma banda de negros conseguia um contrato de uma grande companhia fonográfica.
Em janeiro de 1914 os Castles passaram a se apresentar no Palace Theater e no Hammersteins' Victoria Theatre em New York principais redutos do show business à época. Contudo um impasse surgiu pela banda ser de músicos de raça negra e terem que dividir espaço com a banda branca da casa que fazia parte também do espetáculo. Vernon insistiu sobremodo que a banda para acompanhá-lo teria que ser a Europe's Society. Alguma confusão até que tudo foi resolvido e a banda durante as danças dos Castles sentaria no palco e não no poço da orquestra (incrível a ignorância de tal segregação, até porque a banda no palco ficava muito mais destacada!).
De qualquer forma era a primeira vez que músicos negros atuavam nos "New York Vaudeville Theatres". A música de Europe não era Jazz propriamente e sim Ragtime, embora tenha sido parte importante na transição do desenvolvimento do Jazz em New York, pré-divulgando a música que viria do sul e acabaria dominando inteiramente o cenário musical da cidade.
O período conhecido como a Era do Jazz refere-se aos anos 20 quando o Jazz invadiu os salões de Nova York e partiu também para a Europa, principalmente a França. Não se pode esquecer que foi uma época de muita dança a qual foi apresentada ao mundo por Vernon e Irene Castle que introduziram uma série de passos, variações e estilos sendo um dos mais notáveis o FOX-TROT.
Podemos agora recriar o ambiente musical do salão dos Castles com a Europe's Society Orchestra conduzida pelo maestro Jim Europe e o medley com os maiores sucessos: Castle Walk (J R Europe/Ford Dabneye); Too Much Mustard (Cecil Macklin); Castle House Rag (J R Europe); e You're Here and I'm Here (Jerome Kern) – gravações Victor de 1914. (Tempo total: 6:44min)


Nenhum comentário: