Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

18 junho 2012

A MORTE DE MICHAEL CARNEY


Michael Carney no Velho Armazem, acompanhado por Márvio Ciribelli,(p)  Alex Rocha(b) e Guilherme Gonçalves (dm).
Quem me deu a notícia foi Márvio Ciribelli, informando sobre o falecimento de Michael Carney no dia 14 de junho. Muitos hão de se lembrar da figura alegre e simpática do músico que tantas vezes veio ao Brasil, tendo tocado em diversas cidades e dando aulas de percussão, além de mostrar como se executa o difícil “steel drums”. Além das panelas, como ele mesmo chamava seu instrumento, Michael era um excelente vibrafonista e também baterista, tendo dado mostras de suas habilidades nos shows que fez com o amigo Márvio Ciribelli do Velho Armazém em Niterói. Michael era natural de Rochester-NY e entre muitas atividades exercia o cargo de “Director of Percussions Studies” na California State University . Viajou por muitos países, inclusive africanos, trocando informações rítmicas e sempre ensinando percussão. Assistimos a vários de seus shows, tanto no Mistura Fina como no Velho Armazém inclusive um em que trouxe alguns de seus alunos americanos. Uma de suas alunas, de nome Amanda, tocou vibrafone, interpretando o original de Thelonious Monk, “Epistrophy”. Assim era Michael Carney, agora derrotado por um câncer de pulmão aos 60 anos de idade.

6 comentários:

Beto Kessel disse...

Que pena!! lembro dele tocando num concerto do CJUB tanto o vibrafone quanto o steel drums,e ao final mostrando as particuaridades do instrumento...No meu MP3 tenho um tema daquela noite gostosa, com o grupo tocando Giant Steps...Glauton campello ao piano e mais uma caminhao de feras...Michael carney era um musico e um educador de jazz de mao cheia. Grande perda.

Beto Kessel

Anônimo disse...

Não tive a oportunidade de assistí-lo, mas pelas referências de Mestre LULA tratava-se de um "MÚSICO". Mais uma perda, infelizmente.

APÓSTOLO

Beto Kessel disse...

O ano foi 2007...

Michael Carney, Idriss Boudrioua, Santa Roza, Glauton Campello e Guilherme Gonçalves ao vivo no Mistura Fina Rio de Janeiro 2007.

Noite inesquecivel!!!

Beto

Beto Kessel disse...

Descupem, nao era Giant Steps e sim CHEROKEE.

http://www.youtube.com/watch?v=IHlKrppzg1w

Sugiro que assistam..Imperdivel

Beto Kessel

Beto Kessel disse...

28.07.05
MICHAEL CARNEY & GUILHERME GONÇALVES QUINTETO
Vibrafone & Steel Drum – Michael Carney
Bateria – Guilherme Gonçalves
Piano – Glauton Campelo
Baixo – José Santa Roza
Sax Alto – Idriss Boudrioua

Este foi o grupo que tocou em 28.07.2005 (e nao em 2007) e sobre CHEROKEE, transcrevo algumas palavras da resenha feita pelo David Benechis

- Embevecido pela balada pop A Remark You Made, logo reconhecida pelos saudosos do Weather Report, o publico passou do sonho à alucinação com um Cherokee (R. Noble) em usual uptempo - ma non troppo aqui - Gonçalves surpreendendo ao trocar o mood blakeyano a ele tanto peculiar, pela autêntica emulação do estilo de Max Roach, num dos pontos altos da noite.

Beto

Anônimo disse...

Produção inesquecível do Mestre Goltinho, guardada para sempre na memória. RIP Mr. Carney
MauNah