Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Mario Vieira (Manim), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).


BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

HANNA lança álbum duplo em homenagem a João Gilberto

20 junho 2019

Quatro anos depois de lançar o álbum "O amor é Bossa Nova – Homenagem a João Gilberto", na época, inclusive, com indicações ao Grammy Latino e ao Prêmio da Música Brasileira, a cantora HANNA volta a se debruçar sobre a obra deste patrono da música brasileira, agora imbuída de uma releitura mais abrangente, com maior pompa e apostando alto. O segundo volume de “O amor é Bossa Nova – Homenagem a João Gilberto”, um CD duplo, reúne 23 canções que se consagraram na voz do pai da Bossa-Nova e que se tornaram obrigatórias em setlists jazzísticos mundo afora. O resgate magistralmente concebido e realizado pela cantora, que por si só já desponta como um dos grandes lançamentos contemporâneos do gênero, traz ainda duas cartas na manga - as canções “Ho ba la la” e “Bim Bom”, duas autorais, do primeiro compacto de João Gilberto (“Chega de Saudade”, de 1957), foram autorizadas pelo próprio, quando já atravessava sérios imbrólios pessoais e financeiros.
Sem dar entrevistas nem realizar shows há anos, as autorizações de João Gilberto para essas músicas são verdadeiros trunfos que parecem retribuir o carinho e a admiração da cantora pelo compositor.
O disco duplo “O amor é Bossa Bova – Homenagem a João Gilberto – volume 2” reúne também outras músicas que João Gilberto gravou e levou para o mundo e se tornaram standards internacionais: “Aquarela do Brasil”, “Corcovado”, “Águas de Março”, “Caminhos cruzados”, “Avarandado”, “A cor do Pecado”, “Desde que o Samba é samba”, “É preciso perdoar”, “Eu quero um samba”, “Eu sei que vou te amar”, “Eu vim da Bahia”, “Falsa baiana”, “Fotografia”, “Insensatez”, “Lígia”, “Pra quê discutir com a madame”, “O samba da minha terra”, “Retrato em Branco e Preto”, “Você e eu”, “Triste”, “Tin Ton por Tin Tin”.

Com uma carreira internacional digna de elogios e reconhecimentos notáveis, em março deste ano Hanna ganhou o título de Embaixadora do Turismo do Rio de Janeiro e coloca neste novo álbum sua doce interpretação e requinte, seu toque sensual e o aveludado de sua voz, que passeia com brilhantismo a cada canção, repaginando, com seu estilo único, a influência inconfundível de João Gilberto.

Divulgação e assessoria de imprensa por Cezanne Comunicação.

Um comentário:

MARIO JORGE JACQUES disse...

Muito bom Gustavo, ótima cantora, boa voz, divisão de frase, entonação e bons arranjos. Valeu a dica. Abraço