Colaboradores : MauNah, Sazz, Bene-X, PegLu, I-Vans, Mario Jorge Jacques, Gustavo Cunha, JoFlavio, Nelson Reis, Beto Kessel, Tenencio, BraGil, Reinaldo, LaClaudia, Marcelon, Marcelo Siqueira, Nelson Reis, Pedro Cardoso o Apóstolo.

17 outubro 2014

P O D C A S T # 2 2 9

BARBARA DENNERLEIN 
CHANTAL CHAMBERLAND


DAVID "FATHEAD" NEWMAN



PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO:

http://www.divshare.com/download/26268996-cb7

16 outubro 2014

GENE KRUPA & BUDDY RICH EM DUELO

Gene Krupa (Eugene Bertrand Krupa – 1909 / 1973) foi um dos bateristas mais influentes da era do swing. Muitos o consideram um "showman", sua excelente tecnica, seu senso de ritmo e swing e seu entusiasmo são inegáveis.
Suas primeiras associações estavam com Eddie Condon, Bix Beiderbecke, Red Nichols e Coleman Hawkins, mas foi lançado internacionalmente na orquestra, sexteto e quarteto de Benny Goodman. Ele apareceu em vários filmes.
Krupa também era um compositor e lider de banda própria, que se desenvolveu após brigar publicamente com Goodman. A banda obteve grande sucesso com destaque para a cantora Anita O'Day e o trompetista Roy Eldridge.
No vídeo a seguir, vemos um notável "duelo" rítmico, com outro gigante da bateria, ─ Buddy Rich ─ (Bernard Rich - 1917 / 1987), no TV show de Sammy Davis Jr. em 1966.


O tema musical é a composição de Louis Prima, Sing, Sing, Sing, que foi um dos grandes sucessos de Krupa no solo de bateria.
(adaptado do Noticiero de Jazz)

video

15 outubro 2014

OSCAR ALEMÁN

O brilhante guitarrista de jazz ─ Oscar Alemán ─ argentino, tem sido comparado inúmeras vezes com Django Reinhardt, que ele conheceu e tocaram juntos em um clima de admiração mútua.
Alemán, um dos grandes músicos de jazz que a Argentina produziu, também era um dançarino, cantor e showman. Ele teve uma infância trágica e difícil, passou anos em um orfanato. Em 1924 ele começou a tocar com o guitarrista brasileiro Gaston Bueno Lobo e formaram o grupo "Los Lobos". Depois de descobrir o jazz, viajou para Paris em 1930, onde foi contratado por Josephine Baker. Lá ele conheceu Django Reinhardt. Em 1939, o famoso crítico de Jazz inglês ─ Leonard Feather ─ ouviu Alemán em Paris e desde o seu retorno aos Estados Unidos anunciou sua "descoberta", dando início à carreira e fama internacional de Oscar Alemán. Em 1940  Alemán retornou à Argentina, onde continuou a atuar com pequenos e médios grupos, e onde continuou como educador até sua morte em 1980, aos 71 anos de idade. No vídeo abaixo você pode ouvir uma de suas canções clássicas, "Life with Swing" e várias cenas de sua vida

(adaptado do Noticiero de Jazz de Pablo Aguirre)



14 outubro 2014

CRÉDITOS DO PODCAST # 228

LIDER
EXECUTANTES
GRAVAÇÕES
LOCAL / DATA
TEMAS e AUTORES
OSCAR PETTIFORD
Rolf Kuhn (cl), Oscar Pettiford (bx) e Jimmy Pratt (bat)
Baden-Baden, Alemanha, 14/junho/1959
POOR BUTTERFLY
(Raymond Hubbell / João Dourado
JANET SEIDEL
Janet Seidel (pi, vcl), Bob Jeffery (st), David Seidel (bx) e Billy Ross (bat)
3/outubro/2005
SONNY ROLLINS
J.J. Johnson (tb), Sonny Rollins (st), Horace Silver (pi), Paul Chambers (bx) e Art Blakey (bat)
New York, 14/ abril/1957
BRUCE FOREMAN e GEORGES CABLES
Bruce Foreman (gt) e Georges Cables (pi)
fevereiro/1985
FELICIDADE
(Antonio Carlos Jobim / Vinícius de Moraes)
BENNIE MOTEN
Ed Lewis, Booker Washington (cnt), Thamon Hayes (tb), Eddie Durham (gt,arr), Harlan Leonard (cl), Jack Washington (sbar), Woody Walder (st), Count Basie (pi), Ira "Buster" Moten (accor), Leroy "Buster" Berry (bj), Vernon Page (tu) Willie McWashington (bat) e Bennie Moten (dir)
Chicago, 23/outubro/1929
BAND BOX SHUFFLE
 (Bennie Moten / Count Basie)
HERMAN RILEY
Herman Riley (st), Llew Matthews (pi), John Giannelli (bx) e Roy McCurdy (bat)
SANS SOUCI
(Gigi Gryce)
Live at Giannelli Square in Northridge, California, 30/abril/2006
ROB McCONNELL
Sam Noto, Arnie Chycoski, Erich Traugott (tp), Guido Basso, Bruce Cassidy (tp,flh), Rob McConnell (v-tb,arr) Ian McDougall, Bob Livingston, Dave McMurdo, Ron Hughes (tb), Brad Warnaar, George Stimpson (fhr), Moe Koffman (sa, fl), Jerry Toth (cl,sa), Eugene Amaro, Rick Wilkins (st), Gary Morgan (sbar), Jimmy Dale (p,el-p), Ed Bickert (gt), Don Thompson (b-gt), Terry Clarke (bat) e Marty Morell (perc)
THE 4th BLUES
(Rob McConnell)
Toronto, Canadá, junho/1978
JIMMY HALL
Larry Byrom, Greg Martin  (gt), David Hood (b-gt), Clayton Ivey (Keyboards), Jonathan Dees (bat)
WHATCHDOG
(Lee Baker)
10/abril/2007
ARTIE SHAW
Billy Butterfield, Jack Cathcart, George Wendt (tp), Vernon Brown, Jack Jenney (tb), Les Robinson, Neely Plumb (sa), Bus Bassey, Jerry Jerome (st), Johnny Guarnieri (pi), Al Hendrickson (gt), Jud DeNaut (bx), Nick Fatool (bat) e Artie Shaw (cl, arranjo) - Truman Boardman, Ted Klages, Bill Brower, Bob Morrow, Alex Beller, Eugene Lamas (vln) Allan Harshman, Keith Collins (viola) Fred Goerner (cello)
TEMPTATION (Bernard Albrecht / Gillian Gilbert / Peter Hook / Stephen Morris)
Hollywood, CA, 7/ setembro/1940
GEORGE LEWIS 
Jim Robinson (tb), George Lewis (cl), Don Ewell (pi), Josiah "Cie" Frazier (bat)
OLE MISS
(Traditional / W.C. Handy)
Live, Boyden High School, Salisbury, N.C., 5/junho/1966
FRANK ROSOLINO
Frank Rosolino (tb), Sonny Clark (pi), Charlie Mariano (sa), Max Bennett (bx) e Stan Levey (bat)
IT HAD TO BE YOU (Isham Jones / Gus Kahn)
Los Angeles, junho, 1957
ZOOT SIMS
Harry "Sweets" Edison (tp), Bob Brookmeyer (v-tb), Zoot Sims (st), Al Cohn (st, sbar), Hank Jones (pi), Freddie Green (gt), Eddie Jones (bx) e Charlie Persip (bat)
BEE KAY (Bill Potts)
New York, 27/dezembro/1958
B G
BOB FLORENCE (arr,pi,ldr), George Graham, Wayne Bergeron, Warren Luening, Steve Huffsteter, Carl Saunders (tp,flhrn) Charlie Loper, Alex Iles, Bob McChesney (tb) Don Waldrop (b-tb) Don Shelton, Kim Richmond (sa,sa,cl) Dick Mitchell, Terry Harrington (st,cl), Bob Efford (sbar), Bob Carr (fl), Trey Henry (bx), Gregg Field (bat)
EARTH
(Bob Florence)
Los Angeles, 15/agosto/1996

13 outubro 2014

NOVA MARAVILHA DO JAZZ: MENINO DE 11 ANOS


O nome dele é Joey Alexander, um nativo da Indonésia. Ele começou a tocar piano aos 6 anos de idade e já impressionou gigantes do jazz como Chick Corea, Wynton Marsalis e Herbie Hancock. Está contratado pelo Selo Motema.
Joey Alexander, inclui composições de John Coltrane, Chick Corea e Thelonious Monk em seu repertório, está em processo de se mudar para Nova York, a capital mundial do jazz, o que certamente vai abrir muitas portas.
Há alguns meses atrás, ele foi convidado por Wynton Marsalis para se apresentar, em cerimônia de gala anual, no Lincoln Center em Nova York. Há tempos que o jovem Joey vem participado de festivais internacionais de jazz e já deu inúmeros concertos em vários países.

O novo prodígio do piano no jazz vai tocar dia 24 deste mês, no Teatro Apollo, em Nova York, em uma festa de gala para arrecadar fundos para a Jazz Foundation of America, que por sua vez também será uma homenagem à brilhante carreira do pianista e compositor Herbie Hancock.
(adaptado do Noticiero de Jazz)

10 outubro 2014

P O D C A S T # 2 2 8

OSCAR PETTIFORD
     BENNIE MOTEN

JANET SEIDEL

PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO:
  http://www.divshare.com/download/26244734-962


07 outubro 2014

CRÉDITOS DO PODCAST # 227

LIDER
EXECUTANTES
TEMAS / AUTORES
GRAVAÇÃO
LOCAL / DATA
KENNY BARRON
Kenny Barron (pi), David Sanchez (st), Darryl Hall (bx) e Jonathan Blake (bat).
BODY AND SOUL
(Edward Heyman / Frank Eyton / Johnny Green / Robert Sour)
Festival de Jazz em Marciac, França
2010
WELL, YOU NEEDN'T
(Thelonious Monk)
MEDLEY:LOTUS BLOSSOM / SINGLE PETAL OF A ROSE  / MELANCHOLIAN  / THE STAR CROSSED LOVERS
(Ellington-Strayhorn)
THEME NUMBER ONE
(Kenny Barron)

06 outubro 2014

Colecionadores Reeditam Gravações Históricas de McGhee


Howard McGhee foi um dos primeiros trompetistas admirados Ao final dos anos 40, porém ao longo do tempo foi esquecido por muitos.
Agora, a gravadora Uptown lançou uma versão em CD de gravações feitas por McGhee, entre 1945 e 47, quando o trompetista tocava bebop na costa leste dos EUA.












Em 1947, ganhou o primeiro lugar na eleição dos críticos da revista Down Beat. Ele tocou com muitos dos grandes nomes da época, incluindo Charlie Parker, Lionel Hampton, Count Basie e Charlie Barnet. Gravou 12 álbuns como líder.
Howard McGhee foi um dos pioneiros do movimento bebop. em Nova York. Em 1945 se mudou para Los Angeles, tocou no Avenida Central e Hollywood Boulevard, dois dos locais onde as gravações contidas neste álbum foram feitas. 
McGhee foi um dos grandes do bebop. Não era tão virtuoso como Dizzy Gillespie (aliás ninguém era naqueles anos!), contudo tinha uma técnica próxima a de Fats Navarro e mais polido do que o estilo do jovem Miles Davis. Ele poderia improvisar facilmente nos registros mais altos do trompete e navegar por harmonias de acordes complexos próprias do estilo novo – o bebop.
Os músicos no CD são: Howard McGhee (tp), Teddy Edwards (st, cl) J.D.King (st, vcl) Sonny Criss (sa), Vernon Biddle, Hampton Hawes (pi), Bob Kesterson, Addison Farmer (bx) e Roy Porter (bat).
Alguns dos temas incluídos no CD:  Intro/Night Mist; A Night in Tunisia; Rockin' Chair; Dark Eyes; Don't Blame Me; Howard's Blues; Killin' Jive(Nagasaki); The Man I Love; Mop Mop; Intersection; Stardust; Lifestream; Night Mist; Hoggin; Sweet Potato; Blues a la King; Ornithology; Body and Soul; The Man I love.
O CD vem com um livreto de informações e fotografias em preto e branco. Seu som foi restaurado e melhorado consideravelmente pelo engenheiro Andreas Meyer.
Howard McGhee nasceu em 6/março/ 1918 em Tulsa, Oklahoma e faleceu em 17/julho/ 1987 in New York City)

(Adaptado do Noticiero de Jazz)

03 outubro 2014

P O D C A S T # 2 2 7

KENNY BARRON
DAVID SANCHEZ


DARRYL HALL 
JONATHAN BLAKE 



PARA BAIXAR O ÁUDIO: http://www.divshare.com/download/26108625-3b4

30 setembro 2014

CRÉDITOS DO PODCAST # 226

LIDER
EXECUTANTES
TEMAS / AUTORES
GRAVAÇÕES LOCAL e DATA
AL HAIG
Al Haig (pi), Jamil Nasser (bx) e Frank Gant (bat)
BOUNCING WITH BUD
(Bud Powell / Gil Fuller) 
New York, 11/julho/1977
JANUSZ CARMELLO
Janusz Carmello (pocket tp), Brian Kellock (pi), John Hartley (bx) e Tony McLennan (bat)
JOY SPRING (Clifford Brown)  
Edinburgh, Escócia, 2/junho/1989
EUGENIE JONES
Eugenie Jones (vcl), acc by Bill Anschell (pi), Michael Powers (gt), Clipper Anderson (bx) e Mark Ivester (bat)
A GOOD DAY (Danny Orton)
Edgewood, Wisconsin,USA  /2013
LOUISIANA RITHYM KINGS
Red Nichols (cnt), Tommy Thunen (tp), Glenn Miller (tb,arr), Jimmy Dorsey (cl,sa), Babe Russin (st), Adrian Rollini (sax-baixo), Jack Russin (pi), Wes Vaughan (gt) e Gene Krupa (bat)
LAZY DADDY
(Larry Shields / Nick LaRocca / Henry Ragas)
New York, 27/janeiro/1930
RAY DRUMMOND
Randy Brecker (tp), Thomas Chapin (b-fl), Steve Nelson (vib), Kenny Barron (pi), John Scofield (el-gt), Ray Drummond (bx), Marvin "Smitty" Smith (bat) e Mor Thiam (perc)
A BLUES FROM THE SKETCHPAD
(Ray Drummond) 
New York, 16/janeiro/1994
WES MONTGOMERY
Ernie Royal, Snooky Young, Clark Terry (tp), Jimmy Cleveland, Urbie Green, Quentin Jackson, Chauncey Welsch (tb), Don Butterfield (tu), Jerome Richardson (fl,st), Bobby Scott (pi), Wes Montgomery (gt), Bob Cranshaw (bx), Grady Tate (bat) e Johnny Pate (arr,dir)
PEOPLE (Jule Styne)
New York, 11/ novembro/1964
DAVID "HONEYBOY" EDWARDS
“Honeyboy" Edwards (gt, vocal)
ROAMIN' AND RAMBLIN'
Bob Hall & Dave Peabody)
Chicago, 2008
EDDIE DAVIS
Simon Wettenhall (tp,) Graham Stewart (tb), Woody Allen (cl), Todd Robbins (pi), Eddy Davis (bj), Greg Cohen (bx) e Giampaolo Biagi (bat)
SOBBIN’ BLUES
(Art Kassel / Vic Berton) 
New York, 23/março/1988
RONNIE CUBER
Ronnie Cuber (sbar), Dr. Lonnie Smith (org), Bobby Broom (gt) e Idris Muhammad (bat)
OLD DEVIL MOON
(Burton Lane / E.Y. "Yip" Harburg) 
Chicago, IL, 29/junho, 2000
CLIFFORD JORDAN
Richard Williams (tp) Julian Priester (tb) Clifford Jordan (st) Mal Waldron (pi) Art Davis (bx) Max Roach (bat) e Coleridge Perkinson (cond)
IT’S TIME (Max Roach)   
New York, 15/fevereiro/1962
JAMES MOODY
Dave Burns (tp), William Shepherd (tb), James Moody (sa), Pee Wee Moore (sbar), Jimmy Boyd (pi), John Latham (bx) e Clarence Johnston (bat)
WAIL MOODY, WAIL
(Dave Burns / James Moody)
Hackensack, N.J., 12/dezembro/ 1955
B G
ART FARMER (flh), Benny Golson (st,arr), Bill Evans (pi), Addison Farmer (bx) e Dave Bailey (bat)
LIKE SOMEONE IN LOVE
(James Van Heusen / Johnny Burke)
New York, 14/setembro/1958 

29 setembro 2014

BILLBOARD JAZZ CHART


O trompetista Sean Jones permanece no topo da “CHART”  da Billboard Jazz Magazine pela quarta semana consecutiva com o seu álbum "IM.PRO.VISE".

O guitarrista Mark Elf do terceiro para o segundo lugar e o guitarrista Bobby Broom vai do sexto para o terceiro.
As duas novas entradas para a primeira dúzia nessa semana são os CD’s de Chick Corea e Paul Carr.
A seguir estão os 12 melhores lugares da Billboard nesta semana:
01  Sean Jones, im.pro.vise
02  Mark Elf, Mark Elf Returns 2014
03  Bobby Broom, My Shining Hour
04  Dr John, Satch
05  Cyrus Chestnut, Midnight Melodies
06  Chick Corea, Trilogy
07  Fred Hersch, Floating
08  Orrin Evans, Liberation Blues
09  Paul Carr, B3 Sessions (DC-NY)
10  Joe Magnarelli, Lookin´ Up !
11 Mack Avenue Superband, Live At DJF, 2013

12  Tom Harrell, Trip

COLUNA DO MESTRE LOC NO JB DE 29/09/14

Stefano Bollani: "Alegria, apesar de tudo"

Por Luiz Orlando Carneiro

Aos 41 anos de idade, Stefano Bollani não é, apenas, o mais admirado pianista de jazz da Itália. Sua fama espalhou-se por toda a Europa e pelos Estados Unidos, sobretudo a partir da parceria que estabeleceu com o eminente trompetista Enrico Rava, registrada em quatro álbuns da ECM entre 2003 e 2008: Easy living, em quinteto; Tati, em trio com o baterista Paul Motian; The third man, em duo; New York days, em quinteto.

Mais recentemente, o eclético virtuose, de sólida formação clássica, adicionou à sua discografia o notável CD duplo Orvieto (2010) - um duo com Chick Corea flagrado ao vivo no festival anual de jazz que tem lugar naquela cidade fundada pelos etruscos - e O que será (2013) - um diálogo magistral de temática brasileira com o carioca Hamilton Holanda, considerado o maior bandolinista (de 10 cordas, e não de oito) do mundo.

Pois a etiqueta de Manfred Eicher vem de lançar outro excelente disco de Bollani, intitulado Joy in spite of everything, ou seja, “alegria apesar de tudo”. E é mesmo uma seleção de nove composições da lavra do pianista em que prevalece aquela união entre o alegre e o belo tal qual definida por Keats naquele célebre poema cujo primeiro verso é “A thing of beauty is a joy for ever”.

As peças – em allegro vivace, em moderato cantabile ou mesmo em andante – são arranjadas e interpretadas pelo líder em formações diversas (quinteto, quarteto, trio, duo), na companhia de seus dois sidemen habituais, os holandeses Jesper Bodilsen (baixo) e Morten Lund (bateria), mais os celebrados Mark Turner (sax tenor) e Bill Frisell (guitarra).

A faixa-título (5m55), em trio, é a última e a menos extensa do menu, com o ás do piano voando solto a partir de um tema simples, mas muito cativante. No primeiro “prato”, Easy healing (9m25), de tempero caribenho, o sax envolvente de Mark Turner, à la Charles Lloyd, levita por sobre o quarteto piano-baixo-bateria-guitarra. A ainda mais animada No pope, no party (8m05) é também interpretada pelo quinteto, com bom espaço para os solos de Turner e do guitarrista Frisell. Este último e Bollani são ouvidos, em duo, na minimalista Teddy (7m), e tocam a balada Ismene (8m45), em quarteto.

As demais composições do CD são: as especulativas Tales from the time loop (9m30) e Vale (12m20), em quinteto, com a dupla Bollani-Frisell abrindo sempre os trabalhos para os solos de Turner; a balada Las Hortensias (8m30), em quarteto (sem Frisell, mas com um belíssimo solo do saxofonista); Alobar e Kudra (6m), em trio, avivada por passagens contrapontísticas do virtuose do teclado.

Nas notas que escreveu para o novo álbum, Bollani lembra que o seu primeiro professor de jazz lhe chamou a atenção para o fato de que sendo ele, ainda jovem, fã de Oscar Peterson e Art Tatum, devia tomar cuidado para não se preocupar em “preencher todos os espaços”. E acrescenta: “Assim é que acabei apaixonado por gente como Ahmad Jamal, por exemplo, por ser ele muito cuidadoso com o balanço entre a música e o silêncio”.


Joy in spite of everything é o registro discográfico definitivo do pianista-compositor Stefano Bollani.

28 setembro 2014

CINQUENTA RE-EDIÇÕES DA WARNER


A gravadora Warner Jazz lançou no mercado esta semana 50 reedições em CD de álbuns de jazz dos mais famosos registrados em décadas passadas. Todos passaram por um processo com tecnologias de aprimoramento de som digital. Alguns deles eram impossíveis de se conseguir nos últimos anos e outros tinham sido publicados no formato de vinil há muito tempo.
Entre os álbuns de artistas cujas gravações foram re-editadas:
Bill Evans - New Conversations, Charles Mingus’  - Something Like a Bird, Dee Dee Bridgewater’s - Dee Dee Bridgewater, Donald Byrd’s  - Donald Byrd and 125th Street / N.Y.C. - Freddie Hubbard’s  - Ride Like the Wind, Lennie Tristano’s - The New Tristano, Miles Davis’  - Live Around the World e dois álbuns do Chico Hamilton Quintet - Gongs East! and The Three Faces of Chico.

Este projeto foi realizado pela subsidiária japonesa da Warner Jazz e o preço de cada álbum é mais do que razoável menos de US$ 8.
(Noticiero de Jazz)

26 setembro 2014

P O D C A S T # 2 2 6

RONNIE CUBER
EUGENIE JONE

CLIFFORD JORDAN


PARA BAIXAR O ARQUIVO DE ÁUDIO:

http://www.divshare.com/download/26060821-cf3



25 setembro 2014

ÚLTIMAS GRAVAÇÕES DE DAVIS E COLTRANE JUNTOS

O selo Acrobat anunciou que vai lançar uma coleção de quatro CDs com gravações obtidas na longa turnê européia do Miles Davis Quintet em 1960, que marcou o fim da associação fértil com John Coltrane que  havia começado cinco anos antes.

No quinteto também desempenha a seção rítmica lendária (conhecida na segunda metade do século "seção rítmica LA"), composta por Wynton Kelly, piano; Paul Chambers, baixo, e Jimmy Cobb, bateria.

A coleção inclui gravações feitas em transmissões ao vivo de rádios europeias, eventos de jazz apresentações e gravações obtidas em caráter privado. Algumas dessas peças históricas da música foram publicadas individualmente antes e esporadicamente. Esta é a primeira vez que uma seleção ordenada e  completa, é mostrada e realizada em quatro CDs.

Entre as seis faixas do primeiro álbum está incluída uma entrevista com John Coltrane por Carl-Eric Lindgren.
A seleção abrange seis horas de gravações tecnicamente de ótima qualidade de som e inclui um livreto com 36 páginas escrito pelo saxofonista Simon Spillett, comentarista e inclui ainda muitas fotografias. A coleção estará disponível a partir de 02 de dezembro, deste ano, aguardemos.

(Adaptado do Noticiero de Jazz)

UM EMPURRÃO LADEIRA ACIMA




Segundo Mesfin Fekadu, do Daily Herald de Chicago, em artigo de ontem, Tony Bennett e Lady Gaga, que lançaram o recente CD Cheek to Cheek, pretendem com ele atrair a atenção dos jovens para o jazz.

Gaga afirmou em recente entrevista (em tradução livre) que: "o motivo do disco é não só uma colaboração com Tony [Bennett] mas levar o jazz a uma audiência inteiramente nova. Na realidade é dar ao Jazz a importância que ele merece, que é o nosso maior respeito e admiração".

Gaga e Bennett trabalharam na confecção do disco por dois anos, e trazem versões para grandes canções do American Songbook, desde Sophisticated Lady, de Duke Ellington até Lush Life de Billy Straihorn, passando por Anything Goes, de Cole Porter.

"Além de ter o mundo a seus pés neste momento, ela tem um vasto grupo de jovens que a idolatram e que nunca ouviram músicas de Jazz populares, música clássica americana", disse Bennett numa entrevista à parte. "E minha ambição ao fazer este álbum foi permitir a essa audiência se aproximar dessa música".

Belas e sábias palavras do veterano. E também da musa pop com esse vastíssimo ibope planetário (ela afirma cantar jazz em casa desde os 13 anos - tem 28 -, e que pretende gravar outros discos exclusivamente jazzísticos). Corroboram, com essa sua atitude, a minha humilde posição a respeito disso aqui no blog, pois sempre defendi a entrada de novos intérpretes - por menos qualificados que fossem para fazê-lo, caso típico da nossa Sandy que ousou, mesmo sem "estrada" jazzística, total domínio vocal ou mesmo o swing necessário interpretar temas jazzísticos em um dos seus últimos CDs -, na esperança de que atraíssem para o estilo algumas gerações de jovens que só ouviram lixo desde que nasceram. 

A atitude de Gaga e Bennett de honrar como deve ser honrada a arte jazzística - a única 100% norteamericana -, vem dando resultados positivos pois há uma grande repercussão na imprensa sobre o seu CD, que já foi resenhado por inúmeras publicações para o público mais jovem, como a revista Rolling Stone, os diários Newsday e USAToday, além da ABC News, a CBS News e a rede MTV, dentre inúmeros outros veículos de mídia de todas as categorias dos EUA e do resto do planeta.

Se isso não é uma empurrão na direção da revalorização do Jazz, teremos de aguardar os Rolling Stones decidirem tocar Moanin' num próximo concerto. Ou Justin Bieber cantar Strange Fruit