Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

11 maio 2014

Adeus ao trompetista JOE WILDER

Wilder (*22/02/1922/ †9/5/2014)era um virtuoso trompetista conhecido por seu lirismo, sua versatilidade e grande variedade de registros em seu instrumento. Ele foi nomeado Mestre do NEA Jazz em 2008 e em sua carreira tocou com grandes nomes do jazz e inúmeros shows da Broadway.
Embora atuando nas orquestras de gigantes como Count Basie, Jimmie Lunceford, Billie Holiday, Lionel Hampton, Benny Goodman e Dizzy Gillespie, nunca quis ser o centro das atenções devido à sua personalidade reservada. Assim, só gravou nove álbuns sob seu nome, como líder, mas participou de centenas de gravações com outros músicos.
Ele também tocou música clássica em orquestras sinfônicas e foi o primeiro músico negro a fazer parte de orquestras da Broadway. 
Embora tenha passado períodos inativos, há duas décadas, quando fez 70 anos de idade, porém reconhecido pela beleza do som de seus solos de trompete em gravações feitas no passado e pelo prestígio desfrutado o levou ao renascimento na cena do jazz.
Em fevereiro deste ano, dias antes de seu aniversário de 92, Joe Wilder foi homenajeado com honras no Lincoln Center, em Nova York. (adaptado do Noticiero de Jazz)
Podemos ouví-lo em CHEROKEE (Ray Noble) com o grupo:
Joe Wilder (tp), Hank Jones (pi), Wendell Marshall (bx) e Kenny Clarke (bat) - New York, 19/janeiro/1956

Um comentário:

apostolojazz disse...

Estimado MÁRIO JORGE:
Excelente postagem e ótima a faixa escolhida, "pinçada" de época em que WILDER estava em plena forma.