Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

20 julho 2017

Série   “PIANISTAS  DE  JAZZ
Algumas Poucas Linhas Sobre o Piano e os Pianistas
37ª Parte  -  1
(37)   PHINEAS  NEWBORN  JR.        (Resenha longa)    02 Módulos

O pianista e compositor norte-americano PHINEAS NEWBORN JR. nasceu em Whiteville, estado do Tennessee (encravado entre seus vizinhos Kentucky ao norte e Mississippi e Alabama ao sul, cuja capital é Nashiville e que abriga 124 cidades de expressão, entre as quais Alamo, Centerville, Chattanooga, Jefferson City, Madison e outras) a 14/dezembro/1931 e faleceu aos 57 anos em Memphis, no dia 26/maio/1989.
Seu berço foi o de uma família musical:  o pai era baterista e dirigente de banda, enquanto que a mãe era  pianista e cantora  -  nada melhor para um futuro musico de exceção, um dos grandes pianistas da história do JAZZ.   Seu irmão menor, Calvin, tornou-se guitarrista anos mais tarde e gravou seguidamente com PHINEAS.
PHINEAS faleceu como já escrito, em Memphis no dia 26/maio/1989, com pouca idade para o enorme acervo que nos legou  -  acervo de qualidade e não de quantidade.
Logicamente e desde muito pequeno PHINEAS dedicou-se ao estudo musical, chegando até a universidade para completar sua formação:  piano, trumpete, sax.tenor, sax.barítono e trompa.
Tocou em grupo de “R&B”(Rhythm And Blues) liderado por seu pai à bateria, com o irmão Calvin na guitarra e Tuff Green no baixo.  Mais tarde o grupo incorporou as então “estrelas” da “Hi Records”, Willie Mitchell e Ben Branch.   
O grupo atuou de 1947 até 1951 no então famoso “Plantation Inn Club” no Arkansas e atuou com a banda de B.B.King na primeira gravação de 1949, assim como em sessões de gravação para a “Sun Records” em 1950.
A formação encontrava-se em Memphis em 1951, quando serviu de apoio para que os “Delta Cats” do saxofonista tenor e cantor Jackie Brenston gravassem “Rocke 88”, selo “Chess Records”, considerada por muitos como a primeira gravação de “rock and roll” e assim indicada no primeiro exemplar da revista “Billboard”.
Mais adiante PHINEAS tocou com o guitarrista Saunders King, trabalhou em estúdio de Memphis ainda em 1951 e, principalmente, com o guitarrista e líder de banda Lou Sargent, além de nesse período integrar a formação de Lionel Hampton (1950 a 1952) e, também, a do grupo “Tennessee State Collegians”.
Participou de temporada com Willis Jackson em 1953, após o que ingressou no Exército onde permaneceu até 1955, para depois trabalhar na orquestra do pai, a par de atuar na Flórida no rádio e na televisão.
Influenciado por Count Basie, PHINEAS afastou-se do “R&B”, até então a base de seu trabalho.
Formou um quarteto em 1956 e partiu para a “maçã”;    até então suas primeiras  gravações haviam sido como “sideman” (primeiros anos da década de 1950, participação na gravação “We Tree” de Big Walter Horton, cantor de blues e executante de harmônica, para a “Sun Records” e em 1953 e 1956 em quarteto).   
Finalmente liderou trio em gravação para a “Atlantic” (maio de 1956 ao lado de Oscar Pettiford e de Kenny Clarke) e em quarteto para a “RCA” em outubro de 1956 (Calvin Newborn / guitarra, George Joyner / baixo e Philly Joe Jones / bateria) gravou o álbum que o projetou inicialmente, “Phineas Rainbow” para o selo “RCA”.
Já então atuava no “Basin Street”, praticamente sempre em trio, sua fórmula preferida a partir de então e onde mais vamos encontrá-lo gravando.

Retornaremos

Nenhum comentário: