Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

14 julho 2016

RECENTE BIOGRAFIA DE CHARLIE PARKER "CORRIGE" ALGUNS MITOS

Uma recente e nova biografia de Charlie Parker, escrita pelo arquivista e historiador do jazz Chuck Haddix, intitulada ─ "Bird, The Life and Music of Charlie Parker" foi recebida com aclamação pela crítica e comentários como - "uma verdadeira imagem do músico de jazz complicado e grande."
Uma pesquisa feita por Haddix foi meticulosa. Além de todos os tipos de documentos, declarações que inclui histórias pessoais de amigos, jornalistas, familiares e músicos que conheciam intimamente "Bird".
De acordo com os críticos da Ejazznews este livro centra-se sobre a vida pessoal de Parker, e "corrige" um monte de desinformação e mitos criados ao longo dos anos sobre um dos músicos mais influentes do século XX.
Explora suas dores e seus triunfos, suas dificuldades em Kansas City, no início, sua associação com Dizzy Gillespie e a criação de Be-bop, sua detenção em um hospital psiquiátrico na Califórnia, seu retorno bem sucedido para a fama mundial, o seu relacionamento conturbado com Chan sua quarta esposa, a morte de sua filha Pree, e sua morte prematura devido a excessos em sua vida.
Chuck Haddix é o diretor de arquivos de som Marr das bibliotecas da Universidade de Missouri-Kansas. Ele também é co-autor de "Kansas City Jazz: De Ragtime To Be-bop". Ele ensina História do Jazz no Kansas City Art Institute. Ele também tem um programa de rádio que inclui jazz, blues e rhythm and blues.
Parker levou uma vida realmente atribulada pela droga, álcool e fama, consagrado como gênio, naturalmente muitas histórias foram criadas ou mal contadas e incluídas em outras biografias.

(adaptado de Noticias de Jazz)

Um comentário:

pedrocardoso@grupolet.com disse...

Estimado MÁRIO JORGE:

Pretendo encomendar e ler as "novas verdades", ainda que tenha reservas quanto a "descobertas" diferentes daquilo já publicado por quem conviveu intensamente com o músico mais importante do século XX (esposa, produtor, historiadores etc) e que tornou-se modelo e base de aprendizado e prática permanente da imensa maioria dos músicos em atividade pós-anos 40.
É conferir.

PEDRO CARDOSO