Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

PODCAST # 47

21 abril 2011













PARA BAIXAR: http://www.divshare.com/download/14623850-4ab

7 comentários:

apostolojazz disse...

Prezado MÁRIO JORGE:

O "pod 47" veio com quase 70 minutos e muito bem produzido.
O clássico blues de OLIVER NELSON "Stolen Moments" customizado na França, na Espanha e de retorno aos U.S.A. com o grande TELLEFERRO BOOKER ERVIN Jr.
Aquí vale um parênteses, já que a catalã interpreta "a la DEE DEE" com muita categoria e nos remete a, também da Cataluña, outra bela intérprete de JAZZ e de Bossa Nova, CARME CANELA, com excelente dicção em inglés, em português, em catalão e em espanhol; parece que a Catalunã, belo reduto de JAZZ, está produzindo cantoras em série.
Um MEL POWELL impecável, inclusive no clássico Rosetta, que para mim e mesmo sendo da autoria de EARL HINES, tem "dono-intérprete" = HENRY "RED" ALLEN.
"Museu" com a beleza do grupo de NOBLE LEE SISSLE transportando-nos às raízes.
KENNY DORHAM em plena forma, "Mr. Clock" comandando 02 grupos de estrelas, com destaques para os maravilhosos MILT JACKSON e FRANK WESS (no 2º grupo uma esplêndida "coda" amaparada em "walking bass"), CHRIS CONNOR, sempre uma delícia para os sentidos, "roubando" o classudo pianista RALPH SHARON de TONY BENNETT para lembrar GERSHWIN com emoção e um precioso fecho do "post 47" com a "crew" de BASIE destacando DICKENSON e o longo e perfeito solo de LESTER: puro JAZZ ! ! !
Mais uma vez grato pela Música.

MaJor disse...

Meu caro Apóstolo grande comentário, não porque elogia o Pod por mim postado é que vai na "veia-artéria" (isto é uma pérola que meu filho conta que jogando futebol em uma fazenda, há muitos anos, um negão deu um chutão de longe e fez gol o pessoal do time foi cumprimentar e ele saiu com essa - "pegou na - veia-artéria")
Então Pedro seus comentários pegam também na veia-artéria.
Abração
Mario JOrge

Nelson disse...

Meus preclaros "Major" e "Apostolo"

A ambos, minhas congratulações. O primeiro pela delícia de jazz no nosso habitual podcast, ao segundo pelo excelente comentário.
Vcs. já tiveram - acredito que possam ter tido - "alguma fixação" por algum tema, algum album ou, algo semelhante no jazz? Pois bem: "STOLEN MOMENTS" que aqui é apresentado lindamente - inicialmente por trio e depois por uma catalã, que como se refere o Apostolo "leva um geitão de Dee Dee Bridgewater" - tem algo de especial comigo.
Sylvio Tulio Cardoso, de certa feita fez um comentário verbal ao Lula, na esquina da Murray e eu estava ao lado e fixei suas palavras:
- "Olha: o Oliver Nelson gravou o um blues dele, "Stolen Moments", num discaço onde só tem craques".
Rolava isso,fins dos anos 60 e, como disse,fixei isso.
Bem....em 1975, estive à trabalho por um mês em Buenos Aires. Sozinho, uma época politicamente convulsa,saía do hotel nos inicios de noite para jantar e, depois, "vamos ao jazz". Entro numa loja de discos e de cara me deparo na estante de jazz: OLIVER NELSON "el Blues y la Verdad Abstracta" - Estrellas: Paul Chambers, Eric Dolphy, Bill Evans, Roy Haynes,Freddie Hubbard.´
Pensei: "Isso deve ser a perola a que o Sylvio se referiu há um bocado de tempo". Não deu outra. Quando voltei de B.Aires, Lula me vái em visita em casa e, ponho o disco para ele ouvir. "Stolen Moments" virou um "must", onde tambem toca barítono o George Barrow, compondo a "ensemble".Tenho o LP até hoje e ainda não ouvi melhor interpretação.Foi pura "fixação".
Aos amigos,obrigado pela tarde de jazz e,Boa Páscoa.

Abçs.
Melson Reis

MaJor disse...

Almirante Nelson, realmente é um grande disco que não possuo, mas conheço. STOLEN MOMENTS é tido como obra prima de Oliver, é muito gostosa a melodia, muito bem desenvolvida. Grato e muito ovo, de chocolate, claro. Abraços
Mario Jorge

Nelson disse...

Meu bom e prezado Mário,

Muito posteriormente aos fatos relatados em meu comentário acima, estive na casa do Lula e ele tinha adquirido essa peça antológica do sexteto do Oliver Nelson em CD,cujo título original "The Blues and the Abstract Truth" foi gravado em N.York em 23/2/1961.
O LP argentino é da EMI-Odeon, mas acho que a gravação original americana é da Impulse Records.
Os "caras" aparecem por cortesia das gravadoras a que estavam vinculados na ocasião, ou seja:
Oliver Nelson e Eric Dolphy - Prestige Recors. Freddie Hubbard - Blue Note e, Bill Evans - Riverside
O disco foi produzido por Creed Taylor, com engenharia de som de Rudy Van Gelder. Alem do clássico "Stolen Moments", estão gravadas:
"Hoe-Down";"Cascades";"Yearning"; "Butchand Butch" e "Teenie's Blues".
Abçs.
Nelson

MaJor disse...

Nelson, tenho o MORE BLUES AND THE ABSTRACT TRUTH da Impulse gravado em 1964 e no Podcast 45 coloquei 2 temas o One for Bob e Goin' to Chicago Blues

apostolojazz disse...

MARIO e NELSON:

Pensava ser o único "dependente" a perder tempo com "Stolen Moments" (m... de trocadilho, mas não me ocorreu nada melhor), um blues de grande beleza melódica, recorrente em meu cérebro.
Menos mal que não estou só.....