Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

UM DOS MEUS PIANISTAS FAVORITOS: ALAN BROADBENT

25 novembro 2014

Novo LP de Alan Broadbent – em Piano Solo -, "Just One Of Those Things", pela Edition Longplay já disponível para vendas desde o início de Outubro  

Artigo do All About Jazz, baseado na fonte: JAN MATTHIES MUSIC MANAGEMENT, de 28/7/14 - (em tradução livre)

A nova  gravação em piano solo de Alan Broadbent, Just One Of Those Things mostra muito claramente: Broadbent é não apenas um líder de orquestra e arranjador altamente considerado, com dois Grammy Awards além do trabalho com Woody Herman, Natalie Cole, Diana Krall, Paul McCartney, etc., mas também um grande e destacado pianista. Em décadas de cooperação com o inesquecível Charlie Haden e seu Quartet West, demonstrou isso enfaticamente. Haden o considerava  “um dos mais originais improvisadores do jazz”.

O último CD solo de Broadbent, Heart To Heart (2013) recebeu uma rara cotação de 5 estrelas da revista Downbeat e, também, do British Jazz Journal. Sua performance solo no Festival de Jazz de St. Emilion também lhe rendeu a menção da revista Jazzman como Melhor Concerto de Jazz em 2012, na França.

Esta sua nova gravação solo em vinil da Edition Longplay reafirma fortemente esta excepcional posição. Seus improvisos em peças para piano de Cole Porter e semelhantes de John Lewis e de Dave Brubeck a Elvis Costello mostram-no novamente como um mestre, nas sensíveis e empáticas reinterpretações e na comunicação sem barreiras. Ele é, como formulado por Tobias Richtsteig em sias liner notes, um “Contador de Histórias”.

E de uma maneira agradável a capa silenciosa é sobre uma sensível xilogravura da artista de Stuttgart, Martina Geist, correspondendo a uma “comunicação figurativa fortemente espacial" (Werner Meyer).

Pela primeira vez, cada uma das 500 cópias da edição limitada do LP será acompanhada  de um cartão para download em mp3. Além disso, uma limitada edição-única de quatro cópias será disponibilizada ao preço de 190 Euros, (incluindo o “Edition Long Play LP 11, de Broadbent”) com duas faixas adicionais, que serão publicadas somente nesta forma. Nove gravuras exclusivas, feitas à mão, da capa de Martina Geist serão também disponibilizadas ao preço de 380 Euros (incluindo aí o “Edition Long Play LP 11”).

O LP pode ser adquirido em lojas autorizadas bem como diretamente do editor e dono da “Edition Longplay”, Rainer Haarmann. E as edições especiais apenas diretamente deste último.

JUST ONE OF THOSE THINGS
ALAN BROADBENT SOLO PIANO

Lado A

1. All The Things You Are 4.17 (Jerome Kern)
2. Serenata 4.44 (Leroy Anderson)
3. Birds Will Still Be Singing 5.17 (Elvis Costello)
4. In Your Own Sweet Way / Strange Meadowlark 8.05 (Dave Brubeck)

Lado B

1. Just One Of Those Things 3.44 (Cole Porter)
2. Django 6.04 (John Lewis)
3. My Romance / Spring Is Here 9.43 (Richard Rodgers)
4. Autumn Leaves 4.54 (Joseph Kosma)

Tempo total: 46:44 minutos



Um comentário:

Nelson disse...

Presidente,

Já que vc. é fan do Alan, procure ouvir(se é que já não ouviu)o CD da Concord "PACIFIC STANDARD TIME", em que o trio dele com Putter Smith ao baixo e Frank Gibson Jr. à bateria, fazem algo inefável.

Abçs.
"Nels"