Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

JOIA DE BILL EVANS COM JACK DeJOHNETTE

13 setembro 2018




Lembramos aos leitores deste site que há um ano foi publicado em CD o álbum "Another Time - The Hilversum Concert", gravado em 1968 pelo trio do pianista Bill Evans com Eddie Gomez no baixo e o baterista Jack DeJohnette, que se juntou a esse grupo naqueles dias por um período relativamente curto mas cativante.
A coisa valiosa e interessante sobre essa gravação é que ela é uma daquelas de Bill Evans que foi "descoberta" ou "garimpada" recentemente: e nunca publicada antes.
Além das gravações de Bill Evans no Festival de Jazz de Montreux, que ganhou um Grammy em 1969.
A coisa valiosa e interessante sobre essa gravação é que ela é uma daquelas de Bill Evans que foi "descoberta" ou "garimpada" recentemente nunca publicada antes.
Além das gravações de Bill Evans no Festival de Jazz de Montreux, que ganhou um Grammy em 1969, e ainda Some Other Time and Another Time, (Villingen, Alemanha, 20/junho/1968), o "Concerto de Hilversum" (Holanda, 22/junho/1968), são das poucas gravações no período relativamente curto em que Jack DeJohnette fazia parte do trio de Evans.
Essa gravação foi feita ao vivo em uma sala de concertos na cidade Hilversum com um público ávido por jazz, e registrou facetas do pianista, possivelmente desconhecidas para alguns de seus fãs. O trabalho de Jack DeJohnette é igualmente importante, assim como o do parceiro de décadas de Evans, Eddie Gomez.
Tudo isso se reflete especialmente nas interpretações de temas como – Alfie , Nardis e Embraceable You. Anos depois, Nardis seria atribuído a Miles Davis, mas Evans sempre reivindicou sua autoria.
Depois de Bill Evans, o jovem baterista DeJohnette, que acabara de se separar do set de Charles Lloyd, ia se juntar a Miles Davis para iniciar uma era frutífera e pioneira com Davis.
Este álbum dura 47 minutos (curto para os padrões de hoje), mas é uma jóia musical, histórica e artística, deslumbrante no tempo, ─ "Concerto de Hilversum" gravação de período relativamente curto em que Jack DeJohnette fazia parte do trio de Evans.

(traduzido e adaptado do blog Noticias de Jazz de Pablo Aguirre)

FAIXAS:
1       You're Gonna Hear From Me (A. Previn, D. Previn) -4:30
2       Very Early (B. Evans) - 5:14
3       Who Can I Turn To? (A. Newley, L. Bricusse) - 5:36
4       Alfie ( B. Bacharach/H. David) - 5:29
5       Embraceable You ( G. Gershwin/I. Gershwin) - 5:05
6       Emily (J. Mandel, J. Mercer) - 4:22
7       Nardis (M. Davis) - 8:34
8       Turn Out Of The Stars (B. Evans) - 4:53
9       Five (Written-By – B. Evans) -2:26

Nenhum comentário: