Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

THE JUBILEE SHOWS # 8

09 abril 2010


SEXTA-FEIRA DIA DE JUBILEE


SCATMAN



JUBILEE SHOWS foi uma série de programas produzidos pela Armed Forces Radio Service (AFRS) durante a II Guerra Mundial para as estações de rádio e serviços de alto-falantes militares.
Apresentamos parte da edição gravada em MARÇO de 1944 no estúdio-auditório da NBC em Hollywood.
1. ABERTURA – com o tema One O'Clock Jump (Basie) – locutor Tim Liemert e o Mestre de Cerimônia Ernest "Bubbles" Whitman.
2. FINE (B.F. Crothers) – com Benjamin Sherman "Scatman" Crothers (1910-†1986) foi ator cômico, cantor, dançarino e músico, atuando principalmente nos teatros vaudeville, aqui à bateria e vocal acompanhado de trompete, sax-alto, piano e contrabaixo desconhecidos, provavelmente (?) do grupo de Bob Crosby que tocaria mais tarde no programa.
3.SWEET SUE, JUST YOU – aqui uma curiosidade, o saxofonista Randy Hall se apresenta com o inusitado instrumento – whistle – um apito dotado de um tubo deslizante à semelhança do trombone de vara. Pode ser considerado como um dos instrumentos primitivos dos afro-americanos escravos e por conseguinte do Jazz. O instrumento pode ser ouvido em gravação com destaque já em 1926, na execução de Louis Armstrong na gravação de Who’s It (Okeh 8357) com seus Hot Five. Soa semelhante ao piccolo.
4. JAZZ ME BLUES (Delaney) – uma das melhores bandas dixieland ― trata-se do excelente octeto formado por volta de 1936 por Bob Crosby (1913 †1993) cantor e bandleader, irmão do cantor Bing Crosby. O grupo se manteve até o final de 1942 e foi novamente reunido especialmente para apresentação neste Jubilee. Sua formação: Bob Goodrich (tp), Elmer Smithers (tb), Matty Matlock (cl), Eddie Miller (st), Stan Wrightsman (pi), Nappy Lamare (gt), Art Shapiro (bx) e Nick Fatool (bat).
5. WHO'S SORRY NOW? (Snyder/ Ruby/ Kalmar) – ainda com os Bob Cats.
6. ENCERRAMENTO – com o tema One O'Clock Jump pelos Bob Cats.
Fonte: CD - THE JUBILLE SHOWS Vol.5 – produção de Carl. A. Hällström – Storyville Records (501 1005) – Alemanha - 2003


5 comentários:

John Lester disse...

Vivendo e aprendendo. Grande postagem Mr. Jorge.

Érico Cordeiro disse...

Idem, ibidem!
Como diz o Mauro Hot Beat Jazz, difíicil nessa nossa vida de blogueiro é postar um álbum ruim.
Taí: bem que poderia ser o mote para um concurso, ver quem consegue descobrir um álbum de jazz (eu disse J A Z Z) ruim.
Abração, meu caro MarEchal!

MaJor disse...

Agradeço as palavras a Lester e a Cordeiro, realmente a gente capricha, pelo menos procura. Agora que existe álbum ruim de jazz, existe, bem dissemos JAZZ porque muitos não o são, vou parar por aqui, se não dará uma polêmica considerável, até porque há gostos e gostos.
Abraços
Mario Jorge

Tibau disse...

Amigo Major
Tudo bem?
Venho parabeniza-lo pelas excelentes matéria sôbre o Jubilee Show. Eu tenho uma discografia sôbre estes shows e que vai até o numero 400 (em 4 volumes) e estão em PDF. Se vc estiver interessado é só me falar que eu te mando via email.
Abç

MaJor disse...

Olá Tibau, que bom saber que anda por aqui. Claro que aceito a oferta da discografia, apesar da nossa Tom Lord, mas gostaria de ter uma só com estes shows, ainda mais em mídia eletrônica. Desde já muito grato pela "audiência" e pela oferta.
Um grande abraço
Mario Jorge