Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

30 maio 2007

RETRATOS
03. BILL EVANS (B)
Início da Discografia Resumida

A carreira discográfica de Bill Evans iniciou-se em 1954 (New York), então com 25 anos, caminhando durante 26 anos de muito trabalho artístico até Setembro/1980 no “Keystone Corner” em San Francisco / Califórnia, aos 51 anos, contabilizando cerca de 1.800 registros (“faixas”): a imensa maioria foi de temas lançados discograficamente no mercado, além de diversos “alternate takes” e umas poucas entrevistas. Foi indicado para o “Grammy” em 03 oportunidades. A prática totalidade de suas gravações com formação, data e local perfeitamente identificados, mas com alguns poucos em que não há precisão quanto à data, ao local e/ou à constituição do grupo integrante da gravação.

Esses registros de Bill Evans também foram lançados no mercado em diversas coletâneas, mediante dezenas de acordos paralelos entre as gravadoras detentoras das matrizes originais e os distribuidores em cada caso. Há coletâneas que não cuidaram bem do produto, enquanto outras constituem-se em documentos sérios e bem tratados. Tomamos como bom exemplo a coleção “The Jazz Masters” (101 CD’s e 03 volumes, Ediciones Folio S.A., 1ª Edição, 1996, Espanha, tradução para o português), que teve reedição de 13 CD’s pela “Delira Música” em sua “Série Jazz”; o CD nº 13 da coleção original é dedicado a Bill Evans e recebeu, de J.D.Raffaelli e nessa reedição, as concisas e precisas notas do encarte; é album “obrigatório” em qualquer discoteca de JAZZ, pela reunião de temas clássicos ou tornados clássicos por Bill Evans, entre composições suas e de terceiros: “Waltz For Debby”, “Nardis”, “Time Remembered”, “Twelve Tone Tune”, “What Are You Doing For The Rest Of Your Life?” e outros.

Considerando a alta qualidade da maior parte dos registros com a participação de Bill Evans, em estúdio ou ao vivo, é extremamente arriscada e direcionada pelo gosto pessoal a aventura de “selecionar o melhor” desse músico impar. Por esse motivo a discografia resumida de Bill Evans que será apresentada nesse “RETRATO” deverá contar com a indulgência de nossos prezados colegas Cjubianos, sendo certo que quaisquer consultas que façam em seus comentários será devidamente respondida com maiores detalhes.

A primeira gravação de Bill Evans, então com 25 anos, aconteceu em 1954 (única gravação nesse ano), em New York, com a banda de Jerry Wald, como a seguir.

Jerry Wald And His Orchestra (arranjos de Al Cohn)
Jerry Wald (clarinete), Bill Evans (piano) e músicos não identificados.
1954, New York. Algum da MGM: “Jerry Wald And His Orchestra”.
01. I Love Paris
02. My Love My Love
03. Many Times
04. Ebb Tide
05. Changing Partners
06. Rags To Riches
07. You Alone
08. The Moon Is Blue

Em 1955 e 1956 Bill Evans grava com a vocalista Lucy Reed, com o quarteto do guitarrista Dick Garcia, com Jerry Wald (vide sua primeira gravação) e em sexteto com George Russell.

George Russell Sextet
Art Farmer (trumpete), Hal McKusick (sax.alto e flauta), Bill Evans (piano), Barry Galbraith (guitarra), Milt Hinton (baixo) e Joe Harris (bateria).
31/03/1956, New York. Album da RCA Victor: “George Russell - Jazz Workshop”.
01. Ezz-thetic
02. Jack's Blues
03. Ye Hypocrite Ye Belzebub
04. Livingstone I Presume

Também em 1956 grava diversas vezes com a banda, o tenteto e o quarteto do clarinetista Tony Scott (o primeiro a perceber o potencial de Bill Evans) e grava seu primeiro piano-solo, em album que se tornou item de colecionador por já prenunciar um pianismo personalíssimo.

Bill Evans Solo
Bill Evans (piano)
18/09/1956, New York. Album da Riverside: “Bill Evans - New Jazz Conceptions”.
01. I Got It Bad And That Ain't Good
02. Waltz For Debby
03. My Romance

Em New York (1956) Bill Evans registra suas primeiras gravações em trio (piano / baixo / bateria), formação que será sua preferida até o final.

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Teddy Kotick (baixo) e Paul Motian (bateria).
27/09/1956, New York. Album da Milestone: “Bill Evans – Conception”. Albuns da Riverside: “Bill Evans - New Jazz Conceptions” (também Fantasy OJC) e “Various Artists - 8 Ways To Jazz: Cole Porter Compositions”.
01. I Love You
02. Five
03. Conception
04. Easy Living
05. Displacement
06. Speak Low
07. Our Delight
08. No Cover, No Minimum (takes 1 e 2)

Finalizando 1956 Bill Evans volta a gravar com George Russell, com a orquestra de Tony Scott e em duo com o vibrafonista e percussionista Don Elliot.

Em 1957 grava com a orquestra de Tony Scott, com a orquestra de Gunther Schuller / George Russell em festival de JAZZ, em trio e quarteto com o guitarrista Joe Puma, em quarteto e no “Newport Jazz Festival” com Don Elliot e, para o selo Bethlehem, com o sexteto de Charles Mingus.

Charles Mingus Sextet
Clarence Shaw (trumpete), Curtis Porter (saxes alto e tenor), Jimmy Knepper (trombone), Bill Evans (piano), Charles Mingus (baixo) e Dannie Richmond (bateria).
06/08/1957, Cincinnati, Ohio. Albuns da Bethlehem: “East Coasting By Charles Mingus”, “Various Artists - Golden Jazz Instrumentals” e “Charles Mingus - Street Blues, Pt. 1&2”.
01. 51st Street Blues, parte 1
02. 51st Street Blues, parte 2
03. East Coasting
04. East Coasting (alternate take)
05. Memories Of You
06. Memories Of You (alternate take)
07. West Coast Ghost
08. Conversation
09. Celia

Segue gravando em 1957: com o quinteto do trombonista Jimmy Knepper, com o sexteto do baritonista Sahib Shihab (participação de Phil Woods, Benny Golson, Oscar Pettiford e Art Taylor), com os quarteto, quinteto e sexteto de Tonny Scott e, no estúdio de Rudy Van Gelder, com formação “all stars”.

1958 é ano com muitas gravações, iniciadas com o quarteto de Eddie Costa, seguindo-se novo encontro com Don Elliott, com a vocalista Helen Merrill (Bobby Jaspar na flauta), em diversas formações com o altoista Hal McKusick e, ai mais um marco, as formações históricas de Miles Davis (testemunhando o extraordinário talento de arregimentador de Miles).

Miles Davis Quintet (Leonard Feather e Dan Morgenstern como MC’s)
Miles Davis (trumpete), John Coltrane (sax.tenor), Bill Evans (piano), Paul Chambers (baixo), Philly Joe Jones (bateria).
17/05/1958, Café Bohemia, New York, transmitido via rádio. Album da Prestige: “Miles Davis - The Legendary Prestige Quintet Sessions”. Albuns da Jazz Band: “Miles Davis All Stars Featuring John Coltrane And Bill Evans” e “Miles Davis All Stars Live In 1958-59 Featuring John Coltrane”. Album da Chakra: “Miles Davis - Makin' Wax”.
01. Four Plus One More
02. Bye Bye Blackbird
03. Walkin' (No Blues)
04. Two Bass Hit - incompleto e arrematado com Wha' Happned

Miles Davis Sextet
Miles Davis (trumpete), Cannonball Adderley (sax.alto), John Coltrane (sax.tenor), Bill Evans (piano), Paul Chambers (baixo) e Jimmy Cobb (bateria).
26/05/1958, Studios Columbia, New York. Albuns da CBS / Sony: “Miles Davis - Jazz Tracks”, “Miles Davis - 1958 Miles”, “Miles Davis - '58 Sessions”, “The Complete Columbia Recordings Of Miles Davis With John Coltrane”, “Miles Davis - Black Giants” e “Miles Davis - Circle In The Round”.
01. On Green Dolphin Street
02. Fran-Dance
03. Fran-Dance (alternate take)
04. Stella By Starlight
05. Love For Sale

Segue-se gravação com orquestra dirigida por Michel Legrand (o notável album da Colúmbia “Legrand Jazz”) e com o quinteto de Julian “Cannonball” Adderley, ambos em New York, no Festival de Newport e no Spotlight Lounge de Washington (DC) com o sexteto de Miles Davis e, em continuação, com os sextetos de “Cannonball” Adderley e de Miles Davis, com o quinteto de Art Farmer, a orquestra de George Russell e novas gravações em trio.
Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Sam Jones (baixo) e Philly Joe Jones (bateria).
15/12/1958, New York. Album da Riverside: “Everybody Digs Bill Evans”. Albuns da Milestone: “Bill Evans – Conception” e “Bill Evans - Time Remembered “.
01. Minority
02. Young And Foolish
03. Lucky To Be Me
04. Night And Day
05. Epilogue
06. Tenderly
07. Peace Piece
08. What Is There To Say?
09. Oleo
10. Epilogue
11. Some Other Time

O ano de 1958 termina com Bill Evans gravando para o vocalista Johnny Pace (com o quinteto de Chet Baker) e com o “Chet Baker Septet”.

Chet Baker Septet
Chet Baker (trumpete), Herbie Mann (flauta), Pepper Adams (sax.barítono), Bill Evans (piano), Kenny Burrell (guitarra), Paul Chambers (baixo) e Connie Kay (bateria).
30/12/1958, New York. Album da Riverside (também Fantasy): “Chet Baker – Chet”.
01. Alone Together
02. How High The Moon
03. It Never Entered My Mind
04. If You Could See Me Now
05. You'd Be So Nice To Come Home To

Durante 1959 Bill Evans grava com a “big band” de Bill Pots, em trio e com formação de Chet Baker, sempre em New York.

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Paul Chambers (baixo) e Philly Joe Jones (bateria).
19/01/1959, New York. Albuns da Milestone: “Bill Evans - Peace Piece And Other Pieces” e “Bill Evans - On Green Dolphin Street”.
01. You And The Night And The Music
02. How Am I To Know?
03. Woody'n You (takes 1 e 2)
04. My Heart Stood Still
05. On Green Dolphin Street

Chet Baker Septet
Chet Baker (trumpete), Herbie Mann (flauta), Pepper Adams (sax.barítono), Bill Evans (piano), Kenny Burrell (guitarra), Paul Chambers (baixo) e Philly Joe Jones (bateria).
19/01/1959, New York. Albuns da Riverside (também Fantasy OJC): “Chet Baker – Chet” e “Various Artists - New Blue Horns”.
01. 'Tis Autumn
02. Time On My Hands
03. You And The Night And The Music
04. Early Morning Mood - Early Morning Blues

Seguem-se gravações com os quintetos de Warne Marsh (em Fevereiro e no início do verão) e de Bob Brookmeyer, intercaladas com as do sexteto de Miles Davis (Março e Abril)

Miles Davis Sextet
Miles Davis (trumpete), Cannonball Adderley (sax.alto), John Coltrane (sax.tenor), Bill Evans (piano), Paul Chambers (baixo) e Jimmy Cobb (bateria).
02/03 e 06/04/1959, Columbia 30th Street Studios (“a Igreja”), New York. Albuns da Columbia: “Miles Davis - Kind Of Blue” e “Miles Davis - The Columbia Years 1955-1985”. Album da Mosaic: “The Complete Columbia Recordings Of Miles Davis With John Coltrane”.
01. So What
02. Blue In Green
03. Flamenco Sketches
04. Miles Davis comments
05. Flamenco Sketches (alternate take)
06 All Blues

Esse mesmo ano de 1959 marca as gravações com a orquestra de John Lewis, com Lee Konitz / Jimmy Giuffre, com as orquestras de George Russell, Manny Albam e Teo Macero, com Chet Baker, Tony Scott e novamente com Lee Konitz, para finalmente em Dezembro voltar a gravar em trio, então e pela primeira vez com o jovem e inovador contrabaixista Scott LaFaro.

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Scott LaFaro (baixo) e Paul Motian (bateria).
28/12/1959, New York. Album da Prestige: “Various Artists - Piano Giants”. Album da Milestone: “Bill Evans - Spring Leaves”. Album da Riverside (também Fantasy OJC): “Bill Evans - Portrait In Jazz”.
01. Come Rain Or Come Shine
02. Autumn Leaves (mono take)
03. Autumn Leaves (take 1) (stereo take)
04. Witchcraft
05. When I Fall In Love
06. Peri's Scope
07. What Is This Thing Called Love?
08. Spring Is Here
09. Someday My Prince Will Come
10. Blue In Green (takes 2 e 3)

Em 1960 Bill Evans inicia suas gravações acompanhando o vocalista Frank Minion, para depois engrenar seguidas apresentações no “Birdland” com o trio Evans / LaFaro / Motian.
Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Scott LaFaro (baixo) e Paul Motian (bateria).
12 e 19/03, 30/04 e 07/05/1960, Birdland, New York. Album da Alto: “Bill Evans - A Rare Original”. Álbum da Cool & Blue: “Bill Evans - The 1960 Birdland Sessions”. Album da Session Disc: “Hooray For Bill Evans Trio”.
01. Autumn Leaves
02. Our Delight
03. Beautiful Love / Five
04. Autumn Leaves
05. Come Rain Or Come Shine / Five
06. Come Rain Or Come Shine
07. Nardis / Blue In Green
08. Autumn Leaves
09. All Of You
10. Come Rain Or Come Shine
11. Speak Low

Entre essas apresentações e após as mesmas, Bill Evans gravou com o sexteto do percussionista Earl Zindars, com a orquestra de George Russell, diversas sessões com o quinteto de J.J.Johnson / Kai Winding, fechando o ano com a orquestra de John Lewis / Gunther Schüller / Jim Hall (em que atuaram Eric Dolphy e Ornette Coleman).

1961 vai encontrar Bill Evans gravando ao lado de “Cannonball” Adderley e 50% do M.J.Q. (Percy Heath e Connie Kay) em Janeiro, Fevereiro e Março. Em Fevereiro gravou também com seu trio (Scott LaFaro e Paul Motian), assim como nas apresentações do dia 25/06 no “Village Vanguard” (matinês e soirês).

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Scott LaFaro (baixo) e Paul Motian (bateria).
02/02/1961, New York. Album da Riverside: “Bill Evans – Explorations”. Album da Milestone: “Bill Evans - Spring Leaves”.
01. Israel
02. Haunted Heart
03. Beautiful Love (take 1)
04. Elsa
05. Nardis
06. How Deep Is The Ocean ?
07. I Wish I Knew
08. Sweet And Lovely
09. Beautiful Love (take 2)
10. The Boy Next Door

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Scott LaFaro (baixo) e Paul Motian (bateria).
25/06/1961, "Village Vanguard" (05 entradas), New York. Albuns da Riverside: “Bill Evans - The Complete Live At The Village Vanguard 1961” e “Bill Evans - Waltz For Debby” e “ Bill Evans - More From The Vanguard”. Albuns da Milestone: “Bill Evans - The Village Vanguard Sessions” e “Bill Evans - On Green Dolphin Street”. Album da Fantasy: “Bill Evans - Sunday At The Village Vanguard”.
01. Gloria's Step (takes 1, 2 e 3)
02. Alice In Wonderland (takes 1 e 2)
03. My Foolish Heart
04. All Of You (takes 1, 2 e 3)
05. My Romance (take 1 e 2)
06. Some Other Time
07. Solar
08. My Man's Gone Now
09. Detour Ahead (takes 1 e 2)
10. Waltz For Debby (takes 1 e 2)
11. I Loves You, Porgy
12. Milestones
13. Jade Visions (takes 1 e 2)

Em Fevereiro Bill Evans havia gravado com Oliver Nelson (Freddie Hubbard ao trumpete) e em Outubro, Novembro e Dezembro, respectivamente com a orquestra de Ernie Wilkins (acompanhando o vocal de Mark Murphy), com o quarteto do vibrafonista Dave Pike e, com seu trio renovado (Chuck Israels substituindo Scott LaFaro, morto em acidente automobilístico) acompanhando Herbie Mann.

Com seu novo trio Bill Evans gravou em 1962 nos meses de Fevereiro, Maio, Junho e Julho, entremeando gravações em álbum.solo (“Bill Evans – Conception” para a Milestone), com as orquestras de Tadd Dameron e de Benny Golson, em duo com o guintarrista Jim Hall, novamente com seu trio e Herbie Mann e o álbum “Empathy” para a Verve, com a primorosa faixa “Let's Go Back To The Waltz”:
Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Monty Budwig (baixo) e Shelly Manne (bateria)
14/08/1962, New York. Album da Verve: “Bill Evans/Shelly Manne – Empathy”.
01. The Washington Twist
02. Danny Boy
03. Let's Go Back To The Waltz
04. With A Song In My Heart
05. Goodbye
06 I Believe In You

As gravações em piano.solo e em trio marcarão o ano de 1963, com a produção do álbum “Bill Evans - Conversations With Myself”.

Bill Evans Solo
Bill Evans (piano).
06 e 09/02/1963, New York. Album da Verve: “Bill Evans - Conversations With Myself”.
01. N.Y.C.'s No Lark
02. How About You?
03. Just You, Just Me
04. A Sleepin' Bee
05. Stella By Starlight
06. Hey There
07. 'Round About Midnight
08. Love Theme From "Spartacus"
09. Blue Monk

Nesse ano de 1963 Bill Evans gravou também com as orquestras de Claus Ogerman e do vibrafonista Gary McFarland.

As gravações de Bill Evans em 1964 iniciam-se sómente em Maio, em trio e apoiando Stan Getz, prosseguem em trio, agora com Chuck Israels e Larry Bunker, para fechar o ano em Estocolmo / Suécia acompanhando a vocalista Mônica Zetterlund e com esse mesmo trio.

Em 1965 Bill Evans grava o álbum preferido de André TandetaBill Evans – Trio ’65".

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Chuck Israels (baixo) e Larry Bunker (bateria).
03/02/1965, New York. Albuns da Verve: “Bill Evans - Trio '65” e “Bill Evans - How My Heart Sings With Who Can I Turn To?”.
01. Israel
02. Elsa
03. 'Round About Midnight
04.Love Is Here To Stay
05. How My Heart Sings
06. Who Can I Turn To?
07. Come Rain Or Come Shine
08. If You Could See Me Now

Bill Evans excursiona durante 1965, apresentando-se em Paris, Londres, Copenhaguem e Estocolmo, sempre em trio (Chuck Israels e Larry Bunker), além de apresentar-se em Berlim com Lee Konitz (sax.alto), Niels-Henning Orsted Pedersen (baixo) e Alan Dawson (bateria) em 29/10/1965. Participa ainda, em Berlim, do “Piano Summit” ao lado de Jaki Byard, Earl Hines, John Lewis, Lennie Tristano e Teddy Wilson, evento registrado pela Philology no álbum “Various Artists - Piano Summit”.

1966 é um ano de gravações em trio no “Town Hall” e no “Village Vanguard”, assim como em duo com o guitarrista Jim Hall (Abril e Maio). A formação do “trio” de Bill Evans nesse ano flutua com Eddie Gómez, Teddy Kotick e Chuck Israels no baixo, assim como Arnold Wise, Alex Riel e Shelly Manne na bateria.

Bill Evans Trio
Bill Evans (piano), Eddie Gomez (baixo) e Arnie Wise (bateria).
21/10, 10 e 12/11/1966, Village Vanguard, New York. Album da Milestone: “Bill Evans – The Secret Sessions”.
01. Gloria's Step
02. Nardis
03. Someday My Prince Will Come
04. Who Can I Turn To? (When Nobody Needs Me)
05. Come Rain Or Come Shine
06. If You Could See Me Now
07. Spring Is Here
08. Person I Knew
09. A Sleepin' Bee
10. Emily
11. Alfie
12. Walkin' Up
13. You're Gonna Hear From Me
14. Some Other Time
15. I'll Remember April
16. Alice In Wonderland
17. I Love You

Conclusão da Discografia Resumida em (C).

Nenhum comentário: