Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

CLUBE DE JAZZ DE NITEROI COMPLETA 19 ANOS

26 junho 2009



Às vésperas de completar seu décimo nono aniversário, o Clube de Jazz de Niterói proporcionou aos seus associados e convidados uma noite de Jazz , ao vivo, em sua sede situada no Centro Cultural da A.A.B.B. na noite de 24 de junho. A
Iniciativa foi do casal Virgínia e Sérgio Vichi que também contrataram o quarteto integrado por Dino Rangel (g)- Zé Canuto (as)- Mazinho Ventura (be) e Amaro Jr (dm). Um grupo super entrosado que nos proporcionou realmente uma noite agradável executando um repertório diversificado do comum com rara mestria. O sax alto de Zé Canuto, discípulo e compadre de Idriss Boudrioua , brilhou intensamente com solos belíssimos e de muito bom gosto. O mesmo se pode dizer da guitarra de Dino Rangel, executada com rara precisão e com a sonoridade adequada . A seção rítmica com Mazinho e Ventura e Amaro Jr. esnobou categoria, sendo que o baterista apresentou uma técnica exuberante. Mas,
não foi só a musica que nos alegrou . O reencontro com Zé Canuto e o conhecimento com Dino Rangel, iniciado naquela noite nos proporcionou agradável surpresa. Ambos nos ofertaram seus CD’s (excelentes), sendo que me surpreendi
co m a dedicatória de Rangel que me permito trancrever : “Lula, seu programa foi fundamental para nossa formação musical”
Abraços, Dino.
São fatos como esse que aos poucos me mostram que realmente “O Assunto é Jazz” voou alto em sua trajetória de 29 anos. Daqui agradecemos e felicitamos s músicos tão importantes que o Clube de Jazz de Niterói recebeu em comemoração ao seu décimo nono aniversário.
llulla

6 comentários:

edú disse...

Por essas e outras razões acho q Mestre Llulla justifica,esse ano, homenagem pessoal prestada pela organização do Festival de Ouro Preto aos mestres brasileiros de jazz.A homenagem q ocorre durante a vigência do festival agraciou ano passado Roberto Mugiatti.No ano anterior (2007), Zuza Homem de Melo .

Érico Cordeiro disse...

Parabéns ao Mestre Lula, pela homenagem que lhe presta a organização do Festival de Ouro Preto (merecidíssima, por sinal) e a todo o pessoal do Clube de Jazz de Niterói, pelo aniversário!
E, Mr. Edú, sempre muito bem informado.
Um fraterno abraço!

Nelson disse...

Lula,

Por razões como esta é que o jazz sobrevive na "terrinha". A voce meu amigo Mestre de velhas lides na senda do jazz, bem como aos frequentadores do Clube de Jazz de Niterói, desejo meus sinceros parabéns.
Abçs.
Nelson Reis

APÓSTOLO disse...

Mestre LULA:
Nada mais merecido, oportuno e com sabor de qualidade.
Parabéns, de seu eterno seguidor.

edú disse...

Esclarecimento - apenas fiz uma sugestão de homenagem ao Mestre Llulla no ano passado e reafirmei, por exclusiva iniciativa pessoal, agora.No entanto, desconheço q ela tenha sido confirmada pela organização do Festival. Se o foi, nada mais justo.Também não colocaria o sr.Ivan nesse constrangimento de confirmar a informação.De minha parte e opinião, acho q atualmente nenhuma figura de nosso jazz é mais merecedor q o venerável Mestre Llulla.Se esse palpite(sugestão , idéia, como queiram) foi aceita ou considerada : não sei.Mestre Llulla sempre será fonte, independente das homenagens, referencia e professor para os apreciadores de jazz brasileiros.

MAJOR disse...

Meu caro amigo saudades de nosso clube, não mais meu porque acabei me desligando pelas distâncias e maiores dificuldades. Congratulo por ter conseguido agregar por todos esses anos pessoas interessadas no Jazz e pertencer a um clube. aqui em Itaipava iniciamos com entusiasmo mais deu CHABU não mais nos reunimos devido a uma confusão entre gostar de Jazz e ôba ôba para encontro e muito papo. Mas... os caminhos são difíceis, bem sabemos... Um abraço
Mario Jorge