Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Mestre Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Mario Vieira (Manim), Luiz Carlos Antunes (Mestre Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (Mestre MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).


BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

HOJE: "DIA INTERNACIONAL DO JAZZ"

30 abril 2020




Herbie Hancock e um grande número de estrelas do jazz celebram a portas fechadas, devido à pandemia global. 
Desde 2012, o "Dia Internacional do Jazz" (30 de abril) foi oficialmente estabelecido pelas Nações Unidas (UNESCO) - e a pedido de Herbie Hancock, seu Embaixador Cultural - foi celebrado com concertos oficiais em Nova York ( 2012), Istambul (2013), Osaka (2014), Paris (2015), Washington (2016) e Havana, Cuba (2017), Sidney (2018) e São Petersburgo (2019). 
 Mas este ano, devido à pandemia de Coronavírus, as celebrações públicas oficiais foram suspensas. No entanto, em muitas capitais e outras cidades do mundo, os músicos de jazz comemoram a portas fechadas, de uma maneira ou de outra, usando as mídias sociais e outras tecnologias. 
 A Smithsonian Institution em Washington, uma entidade de prestígio que busca preservar e desenvolver o patrimônio cultural e artístico dos Estados Unidos, também organizou celebrações em abril como JAZZ APPRECIATION MONTH (Mês da apreciação do jazz).
 Além disso, durante este mês, não houve apresentações "ao vivo". 
  
No entanto, nos últimos anos, outras instituições americanas e outras partes do mundo aderiram à celebração do mês e do DIA DO JAZZ, tornando essa celebração internacional. 
  
Este seria o décimo nono ano em que o instituto organizaria eventos para esse fim no mês de abril, incentivando instituições educacionais, organizações de músicos e o público em geral a participarem dessa celebração, que se chama JAM (Jazz Approval Month). Nos anos anteriores, o JAM honrou o legado das mulheres no jazz, que - "ajudou a transformar gênero, raça, relações culturais e sociais, a fim de alcançar uma sociedade mais justa e equitativa", segundo o instituto. 
      
Ao contrário do ano passado, não haverá nenhum tipo de concerto ao vivo, com audiência presente, mas, como dissemos, haverá celebrações e shows usando tecnologias de Internet e televisão. 
  
Abaixo, um mapa dos lugares do mundo onde houve comemorações no ano passado: 


(Traduzido e adaptado de Noticias de Jazz de Pablo Aguirre) 


Nenhum comentário: