Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

27 junho 2017

LEMBRANDO GUNTHER SCHULLER


Um dos principais formadores do Jazz contemporâneo.
Gunther Schuller, um dos músicos mais respeitados no mundo do Jazz, compositor, arranjador, escritor, educador e executante de trompa, que faleceu há 2 anos aos 89 anos de idade.
A Schuller é creditado como sendo o "arquiteto" da "third stream music" (terceira corrente da música) há mais de meio século, uma fusão de música clássica e Jazz.
Ele teve uma educação musical clássica sólida ao estudar violino e trompa, que foi seu instrumento final. Aos 15 anos ele estava tocando em grupos de música clássica e em 1945 lançou seu primeiro trabalho como solista, o "Primeiro Concerto para Trompa".
Mas sua paixão, quando muito jovem, foi o Jazz acesa pela Duke Ellington Orchestra e outros grandes. Entre 1949 e 1950 fez parte do grupo de Miles Davis quando gravou os temas lendários do famoso álbum - "Birth Of The Cool", onde tocou trompa e fez alguns dos arranjos (50 anos mais tarde viria a fazer arranjos para re-interpretações de Birth of the Cool feita por Joe Lovano).
Em 1955, ele e John Lewis (pianista e arranjador do Birth of the Cool) fundou a Jazz & Classic Music Society e a Escola Lenox de Jazz em Massachusetts. Schuller e John Lewis são considerados o "terceiro fluxo", que foi o primeiro movimento importante que fundiu o Jazz com a música clássica.
Gunther Schuller também tocou com Charles Mingus, Jimmy Giuffre, John Lewis, Ornette Coleman, Eric Dolphy, Dizzy Gillespie, J.J. Johnson, Bill Evans, Roy Haynes e Joe Lovano, entre outros grandes nomes do Jazz.
Mas ao final dos anos 50 sua carreira passou ao ensino de música e a produção de livros, embora ocasionalmente continuasse tocando Jazz até muito recentemente a seu falecimento. Ele também foi um comentarista respeitado e crítico de Jazz.
Early Jazz: Its Roots and Musical Development and The Swing Era: The Development of Jazz, 1930-1945 (1989). Suas memórias -  Gunther Schuller: A Life in Pursuit of Music and Beauty, estão entre os seus principais livros.
Em 1994, ele ganhou o Prêmio Pulitzer e em 1988 o Prêmio William Schuman. Ganhou dois prêmios Grammy e o Prêmio NEA Jazz Masters. Ao longo de sua carreira, ele recebeu dez graus honoríficos e a medalha póstuma - MacDowell para compositores.
(traduzido e adaptado do blog Noticias de Jazz)

Do livro - Glossário do Jazz –THIRD STREAM  - literalmente a terceira corrente expressão que a partir dos anos 50 passou a designar uma tendência musical que procurava sintetizar o Jazz com a música europeia clássica ou contemporânea. O musicólogo e compositor Gunther Schuller e o pianista John Lewis líder do Modern Jazz Quartet foram os principais iniciadores e responsáveis diretos por esta corrente musical tendo Gunther, inclusive, criado no New England Conservatory of Boston o departamento Third Stream Music. Alguns trabalhos interessantes chegaram a ser realizados, mas as eternas e incompatíveis rivalidades como: música escrita x improvisação e erudição x espontaneidade acabavam por convergir para aquela outra: — música de brancos x música de afro-americanos. Qualquer processo de se mesclar ou fundir suas características modernas, (uma vez que no passado esta fusão já havia ocorrido entre música negra africana e música branca europeia), passa a negar todo um embasamento histórico irreversível e imutável que é o Jazz como sendo música popular afro-americana dos EUA. O resto são apenas experiências, válidas, mas apenas experiências. Apesar de que, muito antes, algumas tentativas foram registradas como o Jazz sinfônico produzido por Paul Whiteman (*1890 †1967) e sua orquestra, a composição In A Mist (1927) de Bix Beiderbecke, a Innovations In Modern Music de Stan Kenton, e outras... Alguns compositores e artistas envolvidos com a THIRD STREAM: Jay Jay Johnson (Poems for Brass, 1956), André Hodeir (On a Blues no álbum American Jazzmen Plays A. Hodeir Essais, 1957, Bill Russo (An Image of Man do álbum Lee Konitz with Strings, 1958), Gunther Schuller (Concertino for Jazz an Orchestra, Modern Jazz Quartet and Symphony Orchestra, (Atlantic 1359 - 1961), Don Ellis (Improvisational Suite n0 1, 1960), Jimmy Giuffre (Three We, 1962), Larry Austin (Improvisations for Orchestra and Jazz Soloist, 1967), Anthony Braxton (Composition 82, For Four Orchestras, 1978), e ainda Gil Evans, George Russell, Dave Brubeck e outros... Talvez o mais interessante e consistente trabalho tenha sido registrado no LP ― Third Stream Music - Modern Jazz Quartet & Guests – (Atlantic - 940044 – 1960) contando com a participação do grupo The Beaux Arts String Quartet.
Temas / solistas e créditos:
A1     Da Capo
Bass – Ralph Pena
Clarinet, Saxophone [Tenor] – Jimmy Giuffre
Guitar – Jim Hall
3:38
A2     Fine
Bass – Ralph Pena
Clarinet, Saxophone [Tenor] – Jimmy Giuffre
Guitar – Jim Hall
6:06
A3     Exposure
Bassoon – Many Zegler
Clarinet – William McColl
Flute – Bob Di Domenica
French Horn – Paul Ingraham
Harp – Betty Glamann
9:43
B1     Sketch
Viola – Carl Eberl
Violin [1st] – Gerald Tarack
Violin [2nd] – Alan Martin
5:30
B2     Conversation
Viola – Carl Eberl
Violin [1st] – Gerald Tarack
Violin [2nd] – Alan Martin
More musician:
Bass – Percy Heath
Cello – Joe Tekula (tracks: A3, B1, B2)
Conductor – Gunther Schuller (tracks: A3, B1, B2)
Drums – Connie Kay
Piano – John Lewis
Supervised By – Nesuhi Ertegun

Vibraharp – Milt Jackson

2 comentários:

pedrocardoso@grupolet.com disse...

Estimado MÁRIO JORGE:

Excelente retrato de um dos maiores e melhores músicos / escritores do JAZZ, um exemplo de profissionalismo, dedicação, criação e empenho pelo melhor.
Um senhor "cavalheiro" !

PEDRO CARDOSO

Anônimo disse...

Espetacular esta "reportagem" Major excelente matéria
Carlos Lima