Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MUSEU DE CERA # 66 - SÉRIE VINIL (4)

23 dezembro 2009




JAMES P JOHNSON............................................BUNK JOHNSON..........................................GEORGE LEWIS

Série dedicada a LPs reeditados digitalmente em computador.


ÁLBUM: HISTORY OF CLASSIC JAZZ – RIVERSIDE (RLP 12-1131- 1956)
Com esta postagem encerra-se a amostra deste álbum espetacular, assim foi escolhido:
Do volume VIII - HARLEM
O STRIDE PIANO é nome dado a uma escola de Jazz essencialmente pianística criada no Harlem entre os anos 20 e 30. Refletia uma modernização do Ragtime e tecnicamente consistia em fazer alternar uma nota baixa (grave) sobre um tempo forte (3º) e um acorde sobre os dois tempos fracos (2º e 4º). Empregavam bastante o intervalo de décimas, no entanto, é incontável o número de variações produzidas pelos pianistas daí o nome STRIDE que significa flanar, vaguear. Grandes nomes como Fats Waller, Art Tatum, Earl Hines, Duke Ellington, Count Basie e modernamente Errol Garner, Oscar Peterson e Thelonious Monk foram bastante influenciados pelo STRIDE. Os principais criadores da escola foram os pianistas James P. Johnson (1894-1955), Luckey Roberts (1887-1968), Eubie Blake (1883 -1993, isto mesmo 100 anos!), dentre outros... Bem, podemos ouvir o pianista James Price Johnson em rolo de pianola gravado em 1921 e transposto para o piano.
Do volume IX – NEW YORK STYLE:
A primeira influência branca no Jazz de New York foi a Original Dixieland Jazz Band após o que o Jazz despertou na cidade na década dos anos 1920 ― A Era do Jazz. Um dos grupos mais influentes deste período foi liderado pelo cornetista Red Nichols ― California Ramblers grupo criado pelo cantor Ed W. T. Kirkeby (1891-1978) somente para gravações contando com 9 a 14 músicos atuando de 1921 a 1937. Alguns membros iniciavam proeminente carreira como os Dorseys. Gravaram bastante em vários selos e foram pioneiros no estilo de big band no Jazz.
Do volume X – NEW ORLEANS REVIVAL:
Movimento de recriação e resgate do Jazz tradicional e de seus músicos veteranos ocorrido a partir de 1937 estendendo-se até o final dos anos 40. Foram reencontrados músicos como: Bunk Johnson (tp), George Lewis (cl), Mutt Carey (tp), Jim Robinson (tb) e renovadas as forças de outros como Kid Ory (tb), Sidney Bechet (cl, ss), Tommy Ladnier (tp), Albert Nicholas (cl), Jelly Roll Morton (pi) e dos brancos do dixieland como: Eddie Condon (gt), Bud Freeman (st), Muggsy Spanier (ct, tp), Eddie Miller (st), Bobby Hackett (tp) e ainda o francês Claude Luter (cl, bldr), o inglês Humphrey Lyttelton (tp, cl, bldr) e outros...
Bunk Johnson liderou um grupo dos mais representativos do movimento contando com George Lewis, Pavageau, Baby Dodds, Marrero e Purnel, nomes consagrados do Jazz de New Orleans, e pode-se ouví-los encerrando o álbum ― HISTORY OF CLASSIC JAZZ.

1. HARLEM STRUT (George & Hersal Thomas) – James Price Johnson - piano solo
Gravação original (QRS PIANO ROLL – 101014) – maio/1921 – New York
2. SWEET MAN (J.P.Johnson) – CALIFORNIA RAMBLERS – Red Nichols, Bill Moore (cornet), Tommy Dorsey (tb), Jimmy Dorsey, Arnold Brillhardt, Freddy Cusick, Bobby Davis (saxes e clarinete), Irving Brodsky (pi), Tommy Fellini (banjo) e Stan King (bat).
Gravação original (Victor – teste sem numeração) – 7/out/1925 – New York
3. MAKE ME A PALLET ON THE FLOOR (Tradicional) - Bunk Johnson (tp, lider) – Jim Robinson (tb), George Lewis (cl), Alton Purnel (pi), Lawrence Marrero (banjo), Alcide Pavageau (bx) e Baby Dodds (bat).
Gravação original (Metronome B531 – mx T3) – 2/fevereiro/1945 – New Orleans

Um alegre e feliz Natal a todos e um 2010 com saúde e muita tranquilidade.





Tempo total 9:07min

4 comentários:

APÓSTOLO disse...

Estimado MÁRIO:

Excelentes gravações, que preservam o "sabor" de épocas remotas, mantendo as origens do bom e belho JAZZ.
A formação com Red Nichols é acima de qualquer suspeita musical: maravilha ! ! !

APÓSTOLO disse...

MÁRIO:

Onde se lê "belho", leia-se "BELO".

John Lester disse...

Prezado Mário, um feliz Natal e um 2010 repleto de boa música.

Grande abraço, JL.

Anônimo disse...

http://markonzo.edu egms mflp http://www.kodyaz.com/forums/thread/20860.aspx http://www.bloglines.com/blog/homeairpurifiers zoonen publico http://aviary.com/artists/Helzberg-Diamon http://www.voip-info.org/users/view/keno crissy elastic http://aviary.com/artists/tempurpedic http://www.rottentomatoes.com/vine/showthread.php?p=17358828 http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1534477 kohei http://chictini.com/mohawkcarpet http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1534478 negligible