Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

24 maio 2011

ALGUMAS POUCAS LINHAS SOBRE A

GUITARRA E OS GUITARRISTAS - 05


Kenneth Earl Burrell, artisticamente KENNY BURRELL, nasceu em 31 de julho de 1931 em Detroit, no estado de Michigan, no seio de uma família de músicos e, ainda assim, foi um auto-didata, dedicando-se à guitarra sómente a partir dos 12 anos.

Aos 18 anos KENNY integrou a formação do saxofonista Floyd “Candy” Johnson (nascido em 01/maio/1922 em Madison/Illinois e falecido em 28/junho/1981 em Framingham/ Massashusets).

Seguidamente passou pelas bandas de Count Belcher, Tommy Barnett (quando tinha apenas 19 anos) e, finalmente, formou no sexteto de Dizzy Gillespie, com 20 anos.

Considerando que Dizzy Gillespie já era em 1951 uma “estrela”, identificado ao lado de Charlie Parker como um dos principais inovadores no JAZZ com o “bebop”, não é difícil aquilatar as qualidades de KENNY BURRELL já nessa época. Esse ano de 1951 marca, também, a primeira gravação de KENNY, exatamente ao lado de Gillespie e em sexteto.

Estudou guitarra no período 1952/1953 e voltou-se para o estudo “técnico” da guitarra clássica, ingressando na “Wayne State University”, graduando-se em 1955 como “bachelor of music”.

KENNY BURRELL considera-se um discípulo direto de Charlie Christian, Django Reinhardt e Oscar Moore.

Possuidor de técnica instrumental invejável, é sóbrio nas linhas melódicas, sempre precisas, “limpas” e sobre uma sonoridade que aprisiona o ouvinte. Com certeza criou identidade própria bem próxima ao “hard bop”.

Seu toque revela natureza voltada para o “blues” e, sem dúvida, poucos guitarristas de sua geração o igualam nesse aspecto. Tanto como acompanhante quanto como solista, KENNY BURRELL é músico de extraordinária versatilidade, mais ainda na guitarra elétrica.

Após graduar-se formou grupo próprio, dissolvido pouco depois, já que substituindo Herb Ellis passou a fazer parte do trio do grande pianista canadense Oscar Peterson, com o qual gravou, apresentou-se em diversos locais e excursionou.

Em 1956 passou a residir em New York, a tocar com o excepcional pianista Hampton Hawes (entenda-se “Charlie Parker ao piano”) e a frequentar com assiduidade os estúdios de gravação novaiorquinos.

Então KENNY BURRELL gravou pela primeira vez como líder e decolou para uma impressionante carreira discográfica, tocando ao lado de músicos de diferentes estilos e sendo por todos reconhecido; cite-se entre estes, expoentes do nível de Buck Clayton, Kenny Dorham, Jimmy Smith, Gene Ammons, Frank Foster, Frank Wess, Stan Getz, Thad Jones, Kai Winding e Lalo Schifrin.

KENNY BURRELL foi contratado pelo “rei do swing”, Benny Goodman, em 1958. Para que se tenha uma idéia do que era integrar a “big-band” de Benny Goodman, cuja primeira formação data de 1934, é importante indicar alguns dos músicos que transitaram ao longo dos anos por essa “máquina de fazer swing”, citando-se entre outros Nick Fatool, Fletcher Henderson, Ziggy Elman, Red Ballard, Lionel Hampton, Gene Krupa, Harry James, Pee Wee Erwin, Johnny Guarnieri, Chris Griffin, Hymie Schertzer, Vido Musso, Vernon Brown, Dave Mathews, Bud Freeman, Jess Stacy, Dave Tough, Jerry Jerome, Charlie Christian, Teddy Wilson, Roy Eldridge, Billy Butterfield, Dave Barbour, Georgie Auld, Joe Bushkin, Cootie Williams, Louie Bellson, Milt Bernhart, Terry Gibbs e outros mais, que mostram o nível de exigência para integrar a banda de Benny Goodman.

KENNY BURRELL foi músico para diversos espetáculos da Broadway.

Em 1959 realizou apresentações na Europa, inclusive no Festival de Jazz de Montreux (à essa época “ainda” um verdadeiro festival de Jazz).

A partir de 1960 e de tempos em tempo passou a apresentar-se na Europa, seja como solista, seja integrando pequenas formações.

Participou ativamente da “onda da Bossa Nova”, gravando Astrud Gilberto.

Em 1965 KENNY BURRELL gravou pelo selo Verve de Norman Granz e com arranjos de Gil Evans, aquela que pode ser considerada sua obra mestra: “Guitar Forms”, com 05 temas preciosos de Gil.

Com este voltou a colaborar na gravação de “Las Vegas Tango”.

Em 1967 atuou na Califórnia e inaugurou um espaço próprio, “The Guitar”.

A partir de 1970 KENNY BURRELL passou a liderar diversos seminários sobre música, em particular sobre Duke Ellington.

KENNY BURRELL alcançou enorme êxito e popularidade em temporadas no Japão em 1970 e 1971 e iniciou intensa atividade didática nos “colleges” americanos. Tanto no Japão, quanto no Reino Unido e nos U.S.A. KENNY foi vencedor de diversas enquetes de “melhor guitarrista”, como indicado mais adiante.

Voltou a apresentar-se na Europa e no Japão, ampliando seus horizontes em apresentações na Nova Zelândia e na Austrália.

