Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

26 novembro 2014

UM ANO SEM LUIZ CARLOS ANTUNES - (LULA)

Nascido em Niteroi em 3 de abril de 1932, desde jovem foi atraído pela música e ouvindo as big-bands norte-americanas interessou-se pelo Jazz, passando assim a colecionar discos, revistas e tudo que se referia àquela música, detendo um acervo fantástico. Escreveu artigos e colunas em diversos órgãos de imprensa, bem como notas de contracapa de discos LP. Sua inigualável contribuição foi no rádio, através da Difusora Fluminense e mais tarde na Fluminense FM onde manteve o formidável programa O Assunto É Jazz durante 29 anos, cuja última audição foi a 27/set/1994 se tornando histórica e heróica.
Histórica porque coincidiu com o último dia e horário da emissora no ar, já que ao final do programa, à meia noite, passaria ao controle do grupo paulista Jovem Pan. Heróica porque, graça a problemas internos de críticas abertas à direção da emissora feitas pelos locutores e entrevistas de aficionados da rádio que se dedicava ao rock com grande audiência os microfones foram desconectados da mesa de som no estúdio sem que se soubesse.
Ao iniciar o programa, por surpresa geral, somente a música era transmitida. No entanto, depois do susto inicial lembrou-se de que seria possível gravar uma locução, em outro estúdio, em fita cassete e reproduzi-la normalmente, e dessa forma foram feitas 3 intervenções "ao vivo". Lula conduzia e produzia o programa com imenso bom gosto musical e conhecimento sobre a matéria, além de manter sempre aberta a porta do estúdio para os artistas da música instrumental brasileira com lançamentos, divulgação, entrevistas, etc. Manteve duas seções da maior importância no programa: o Museu de Cera produzido regularmente pelo autor desta postagem, por cerca de 8 anos no qual se resgatava por 15 a 20 minutos um pouco da história do Jazz com antigas e antológicas gravações e o Beco das Big Bands que chegou a reunir mais de 100 bandas diferentes de Jazz, este produzido por Maxwel Johnstone, ambos ouvintes do programa que se tornaram amigos e co-produtores.
Luiz Carlos Antunes foi sem dúvida um dos respeitáveis nomes da divulgação da música de Jazz no Brasil. Aqui no blog sempre presente com suas histórias, notícias, etc. 
No áudio abaixo a mensagem de Lula (gravada em cassete e transmitida pela rádio no horário do programa, já que os microfones haviam sido desligados).




PARA BAIXAR O ÁUDIO:
 http://www.divshare.com/download/26465409-f6b

7 comentários:

Anônimo disse...

Que bela homenagem. E como é bom voltar a ouvir a voz do nosso bom Mestre Llulla outra vez. Mestre MaJor, mandou muito bem!
Abraço e obrigado pela pérola histórica.

Anônimo disse...

fui ouvinte durante muitos anos do Assunto é jazz, cheguei a escrever para o Lula e aqui o encontrei com suas postagens e agora o Major reedita o programa maravilhoso do tempo do Lula. Grande e justa homenagem
Carlos Lima

Nelson disse...

Confrades,

Conheci o Lula em 1956. Fomos amigos "de jazz" e de família desde então. Vi surgir "O Assunto é Jazz" desde o seu primeiro programa e, estive presente ao último ao qual o Mestre Major aqui se reporta. Desde então, nunca tivemos longe que não soubéssemos um do outro.
As "jam sessions", os "Saúvas de Niterói",a "loja Muray", as "audiencias de jazz" domiciliares, filhos,concertos internacionais da nobre arte. Enfim, tudo deixou um vácuo quando ele foi chamado pelo Criador. Na AND, despediu-se de mim nos 25 anos dizendo, junto ao seu neto, "Adeus". Pouco tempo depois, ele foi novamente, de súbito, internado. Quando retornou, liguei e, por telefone, nos falamos. Foi a última vez que ouvi a voz do Mestre e amigo.
Major, que ora nos lembra o Mestre,recebeu nosso telefonema sobre seu falecimento no dia, estando Major em Paris, na ocasião.
Ficaram as lições do Lula, sua lembrança e a saudade de um grande companheiro.
A vc., Mario, um grande abraço. do amigo
Nelson Reis

Beto Kessel disse...

Fui ouvinte do programa e foi um prazer poder ter a chance de conversar e aprender com eles nos almocos do CJUB

Anônimo disse...

Saudades, saudades eternas da alegria, da permanente defesa da ARTE POPULAR MAIOR, da amizade, de toda uma escola de conhecimento.
Saudades.................

apostolojazz

Tibau disse...

Querido Major
Muito obrigado pelo post. Meu grande amigo e mestre no jazz desde 1956 jamais será esquecido graças as muitas lembranças que guardamos e também graças as homenagens iguais a esta.
Forte abraço.

Brazil in Sound disse...

Olá, me chamo Gabriela Jardim,sou de Caxias do Sul (RS) estamos fazendo um documentário sobre a compositora e tecladista Ana Mazzotti, ela deu algumas entrevistas ao Luiz Carlos Antunes na antiga Fluminense FM, gostaríamos de saber se essas entrevistas ainda existem no acervo da radio, por favor é muito importante para o regaste histórico dessa personalidade que foi Ana Mazzotti, amiga do Lulla, e muito importante como registro artístico brasileiro. Muito obrigada, aguardo resposta!
nosso email é docanamazzotti@gmail.com