Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

03 março 2009

EM FASE TROMPÉTICA

Ligado nos trompetes em geral depois do advento na minha vida da caixa do Kind of Blue, estava dando uma olhada ao redor e topei com essa gravação de fevereiro de 2007 no Auditorium di Roma, do craque Fabrizio Bosso, mais um componente da superlativa "squadra" de trompetistas da Italia, que os vem produzindo, todos excelentes, mais ou menos como a Espanha produz tenistas de primeiro escalão.

O vídeo é uma boa montagem de dois temas, o primeiro Estate, no qual Bosso, sempre ao flugelhorn, mostra-se lírico, com uma emissão equilibrada e sutil; e o segundo, que não pude identificar, onde demonstra domínio no fraseado em uptempo e na capacidade de improvisação, a ponto de fazer rir a seus colegas de palco. Um craque.

2 comentários:

APÓSTOLO disse...

Há poucos dias comentei que, por intermédio do trumpetista AUSTIN ROBERTS (Traditional Jazz Band Brasil), tomei conhecimento da arte de Fabrizio Bosso.
Fraseado, respiração, swing, domínio absoluto da digitação, encantou-me em duo com o carioca de Bangú Irio de Paula, um senhor domínio de harmonias.

Mau Nah disse...

Apóstolo,
aqui tem um link prum gostoso Summer Samba deles no YouTube;
http://www.youtube.com/watch?v=eNCD2wmJKuI
O Irio é guitarrista com todos os predicados e leva dos ritmos brasileiros com maestria ao jazz com quase que a mesma fluência.
Apresentaram-se juntos em quase todos os festivais do último verão, na Itália (que somados, devem dar em torno de 200! Até na Sicília descobriram o jazz, menos no Rio de Janeiro).
Abs.