Em 1973 KENNY BURRELL fixou-se na Califórnia, trabalhando como músico de estúdio em Los Angeles, simultaneamente com apresentações em shows, festivais, seminários e temporadas locais.

Em 2001 KENNY gravou o clássico de Ellington “C Jam Blues” ao lado de “Medeski, Martin & Wood”, um tributo a Duke Ellington promovido pelas organizações “Red Hot” (campanha de combate a AIDS) e constante do álbum “Red Hot + Indigo”.

Desde 2007 KENNY BURRELL ocupa o cargo de “Director Of Jazz Studies” na UCLA, como mentor de alunos destacados, ministrando curso denominado “Ellingtoniana” que aborda a vida e a obra de Duke Ellington.

Foi vencedor em diversas ocasiões nas enquetes das publicações especializadas: Ebony, Down Beat, Melody Maker e Swing Journal.

KENNY BURRELL gravou mais de 40 albuns, entre os quais “”Midnight Blue” (1963), “Blue Lights” e “Sunup To Sundow” em 1990, “Soft Winds” (1993), “Then Along Came Kenny” (1993), “Lotus Blossom” (1995) e, ao longo dos seus anos de atuação e entre suas principais gravações, podemos citar também e além de seu “Guitar Forms” (temas de Gil Evans):
- Introducing Kenny Burrell, selo Blue Note, 1956;
- Kenny Burrell And John Coltrane, selo Prestige, 1958 (John Coltrane, Kenny Burrell, Tommy Flanagan, Paul Chambers e Jimmy Cobb);
- On View At The Five Spot Café, selo Blue Note, 1959;
- Bluesy Burrell, selo Moodsville, 1962;
- Have Yourself A Soulful Little Christmas, selo Cadet, 1967;
- God Bless The Child, selo CTI, 1971;
- ‘Round Midnight, selo Fantasy, 1972;
- Ellington Is Forever, selo Fantasy, 1977;
- Lucky So and So, selo Concord Jazz, 2001.


Retornaremos à guitarra e aos guitarristas em próximo artigo

11 comentários:

RENAJAZZ disse...

MESTRE MEUS AGRADECIMENTOS PELA MATERIA E PEÇO SUA PERMISSÃO PARA POSTAR OS LINKS DOS DISCO CITADOS POR VS QUANDO ENCONTRADOS

APÓSTOLO disse...

Prezado RENATO:

O espaço é seu ! ! !

renajazz disse...

KENNY BURRELL - CLASH
http://www.mediafire.com/?jh52w546i98866m

KENNY BURRELL - SOCIAL CALL
http://www.mediafire.com/?e3ibihi48adb0q8

KENNY BURRELL - ALL NIGHT LONG
http://www.mediafire.com/?htmorckya2do1ny

KENNY BURRELL - ALL DAY LONG

http://www.mediafire.com/?l8pfs6zepxrpg5s

KENNY BURRELL - KENNY BURRELL
http://www.mediafire.com/?piqaomzr3voe0cm

caro mestre estes foram que numa primeira passagem pude encontrar
espero que goste

Érico Cordeiro disse...

Como sempre, mais uma resenha impecável do Mestre Apóstolo.
Um dos grandes mestres do instrumento, o Burrell é dos meus guitarristas favoritos,
Postei uma resenha sobre ele e o disco enfocado foi o excelente Blue Lights, um álbum duplo fenomenal, com a presença de craques como Tina Brooks, Junior Cook, Bobby Timmons, Sam Jones e Art Blakey. O link está em:
http://ericocordeiro.blogspot.com/search/label/Kenny%20Burrell
Abração e parabéns.

RENAJAZZ disse...

CARO ÉRICO CORDEIRO

ACABEI DE OUVIR ESSE DISCO ELE REALMENTE È MUITO BOM

http://hotfile.com/list/665443/9188baf
KENNY BURRELL - BLUE LIGHTS

MaJor disse...

Excelente biografia comentada do não menos excelente guitarrista.
Aguardemos o próximo
Abração
Mario jorge

online gambling disse...

Really great blog. My friends referred me your site. Looks like everyone knows about it. I'm going to read your other posts. Take care. Keep sharing.

Nelson disse...

Mestre "Apóstolo"

Uma Excelência que biografa um Excelente. Realmente, Kenny Burrell juntamente com Barney Kessel e Joe Pass, reunem tudo que o jazz da era moderna pode expressar de melhor na guitarra da "arte popular maior".
Grande trabalho de excelente qualidade. Meus sinceros PARABENS

Abçs.
Nelson Reis

APÓSTOLO disse...

Prezados NELSON, MÁRIO JORGE, RENATO, ÉRICO e "ON LINE GAMBLING":

Agradeço os comentários, sempre lembrando que a série recebe o título de "Algumas linhas...", exatamente por ser apenas um esboço.

llulla disse...

Alô Pedro,
Mais uma vez brilhante. Pergunto se conhece um guitarrista, parece que eswpanhol com o exquisito nome de Ximo Tebar ? É fera, vale conferir.
abcs.
llulla

APÓSTOLO disse...

Mestre LULA (o do bem):

Não conheço, vou pesquisar e desde já grato pela indicação.
Por acaso você também plantou em Icaraí árvores que dão dinheiro em malas (R$ 210 mil) ? ? ?
Por favor, se sim, envie-nos a receita, já que por absoluta coincidência ontem deu "macaco" no sorteio da corretagem zoológica (dinheiro que sobe em árvore só pode ter sido levado por macaco, claro).