Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

HISTÓRIAS DO JAZZ – n° 69

07 julho 2009

Os “Metronome All-Stars"

Colocando em ordem alguns papéis, encontrei uma ficha referente ao programa “O Assunto é Jazz” de número 1527, apresentado em 13 de setembro de 1988. Nele focalizamos gravações dos “Metronome All-Stars”, grupo de músicos eleitos anualmente pelos leitores da revista, que gravavam anualmente dois temas. Houve um acordo entre as gravadoras RCA Victor e Columbia que se revezaram nas gravações ano a ano, até 1947, quando a Capitol ingressou no esquema. Como sempre fazíamos, procuramos aprofundar nossos conhecimentos, no que contamos com a preciosa colaboração do saudoso amigo Maxwell Johnstone e no conteúdo da publicação “Jazz Americana” de autoria de Woody Woodward, que herdei do mestre e amigo Sylvio Tullio Cardoso.
A primeira coisa que me chamou a atenção, foi um certo “elitismo” nos primeiros anos do concurso, onde a preferência dos votantes recaia sempre sobre músicos brancos. Como explicar que de 1940 a 1944 o eleito na categoria sax-alto foi Toots Mondello ? Como poderiam os leitores ignorar que Johnny Hodges e Benny Carter já eram astros naquele instrumento ? Até porque, Mondello era um “músico de estante”, um side man, que transitou pelas bandas de Buddy Rogers, Ray Noble e Benny Goodman e jamais liderou um grupo. O mesmo acontecia nas outras categorias onde as preferências dos votantes recaia sempre sobre os “band leaders” brancos como Jimmy Dorsey, Tommy Dorsey, Harry James, Gene Krupa, Charlie Spivak que sobrepujavam os mestres negros como Count Basie, Duke Ellington, Jimmy Lunceford e outros mais.
No período pós-guerra, 1946/1956, as coisas se acertaram, com Charlie Parker, Coleman Hawkins, Billie Holiday, Duke Ellington, Dizzy Gillespie , Harry Carney, Johnny Hodges e outros astros ocupando as primeiras colocações do concurso. Outra coisa que vim a descobrir; nem sempre os vencedores do evento gravavam o disco correspondente,porque as vezes suas agendas não permitiam, com compromissos anteriormente assumidos.
Os “Metronome All-Stars” foram reunidos doze vezes, gravando os seguintes discos :
1938 – RCA Victor – 78 rpm – Blue Lou e The Blues
1939 – COLUMBIA – 78 rpm – King Porter Stomp – All-Star Strut
1940- RCA Victor – 78 rpm – Buggle Call Rag – One O’clock jump
1941 - COLUMBIA – 78 rpm – Royal Flush – Dear old southland- I got rhythm (gravada só com os líderes)
1945 – RCA Victor – 78 rpm - Look out – Metronome all out
1946- CAPITOL - 78 rpm – Sweet Lorraine – Nat meets June
1947- CAPITOL - 78 rpm - Leap here – Metronome riff
1948- CAPITOL - 78 rpm - Overtime – Victory ball
1949- COLUMBIA- 78 rpm - Double date – No figs
1950- CAPITOL- 78 rpm - Early spring – Local 802 blues
1953- MGM- 78 rpm- St. Louis Blues – How high the moon
1956- VERVE LP - Billie’s bounce


Em nosso programa conseguimos apresentar dez das doze gravações relacionadas , faltando apenas as de 1939 e 1941, as quais nunca conseguimos. Mas, valeu.

2 comentários:

APÓSTOLO disse...

Mestre LULA:
O programa do dia 13/setembro/1988 é, para mim, pleno de recordações.
Com sua proverbial cordialidade você iniciou saudando meu pai, LINO, à época hospitalizado.
A seleção das gravações dos concursos da METRONOME (1939, 1940, 1945, 1946, 1947, 1948, 1949, 1950 e 1953) foi perfeita e ocupou boa parte do programa.
Foi anunciada a estréia dos "Os Cariocas", impulsionados que haviam sido no "O Assunto é Jazz", foi anunciada a apresentação do IDRISS BOUDRIOUA no Duerê, nosso confrade MÁRIO JORGE apresentou gravações de LOVIE AUSTIN no "Museu de Cera", seguindo-se gravações de Claudio Roditi e Monty Alexander.
Um senhor programa que, felizmente, tenho gravado.
Bons e preciosos tempos ! ! !

Anônimo disse...

Meu caro Apóstolo,
Se algum dia passares isso para CD, não esqueça da gente.
Grato e abraços,
llulla