Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

15 maio 2007

MUSEU DE CERA # 20 – CHICK WEBB


William Henry "Chick" Webb baterista e chefe de orquestra nascido em Baltimore a 10/fev/1909, apaixona-se pela percussão ao acompanhar pelas ruas as fanfarras e vendendo jornais consegue juntar capital para o primeiro "drum set". Suas primeiras atuações foram na Jazzola Band do guitarrista John Trueheart. Em 1924 segue para New York com Edward Dowell e ao conhecer Duke Ellington e incentivado por este acaba por formar um quinteto os Harlem Stompers onde atuavam Johnny Hodges e Bobby Stark estreando no Black Bottom Club e depois no Paddock Club em 1926. A partir de 1931 acaba por se tornar a vedete do fantástico Savoy Ballroom o principal dancing do Harlem, já liderando uma grande orquestra que contava com os trompetistas Mario Bauza e Taft Jordan, os trombones de Sandy Williams e Claude Jones, do pioneiro flautista William Carver e com os saxofones de Hilton Jefferson, Louis Jordan e Edgar Sampson, o baixo de John Kirby e seu amigo inseparável John Trueheart ao banjo ou guitarra. A partir de 1934 a banda se enriquece com os magníficos arranjos do saxofonista Edgar Sampson e são criadas obras como as eternas Don't Be That Way, Blue Lou, Let's Get Together e Stompin' At The Savoy. Neste mesmo ano de 1934 acontece o encontro mágico de Webb com a cantora Ella Fitzgerald cujos sucessos ultrapassam os limites do Jazz principalmente com A Tisket, A Tasket.
Desafortunadamente Webb contraiu em criança uma tuberculose óssea, incurável doença à época, afetando principalmente sua espinha dorsal e que o levou à morte prematura em 16/junho/1939 com apenas 30 anos!
Webb imprimia um tempo musical possante, vigoroso o que agradava e estimulava seus solistas e o público dançarino, afinal alí no Savoy o principal era agradar aos dançarinos, mas o swing jazz era muito bem defendido pela banda que "incendiou" a Era Swing. Webb era parcimonioso e não fazia grandes solos, talvez mesmo por causa de sua deficiência óssea o que lhe valia grande desconforto todas as noites. Seu estilo era completo atuando nos címbalos, caixa e pontuações no bumbo, além de usar alguns apetrechos do jazz tradicional como woodblocks e cow bells.
Uma das gravações mais fascinantes de sua atuação é a de Harlem Congo onde podemos apreciar sua desenvoltura no "up-tempo" e um breve solo ao final.
HARLEM CONGO (Harry White) - Chick Webb & His Orchestra – Chick Webb (bateria e líder), Mario Bauza, Bobby Stark e Taft Jordan (tp), Sandy Williams, Nat Story (tb), Chauncey Haughton (cl, sa), Louis Jordan (sa), Ted McRae (st), William Carvey (st, flauta), Tommy Fullford (pi), Bobby Johnson (gt), Beverley Peer (bx). Arranjo de Charlie Dixon. (John Trueheart ausente por doença)
Gravação original: Decca 1681 - 1/nov/1937, New York.
Fonte: CD – Chick Webb and his Orchestra 1935-1938 – Classics Records 517 – 1990 - USA


HARLEM CONGO.mp3

Nenhum comentário: