Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Mestre Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Mario Vieira (Manim), Luiz Carlos Antunes (Mestre Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (Mestre MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).


BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MAIS REGISTROS DE VINIL COM CLÁSSICOS DO JAZZ

19 março 2020



A gravadora SAVOY lançou três novas edições de clássicos do jazz em formato de vinil no mercado. Ela também anunciou que continuará seu plano de lançar novos discos "LP" com música de jazz aclamadas no passado. A qualidade do material com o qual esses "elepés" são feitos é muito melhor do que os originais e são mais duAs três últimas edições:

 THE CHAMP, DE DIZZY GILLESPIE- Um LP inicial da Savoy que reúne gravações de pequenos grupos de Dizzy Gillespie entre 1951 e 1952, The Champ tem muito a recomendá-lo - músicas, sidemen e performances. Com apenas uma exceção, cada uma das seleções é elaborada a partir de datas de quinteto ou sexteto, com o trabalho de Art Blakey, Milt Jackson, J.J. Johnson, Percy Heath e Stuff Smith, além de uma aparição precoce de John Coltrane (ele fez sua estréia com Dizzy, embora não aqui). Na faixa-título, uma jam de seis minutos lançada como single em duas partes, Gillespie toca furiosamente e o tenor Budd Johnson contribui com um ótimo solo. "Birk's Works", uma das melhores composições de Dizzy, recebe sua primeira gravação comercial, enquanto o solo de violino de Stuff Smith se dá em "Caravan" exatamente o toque exótico necessário para elevá-lo acima das versões concorrentes. Dizzy e Joe Carroll trocam vocais em "On the Sunny Side of the Street", e a cultura bop encontra o evangelho de "Swing Low, Sweet Cadillac".
T
BLUE LESTER, de LESTER YOUNG - Há também vários músicos famosos, entre os quais destacamos Count Basie, Junior Mance, Freddie Greene e Charlie Shavers. BLUE LESTER, um sampler de 15 faixas das primeiras gravações de LESTER YOUNG para Savoy (1944), é uma introdução ideal à lenda do saxofone. Lírico e possuidor de uma imaginação musical notável e ágil, Young tinha um som sinuoso e descontraído, com o qual foi pioneiro na idéia de tocar "cool" no jazz, lançando - com efeito - uma revolução estilística. Essas qualidades são abundantes em BLUE LESTER, que apresenta uma série de originais Young.

THE QUARTET é constituído pelo núcleo original do Modern Jazz Quartet: Milt Jackson, John Lewis, Percy Heath e Kenny Clarke.
Na data de 20/maio/1955 é uma oportunidade de ouvir MILT JACKSON acompanhado pela seção de ritmo do MJQ, mas com o hard bopper Horace Silver substituindo John Lewis. Além disso, também é uma chance de ouvir um lado romântico e até então desconhecido de Jackson e Silver, dois executantes de blues que raramente ou nunca registraram padrões nesse tipo de estilo. Com sua excelente qualidade de gravação, é um álbum perfeito para jantares íntimos e outras atividades noturnas! O exótico "Moon Ray" de Artie Shaw raramente é ouvido em qualquer tipo de contexto, enquanto "My Funny Valentine" e "The Nearness of You" definem o clima.
A maioria desses discos foi originalmente produzida pelo famoso promotor de jazz Norman Granz.

Nenhum comentário: