Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

BUDDY DE FRANCO CHEGA AOS 90

25 fevereiro 2013


Lí  no “Noticiero de Jazz” excelente matéria sobre os 90 anos completados pelo clarinetista Buddy de Franco. Talvez seja ele um dos poucos músicos que aproveitaram a longevidade para aprimorar cada vez mais a sua carreira, gravando álbuns importantes e ganhando um alto número de prêmios, das revistas especializadas, “Down Beat “,”Metronome” e  outras e sobretudo das associações culturais. Aí destaca-se o “NEA Jazz Masters”, recebido por De Franco, em companhia de mais sete colegas, com um cheque de US$ 25.000,00 e ainda o convite para participar da “NEA JAZZ MASTER  on tour”.  De Franco foi o seguidor natural de Benny Goodman  na história do clarinete no Jazz. Aliás, sobre ele existe um fato muito interessante ocorrido quando era músico de Tommy Dorsey. O maestro soube que De Franco iria sair da banda por ter poucas oportunidades de solar. No máximo um “chorus” por arranjo.Dorsey , que era rígido com seus músicas reagiu da seguinte maneira: Em apresentação pública da orquestra, ao interpretarem o tema “Opus one” (Sy Oliver) , ao chegar ao final  do solo de Buddy, o maestro levantou o dedo ordenando mais um chorus, e assim agiu sucessivamente  até quase a exaustão do músico. Ao terminar a apresentação Dorsey falou para De Franco : “e agora, está satisfeito ? “ , ao que Buddy  teria respondido : “Não maestro, eu queria mais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mestre:

Ave Buddy ! ! !
Músico com bela sonoridade e uma história que sómente o enobrece.

Apostolojazz