Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

PHIL WOODS DEIXA DE TOCAR

08 setembro 2015


 O famoso saxofonista Phil Woods teve que se retirar do negócio da música, aos 83 anos de idade, devido a um sério enfizema pulmonar.

A decisão médica deve ter sido um duro golpe para o músico que até o presente permaneceu na ativa, fazendo turnês nacionais e internacionais. O anúncio foi feito neste fim de semana em um concerto com o seu trio e da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh dedicado ao álbum "Charlie Parker com Cordas."
Quando jovem, estudou com Lennie Tristano e escolas de música em Manhattan e na Julliard. Desde então, sua carreira tem sido vertiginosa, rapidamente tornando-se um dos grandes instrumentistas no saxofone alto. Ele recebeu o apelido de "New Parker", mas nunca "copiando" o estilo do grande mestre.
Ele viveu na França entre 1968 e 1972, onde não teve sucesso em experimentos com música eletrônica, uma de suas poucas "perdas" artísticas. Sua posterior carreira no próprio EUA teve muitas satisfações. Ele recebeu quatro prêmios Grammy e em 2007 foi nomeado - Jazz Master pelo National Endowment of the Arts. Sua discografia alcança quase uma centena de álbuns.

(adaptado de Noticias de Jazz de Pablo Aguirre)

4 comentários:

APÓSTOLO disse...

Mestre PHIL WOODS é um dos MAIORES do JAZZ em todos os tempos e, se não pode mais tocar, que possa repousar e curtir as glórias de uma obra extensa e de qualidade superior.
Com algumas centenas de albuns gravados, entre os quais pérolas de um belo estojo que nos deliciam em cada audição, PHIL é um desses fenômenos de musicalidade, técnica, timbre, precisão e de todos os ingredientes de um músico que sempre buscou a perfeição.
Glórias a ele ! ! !

Anônimo disse...

Muito lamentavel esta noticia Major vc tb como grande amante do jazz deve ter sentido muito. A vida é assim mesmo..... pelo menos deixou o sax ainda tocando bem. Que descanse 83 anos !

Carlos Lima

Tibau disse...

Amigo Mario
Também lamento muito a aposentadoria mas, é merecida por esses anos todos que nos encantou com seu som. Tive a sorte de assisti-lo no Copacabana Palace com um ingresso que me foi dado pelo querido e saudoso amigo Tião Netto.
Valeu pela notícia .
Abraço

MARIO JORGE JACQUES disse...

Exato Tibau tb esta lá. Phill como sempre muito bom e se vc se lembra o grande destaque (depopis do Phill) foi o saudoso Nico Assunção ao contrabaixo, deu um show, infelizmente faleceu pouco depois.
Abração