Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MORREU FRANK FOSTER

27 julho 2011

Aos 82 anos de idade, faleceu Frank Foster, um dos grandes músicos, não só como saxofonista e flautista mas também como compositor e arranjador.
Conforme informação de sua esposa, Foster foi vitimado por complicações renais. Lembremos que ele tocou durante anos na orquestra de Count Basie e após a morte do maestro dirigiu a banda, participando inclusive de um dos festivais de Jazz aqui no Rio de Janeiro.
Ganhador de dois Grammys e membro da “National Endowment for the Arts”, a instituição de maior prestígio nos Estado Unidos, Foster foi também consultor musical e professor de várias universidades americanas. Apoiou também causas humanitárias com a “Jazz Foundation of America”, que se dedica a dar apoio a músicos de jazz e blues.
Sempre que ouvirmos “Shining Stockins”, lembraremos de Frank Foster, seu autor, do que se tornou um dos mais famosos temas do Jazz.
RIP

7 comentários:

APÓSTOLO disse...

Mestre:

Enviei-lhe email sobre o passamento do grande FOSTER, um exemplo de coerência, musicalidade, técnica, vida pessoal e apego ao BOM.
Fica a obra...

Nelson disse...

Mais um que parte, deixando grandes momentos na memória fonográfica para os jazzófilos( como diz Mestre "Apóstolo")que viram e ouviram sua arte. À frente da "Count Basie Orchestra", no Rio da Janeiro durante o "Free Jazz", trazendo o filho do Calvin Jackson como baterista, foi um dos grandes momentos daquele Festival.
REST IN PEACE.

"Nels"

Bene-X disse...

Perda irreparável. Tenorista ímpar e arranjador excepcional, injustamente underrated, talvez pelo estilo um tanto low profile com que conduziu sua carreira. Impende seja resgatada e devidamente valorizada sua obra.

Abs.,

José Domingos Raffaelli disse...

Caros amigos e correligionários,

Que notícia triste! Ainda ontem postei comentários sobre ele no blog do nosso amigo Érico Cordeiro. A última vez que ouvi Frank Foster ao vivo foi no Sweet Basil, em NY, em 2001, com Danny Mixon (piano), Earl May (baixo) e Billy Hart (bateria).

Caro Nelson,

O baterista da Count Basie Orchestra que tocou no Free Jazz de 1989 chama-se Duffy Jackson, mas é filho do baixista Chubby Jackson, e não de Calvin Jackson. De fato, a apresentação da C.B. Orchestra foi pura dinamite, arrebatando a platéia do teatro do Hotel Nacional.

Keep swinging,
Raf

renajazz disse...

lamentavel ...... sorte a minha que pude ver o show dele com a banda em 1989 é realmente um grande perca... falavamos dele na resenha do erico cordeiro na qual postei uns link de 4 cds do frank,que deus o tenha em bom lugar........

Anônimo disse...

Caro Mestre Rafaelli,

Obrigado pelo "repasse" sobre o Duffy Jackson, mas na atribulação saiu errado. Não me lembrava do primeiro nome dele e, para não recorrer aos "Modern Drums" ou "Drummin'and Drumming" onde tenho certeza que tem um exemplar dedicando um grande artigo a ele, ensinando bateria na infância de uma escola. Porque estavam empilhadas num alto de estante,lembrando apenas que era filho do Chubby. Mas, na hora, por mnemônia, digitei Calvin. Alias, não sei nem como não saiu Jesse Jackson - que é pastor e político.
Coisas da idade, Mestre. Valeu a observação. Obrigado e, peço desculpas aos que aqui me lêm.

Abçs.
"Nels"

Andre Tandeta disse...

Uma perda ,realmente muito grande para o jazz. Excepcional sax tenor. Tem participações tambem sensacionais na banda de Thad Jones & Mel Lewis. Importantissimo musico, com um super vocabulario que incluia praticamente todos os estilos do jazz .