Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

02 setembro 2009


CHRIS CONNOR ( 1928- 2009)
De vez em quando a gente se surpreende com o falecimento de um artista, em relação a sua idade. Como imaginar Chris Connor com 81 anos ? Parece que foi ontem que a “Nictheroy Crew” foi incorporada para o aeroporto Santos Dumont receber os músicos do magnífico grupo “American Jazz Festival” do qual a cantora fazia parte. Já de posse de seu álbum de 10” , “Chris Connor sings Lullabys of Birdland”, solicitamos seu autógrafo que ela gentilmente c oncedeu. Só a noite fomos revê-la no palco do Municipal fazendo um set muito bonito, acompanhada por Ronnie Ball (p)- Bem Tucker (b) e Dave Bailkey (dm). Houve qualquer coisa que atrasou sua presença no palco. Willis Connover, que era o apresentador chamou-a várias vezes e Chris não aparecia. O trio engrenou um número extra até a sua chegada, quando então Chris assumiu o microfone e deu um show. Por sorte tudo foi gravado e anos depois o selo Imagem lançava dois álbuns com trechos daquele maravilhoso concerto. Viajamos um pouco até dizer que Chris Connor hoje é saudade. Faleceu em 26 de agosto. Ficam seus excelentes discos para que possamos recordá-la.
RIP

5 comentários:

APÓSTOLO disse...

Mestre LULA:

Essa foi uma das "grandes", sem estardalhaço mas com muita classe.
Quando nos últimos anos leio sobre novas "cantoras", fico pasmo diante do que não sabem.
CHRIS não morreu, apenas deixou-nos.

Nelson disse...

Inefáveis momentos daquela noite, onde quem conhecia e gostava da música de jazz, la estava para ver um grupo de "cobras", no ofício.
Chris, teve que tomar uma injeção (na capa do LP da IMAGEM - selo do Jonas Silva, o nosso "célebre" das "Lojas Murray" - aparece o esparadrapo colado no braço)para poder entrar em palco. Botou a platéia extasiada.
Essa era a verdadeira "loura do jazz".
Descanse em paz e, obrigado pelos grandes momentos de sua arte, que nos proporcionou ao vivo e em disco.
Nelson Reis

Érico Cordeiro disse...

Lamentável a perda de uma artista maravilhosa.
Em homenagem a essa grande dama do jazz, ouço-a ao lado do grande Maynard Ferguson, no disco Double Exposure.
Registro triste também a perda do pianista Eddie Higgins, conforme informa o blog do amigo lusitano Pescador.
R.I.P.

edú disse...

Seu almanaque musical dedicado a obra de Gershwin é uma das melhores realizações de uma cantora de jazz em tributo a um grande compositor.

MaJor disse...

Edú boa lembrança, é realmente sensacional o Chris Connor Sings The George Gershwin Almanac Of Song em 2 CDs, para quem gosta de Connor imperdível (e quem não gostaria?).