Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

PRO TANDETA

09 julho 2007

Ray Brinker (1960) é um baterista texano de extrema versatilidade. Depois de um início com Maynard Ferguson, foi visto ao lado de Woody Herman, Jack Sheldon, Anita O’Day, Diana Krall, Frank Gambale, Randy Brecker, Joe Pass, Michel Legrand, Chris Walden Big Band, Mitch Forman, Christian Jacob, Carol Welsman, entre outros. Hoje ele atua em Los Angeles e praticamente não sai do estúdio. Por incrível que pareça, é mais conhecido por acompanhar, ao lado do ótimo pianista Christian Jacob e do baixista Kevin Axt (Trey Henry), a cantora Tierney Sutton – são já 14 anos. Aliás, se me colocassem hoje uma faca no pescoço perguntando qual a melhor cantora de jazz da atualidade, eu responderia exatamente a Tierney. Sem qualquer edição ou maquilagem, aí vai uma gravação ao vivo da Tierney e Brinker. Apenas os dois, voz e bateria. Fica até fácil sacar o talento da dupla, já que o tema é um standard super manjado:"Surrey With The Fringe On Top” (Rodgers/ Harmmenstein II). A faixa faz parte do CD “I'm With The Band”(2005), Tierney Sutton, que postei aqui faz tempo e antecipei que poderia ser nominado ao Grammy como melhor álbum de jazz vocal feminino. E realmente foi, mas não levou.
.......................................
PS. Já pedi pro Guzz colocar “som na caixa”. E agradeço antecipadamente.
.......................................
PS II. Caro Tandeta. Engraçado ver o Brinker tocar. Os pratos ficam quase na mesma altura da caixa. Meio estranho. Geralmente os pratos ficam mais ao alto, disposição tradicional dos bateristas. Mas o cara leva e muito bem. Mas que é estranho é.
.......................................
PS III. Tierney (New England, 1963) tem um currículo respeitável. Formada em literatura e idioma russo, estudou na Berklee e hoje ocupa a cadeira de jazz vocal na Universidade Southern Califórnia, com workshops e clínicas além das fronteiras americanas. Desde 2000, quando lançou o CD Unsung Heroes, passou a ser uma das vocalistas mais comentadas não só entre os músicos mas também entre os críticos. São 7 CDs ao todo. E nenhum recebeu cotação menor do que @@@@. O último, On The Other Side (2007), foi postado aqui por mim recentemente.

Som na caixa !

Nenhum comentário: