Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

MUSEU DE CERA # 21 Freddie Keppard

30 maio 2007

Freddie Keppard talvez tenha sido o mais importante músico que sucedeu a Buddy Bolden como "rei" dos cornetistas de New Orleans, mas antes do cornet tocou bandolim formando um duo com seu irmão guitarrista Louis, e ainda executou o violino e acordeão. Iniciou sua carreira exclusivamente no cornetim em 1906 tendo nascido em 1890, integrando a Olympia Orchestra e algumas marching bands, trabalhando em funerais e alguns clubes de Storyville. Tocou também com o baixista Bill Johnson juntando com ele e mais o clarinetista Jimmie Noone um grupo que ao ir para Los Angeles tornou-se conhecido como a Original Creole Orchestra e de 1914 a 18 excursionou pelos EUA em shows de vaudeville difundindo a música de New Orleans, uma das primeiras bandas de negros a sair do sul do país, passando pelos grandes centros como Chicago e New York. No início dos anos 20 trabalhou em várias bandas tais como: Doc Cook's Dreamland Orchestra, King Oliver no Royal Garden Café, Erskine Tate, Ollie Powers, Jimmie Noone no Lorraine Club e a Charles Elgar Creole Orchestra no famoso Savoy Ballroom.
A esta época já gravava discos tendo alcançado enorme sucesso com a canção Stock Yard Strut liderando os Jazz Cardinals em 1926. Keppard infelizmente se tornou um alcoólatra redundando em uma pessoa instável e de comportamento nada confiável o que veio a prejudicar enormemente sua carreira. Continuou trabalhando até 1928, liderando a La Rue's Dreamland Band, quando adquiriu tuberculose e enfraquecido pelo álcool veio a falecer em 1933 em Chicago em total obscuridade musical.
Keppard perdeu a oportunidade histórica de fazer a primeira gravação sob a chancela de música de Jazz tendo sido convidado pela Columbia em 1916 recusou receoso de que gravando em disco seu estilo e técnica poderiam ser imitados com facilidade por outros instrumentistas concorrentes. Acreditamos que não se pode recriminá-lo se lembrarmos de que se tratava afinal de uma tecnologia emergente, até certo ponto assustadora, uma vez que perpetuada uma apresentação sua, a mesma poderia ser repetida quantas vezes em qualquer local. Naturalmente a visão de Keppard como uma pessoa muito simples e sem muita instrução que era, teria sido mesmo de insegurança, de incerteza, àquela época o comércio de discos era muito incipiente e o músico ganhava dinheiro nos ballrooms, teatros e clubes, então porque gravar? assim recusou o convite.
Para ilustrar o Museu selecionamos um dos seus maiores sucessos no qual mostra todo o vigor e potência que empregava ao cornetim, além de interessante fraseado.

Stock Yard Strut (Jasper Taylor) – Jazz Cardinals - Freddie Keppard cornet e líder, Arthur Campbell (pi), Johnny Dodds (cl), Jasper Taylor (wood blocks) e Eddie Vincent (tb).
Gravação original: Paramount 12399-A de 26 / julho/1926 – Chicago.
Fonte: CD - The Legend – Freddie Keppard - Pearl 1052 – 1996 – USA
.


Nenhum comentário: