Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

21 dezembro 2015

CANTOR (a) DE JAZZ ? EIS A QUESTÃO

Há dias um amigo me perguntou – “Sinatra poderia ser considerado um cantor de jazz?”.
O que respondí é o que comento no verbete JAZZ SINGER  do Livro GLOSSÁRIO DO JAZZ e que aqui transcrevo a seguir:

JAZZ SINGER  - realmente significa cantor de Jazz porém não é muito simples definir ou classificar determinado cantor como sendo de Jazz, inclusive existem uns que nem gostam de assim serem rotulados. Quase sempre se estabelece uma polêmica sobre se tal ou qual cantor seja ou não de Jazz.
Bem, para ser um cantor de Jazz não é obrigatório o emprego do improviso vocal do tipo scat singing, mas precisa ter algo da "gramática" do Jazz, ou seja, em uma execução ter swing (balanço), quando desloca acentos, flutua com os tempos enfim saber usar o “beat”(*) como uma forma de improviso. O repertório deve ser adequado, vez por outra um blues, bem como as inflexões da voz e o fraseado, e principalmente, ser acompanhado por músicos de Jazz porque dentro do conjunto, voz e instrumentos se complementam em uma atmosfera inteiramente jazzística.
Jazz é puro "feeling", sentimento e não rótulo!
Pode-se considerar Jazz Singer  alguns cantores do blues clássico como: Alberta Hunter, Bessie Smith, Gertrude "Ma" Rainey, Ida Cox, Lizzie Miles, Mamie Smith, Victoria Spivey e outras... Alguns dos considerados indubitáveis Jazz Singer são: Annita O'Day, Betty Carter, Billie Holiday, Carmen McRae, Diane Schuur, Dinah Washington, Dianne Reeves, Ella Fitzgerald, Jimmy Rushing, Joe Williams, Jon Hendricks, Maxine Sullivan, Mel Tormé, Sarah Vaughan e muitos outros.
Alguns fazem o gênero "vez por outra no Jazz" como a maioria das "lady crooners" das big bands na era swing e ainda cantores como: Bing Crosby, Frank Sinatra, Frankie Laine, Lena Horne, Nina Simone, Peggy Lee,  Rosemary Clooney, Tony Bennet e outros... Existem ainda aqueles que não sendo propriamente cantores, mas líderes de conjuntos vocalizam também o Jazz, tais como: Cab Calloway, Chet Baker, Dizzy Gillespie, Doc Cheathan, Louis Armstrong, Woody Hermann, dentre muitos...

(*) beat - palavra inglesa que designa os tempos ou batidas de um compasso musical e que se emprega no Jazz de modo mais enfático como sinônimo de pulsação rítmica. Um músico ou banda que tem beat significa que tem balanço (swing), boa acentuação e também mantem ótimo tempo do compasso. A ritmica de uma execução é parte importantísima no Jazz.

2 comentários:

Anônimo disse...

Mestre MaJor,
pela sua aula, fica clara a idéia de "vez por outra no Jazz". Acho que define bem o namoro de incontáveis vocalistas, com alguma senioridade ou dom de berço para fazê-lo, com o Jazz.
Uma das mais gratas revelações dessa categoria de "verbete" foi nossa inefável Wanda Sá em memorável noite de produção do CJUB no finado Mistura Fina, cantando exclusivamente Jazz. Com sua voz de registro grave, emplacou lindos "standards" como se não fosse a primeira vez.
Ao final, no camarim, confessou-me que tinha ensaiado sózinha em casa, incansavelmente, para não "fazer feio". Fez bonito, e como.
Obrigado por trazer a discussão à tona. Grande abraço.
MauNah

Anônimo disse...

Realmente uma aula Major, tenho o seu livro Glossário, mas colocar esta matéria aqui foi muito legal. Abração e Feliz Natal
Carlos Lima