Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

OS PROGRAMAS DE RÁDIO DA AFRS NA 2a. GUERRA MUNDIAL.

29 fevereiro 2016

Em 1940 o Departamento de Guerra dos Estados Unidos criou o Morale Service Division (MSD) e mais tarde em Julho de 1942 ele foi transformado em Special Service Division (SSD), embrião do Armed Forces Radio Service (AFRS) em Novembro de 1943. A criação destas divisões e serviços tinha como objetivo a transmissão de programas de rádio para os combatentes na linha de frente na Segunda Guerra Mundial com o objetivo de ajudar a levantar o moral da tropa. A grande maioria dos programas eram musicais mas também foram transmitidos programas cômicos, teatro, novelas, notícias, entre outros. Os principais programas eram o Yank Swing Sessions, o G.I. Jive, o Mail Call, o Jubilee, o Jukebox, o Command Performance, o Downbeat e o The Music Hall. Alguns programas eram shows ao vivo como The Music Hall com Bing Crosby, The Bob Hope Show, The Tommy Dorsey Show, The Harry James Show, entre muitos outros. O programa Command Performance foi criado pelo Coronel Kirby após o ataque a Pearl Harbor e o sucesso foi grande pois ele levava ao ar os grandes artistas do musical americano bem como os do cinema em entrevistas e apresentações. Com o sucesso alcançado, a AFRS partiu para a gravação de discos com estes programas e também os V-Discs. Este é um resumo de como foi criado e divulgado através do rádio nos EUA os programas que ficaram famosos e na memória de quem acompanha o musical americano. Graças a internet, que disponibiliza uma grande quantidade estes programas, posso ouvi-los e postar alguns deles. Começo hoje com uma amostra do programa G.I.Jive com as participações de The Dixieland Group, Artie Shaw, Jimmy Dorsey e Charlie Barnet. Espero que vocês gostem. Um abraço.









http://www76.zippyshare.com/v/4lVhUNsz/file.html



4 comentários:

Nelson disse...

Prezado Tibáu,

Nós que já vivenciamos várias lides juntos dentro do jazz, sabemos que esse período da 2ª Guerra Mundial produziu e destroçou várias "memórias" que poderiam ter sido preservadas na cera. Se verificarmos algumas publicações sobre o assunto, poderemos nos deparar com fotos de soldados da Força Aérea Americana "destruindo à marreta" matrizes de "V-Discs", cujas gravações - pouquíssimas - puderam ser salvas. Mestre Lula - Vc. há de lembrar - tinha em seu acervo alguns deles, que eram aqueles "bolachões" de 20 polegadas, prensados em 78 rotações e em material de "baquelite".
Essa "matéria" que vc. proporciona aqui aos frequentadores do blog, são "antológicas".
Bom trabalho.
Abçs.
"Nels"

Carlos Tibau disse...

Amigo Nelson.
É verdade. foram momentos inesqueciveis ouvindo os V-Discs do Lulão. Eu possuo um do Gene Krupa que guardo com muito carinho.
Obrigado pelo comentário.
Forte abraço.

MARIO JORGE JACQUES disse...

Maravilha Tibau, ótima postagem.

Anônimo disse...

TIBAU:
Recordar é viver, principalmente quando recordarmos momentos que nos marcaram tão fundo e tão bem.
Belíssima postagem, belos momentos.......

PEDRO CARDOSO