Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

30 setembro 2011

PIANISTA NORTEAMERICANO NA SALA BADEN POWELL

Amigos Cjubianos,

Após um longo inverno estou de volta. Quem estiver no Rio de Janeiro semana que vem não deixe de comparecer ao show do pianista norte-americano Roger Davidson.
Roger é um jazzista apaixonado pelo Brasil. Ele montou um time de feras para apresentar na Sala Municipal Baden Powell (Av. N. Sra. de Copacabana, 360), dia 6/10 às 20 horas o seu CD "Brazilian Love Songs".

A banda é composta por Roger ao piano, Paulo Braga (bateria), Marcelo Martins (sax), Gilmar Ferreira (trombone), Sergio Barrozo (contrabaixo), Marco Lobo (percussão). Participações especiais de Rafael Barata e Ney Conceição. Nos vemos lá.

Abraços,
PegLu

P O D C A S T # 7 0


29 setembro 2011

BOSSASAMBAJAZZ – MAESTRIA

Joe Locke & Trio Da Paz

SEGUNDO “REMEMBERING BUD POWELL FESTIVAL” EM NEW YORK

Iniciado em New York no dia 27, o segundo festival em homenagem a Bud Powell, um dos ícones do piano moderno, que ao lado de Parker, Gillespie, Kenny Clarke e outros poucos, iniciaram o movimento “be bop”.

Esse festival tem a duração de três dias e é realizado no “Bar On 5th do Hotel Setai”. A iniciativa partiu do filho do próprio Bud Powell, Earl John Poweell e esse ano apresenta o trio do pianista Rick Germason, o quarteto de Alex Hoffman e o trio de Luke Celenza.

Segundo Earl, esses músicos formam uma excelente seleção para render homenagem ao trabalho de seu pai, cuja influência musical perdura até hoje.

27 setembro 2011

JAZZ NO CCJF NOS DIAS 28 E 30.09.2011

A sala do Centro Cultural da Justica Federal traz esta semana dois shows que merecem destaque:

Na quarta feira (28.09.2011) tem o trio composto por RICARDO SILVEIRA, ROMULO GOMES E ANDRE TANDETA na formacao guitarra, baixo e bateria

Na sexta feira (30.09.2011) tem o duo composto por KIKO CONTINENTINO e PAULO RUSSO (piano e baixo acustico).

Fica a dica para quem puder ir.

Musica de qualidade em ambas as formacoes numa sala super agradavel.

Ambos os shows comecam as 19:00 e o preco e de R$30 e R$15 (meia)

A sala esta localizada na avenida Rio Branco, 241 - Centro - Rio na saida do metro cinelandia.

Beto Kessel

PARABENS, BENEX !

24 setembro 2011

TRIBUTO A WES MONTGOMERY - E HOJE!!!

Informacoes extraidas do site clubedejazz.com.br

TRIBUTO A WES MONTGOMERY

O guitarrista Fernando Clark faz um tributo a Wes Montgomery, o gênio que reinventou a guitarra do jazz. No repertório, Fernando vai relembrar clássicos de Wes Montgomery como "West Coast Blues", "Four on Six", "Road Song", "Unit 7", "Full House", "Boss City" e outras...

Fernando Clark (guitarra), Marco Tommaso (piano), Augusto Mattoso (baixo) e Paulo Diniz (bateria).

Data 24/09/2011
Local Restaurante Vizta:Av. Delfim Moreira, 630 - Leblon
Horário Sábado, às 21h30.
Informações Couvert: R$ 30,00.
Tel.: 21) 2172-1089 .

Beto

23 setembro 2011

ALGUMAS POUCAS LINHAS SOBRE A
GUITARRA E OS GUITARRISTAS - 14





Desde o início da série sobre “Guitarristas” apresentamos breves resenhas sobre guitarristas importantes no e para o JAZZ. Assim e inicialmente desfilaram as figuras de BARNEY KESSEL, HERB ELLIS, CHARLIE BYRD, KENNY BURRELL, JOE PASS, WES MONTGOMERY, DJANGO REINHARDT, JIM HALL, CHARLIE CHRISTIAN, TAL FARLOW, FREDDIE GREEN e LES PAUL. Na presente resenha estamos indicando filmes (VHS, DVD, televisão) contendo guitarristas em execuções ao vivo, já que por mais que se escreva sobre eles nada substitui apreciá-los executando sua arte, em solo ou acompanhando outros músicos.
(a) O selo RHINO com distribuição da Warner Music Vision lançou no Brasil o DVD “Blues Masters – The Essential History Of The Blues”, em que podemos apreciar boa dose da ancestralidade da guitarra, tão essencial para o Blues de raiz, original. É importante assistir a LEADBELLY, BIG BILL BROONZY, MUDDY WATERS e outros guitarristas que cunharam tão fortemente o Blues.
(b) Documento da maior importância para apreciar-se outro guitarrista “diferenciado”, é o DVD “Swing Era – George Shearing”, do selo IDEM, que contem apresentações musicais de GEORGE SHEARING, MEL TORMÉ, SLAM STEWART, BOB CATS, RALPH FLANAGAN, TONY PASTOR e, ai a importância do DVD, do guitarrista SLIM GAILLARD (gravou com CHARLIE PARKER), com seu palavreado, seu humor e sua técnica absolutamente ímpar à guitarra e ao piano.
(c) Pela etiqueta VAP Vídeo, dentro da série “JAZZ 625” e com apresentação de Humphrey Lyttelton, temos WES MONTGOMERY com o pianista HAROLD MABERN Jr. mais baixo e bateria em show de 1965. A série foi gravada no Japão como parte dessa série “JAZZ 625”. Importante é a técnica diferenciada de WES, utilizando exclusivamente o polegar da mão direita, sem palheta e tangendo as cordas sempre de cima para baixo.
(d) A série “JAZZ ICONS” lançou em DVD documento importante sobre WES MONTGOMERY, com apresentações ao vivo na Holanda, na Bélgica e na Inglaterra. Sob o título “WES MONTGOMERY – Live In ‘65”, temos nesse documento 14 temas interpretados por esse expoente da guitarra, louvando-se o trabalho de recuperação de imagens, que nos proporciona um belo espetáculo.
(e) O selo VERVE do empresário e produtor de JAZZ Norman Granz, lançou em nosso mercado a série “JAZZ IN MONTREUX” com 18 DVD’s. Destaque, enquanto concerto de guitarra, para as apresentações em 17 e 18 de julho de 1975, mais a de 15 de julho de 1977, do grande JOE PASS, em que executa diversos “standards” e temas de bossa nova com sua habitual e superior categoria.
(f) A etiqueta MPO Vídeo (São Paulo) distribuiu no mercado em VHS a apresentação “GREAT GUITARS” de 1979 (série “O Melhor do Jazz”), gravada no “Jazz At The Maintenance Shop” ocorrido na Iowa State University (Ames / Iowa). Nessa apresentação temos 03 guitarristas de “ponta” em perfeita sintonia: HERB ELLIS, BARNEY KESSEL e CHARLIE BYRD. São acompanhados por JOE BYRD no baixo e WAYNE PHILLIPS à bateria.
(g) Uma série muito importante pelo conteúdo - diversas apresentações “ao vivo” de guitarristas – é a denominada “CLUB DATE”, que foi exibida pela TV-Cultura de São Paulo nos anos 90 do século passado, sempre nos sábados à noite e com comentários em cada introdução pelo apresentador Zeca Camargo. Todas essas apresentações foram realizadas na segunda metade dos anos 80 do século XX, no “Elario’s Restaurant And Jazz Nightclub” em La Jolla, San Diego, sendo gravadas pela KPBS-TV e incorporadas ao acervo do “U.S.I.S.” (United States Information Service), que as cedeu para exibição pela TV-Cultura. Cada “show” tem a duração aproximada de até 1/2 hora. Pode ser difícil conseguir esses filmes, mas por experiências passadas que viví no Rio de Janeiro (Consulado Geral dos EUA, Avenida Presidente Wilson nº 147, Castelo), uma tentativa razoável seria consultar um dos Consulados americanos e seu “IRC” (Information Resource Center), já que tudo o que possuem sempre é disponibilizado para consultas gratuitas. A série apresentada pela TV-Cultura contou com os seguintes músicos:
- Larry Vuckovich;
- Peter Sprague;
- Buddy Collette (em quarteto);
- Holly Hofmann & Bobby Shew;
- Papa John Creach;
- Mose Allison;
- Cedar Walton (em trio);
- Hank Jones (em trio);
- Art Farmer (em quinteto);
- Jazz Messengers Tribute (a cargo de Javon Jackson/sax.tenor, Philip Harper/ trumpete, Cedar Walton/piano, Essiet Essiet/baixo e Ralph Penland/bateria);
- Buddy De Franco;
- Bud Shank.
No que se refere aos guitarristas a série contem:
- LAURINDO DE ALMEIDA (ao violão) com Bob Magnusson / baixo e Jim Plank / bateria;
- BARNEY KESSEL com Bob Magnusson / baixo, Sherman Ferguson / bateria e a participação de HERB ELLIS no número final;
- HERB ELLIS com Bob Magnusson / baixo, Sherman Ferguson / bateria e BARNEY KESSEL no numero final;
- JOE PASS com os mesmos acompanhantes de Laurindo de Almeida;
- KENNY BURRELL com os mesmos acompanhantes de Barney Kessel e de Herb Ellis;
- MUNDEL LOWE com Bob Cooper / sax.tenor, Monty Budwig / baixo e Roy McCurdy / bateria.
São, portanto, 06 filmes com guitarristas, todos eles em “estado de graça” e tocando o que gostam em ambiente descontraído (o “Elario’s” é local muito confortável, bem intimista, que recebe público amante do JAZZ e, portanto, onde se sabe respeitar os músicos). Vale a pena o esforço de tentar resgatar esses filmes e apreciar a arte desses guitarristas “fora-de-série”.
(h) No Festival de Jazz de Montreal de 1988 (Montreal, Théàtre St-Denis, 02/julho/1988) ocorreu a apresentação do “Al Di Meola Project”, com o guitarrista AL DI MEOLA, acompanhado por KEI AKAGE / órgão, TOMMY BRECHTLEIN / bateria, ROGER SQUITERO / percussão, CHUCK WEBB / baixo e JOSÉ RENATO / vocal.
(i) Reunião das mais significativas ocorreu em 1989 em Columbia, Carolina do Sul, dentro do projeto “JAZZ AT EPICUREAN” e sob o título de “Main Street Jazz” (ao ar livre e com o público em mesas ou em pé em plena via pública). BUCKY PIZZARELLI (pai) e JOHN PIZZARELLI (filho) às guitarras apresentaram-se coadjuvados por TOMMY NELSON / sax.tenor, JOHNNY FRIGO / violino, DEREK SMITH / piano, BILL CROW / baixo e ED SOPH / bateria. Apresentação importante para comparar-se as técnicas de pai e filho.
(j) O guitarrista LARRY CORYELL apresentou-se na Fabrik, Hamburgo, em show devidamente registrado sob o título “SPACES REVISITED” e exibido na TV dentro da série “TEACHER'S JAZZ NIGHTS”. LARRY estava acompanhado por BIRELI LAGRENE / guitarra, RICHARD BONA / baixo elétrico e BILLY COBHAM / bateria.
(k) No documentário “O LEGADO DE DJANGO REINHARDT” de 1990, o guitarrista SACHA DISTEL é o narrador e BABIK REINHARDT, filho de DJANGO REINHARDT, o consultor. O documentário foi produzido para a televisão francesa dentro da série “Jazzology Production”. Trata-se de histórico sobre DJANGO, com diversos guitarristas que seguem a tradição de “Jazz Manouche” mostrando sua técnica; são guitarristas dos mais variados paises, cada um deles como cultor da herança de DJANGO, entre os quais BOULOU FERRÉ, GARY POTTER, RICHARD CHICE, SERGE KRIEF, BIRELI LAGRENE e STOCHELO ROSENBERG, vale dizer, uma plêiade de “craques”. Todos eles comentam o legado de DJANGO para ao final se reunirem no povoado de Samois-Sur-Seine, no festival anual que homenageia esse músico. Ao longo do documentário pode apreciar-se como desde muito jovens os pequenos guitarristas aculturam-se no legado de DJANGO. Já em 1978 e também para a televisão havia sido produzido o documentário “HOMENAGEM A DJANGO”, em que diversos guitarristas e músicos homenagearam DJANGO apresentando-se ao ar livre em Samois-Sur-Seine, o povoado do interior francês em que residiu o cultuado guitarrista belga em seus últimos dias de vida, tendo sido ali sepultado.
(l) JOHN PIZZARELLI que tantas e tantas vezes já se apresentou no Brasil, está muito bem focado (histórica e musicalmente) no “JOHN PIZZARELLI – ALL OF ME”, editado a partir de sua apresentação no Montreal International Jazz Festival de 1992. Sob o título de “Live In Montreal – The Big Band”, a etiqueta BMG Vídeo distribuiu essa apresentação em nosso mercado. Acompanha PIZZARELLI o trio KEN LEVINSKY / piano, TONY CORBISCELLO / baixo e MARTIN PIZZARELLI / bateria, mais a “The Nat Raider Orchestra”, uma “senhora” banda que respeita nos arranjos os cânones da “Count Basie Orchestra”.
(m) O documentário “LES PAUL” de 1994 foi devidamente produzido pela “National Arts” (apresentação de Mike Baker). Ai temos a história do grande LES PAUL que nos deixou recentemente com 93 anos (Lester William Polfus, 09/junho/1916 a 13/agosto/2009), com tomadas de seus shows das segundas-feiras no “Fat Tuesdays” de New York, assim como entrevista com o mesmo em que ele nos conta como chegou à multi-gravação.
(n) Com distribuição em 1995 pela VESTAPOL Productions foram lançados no mercado 02 volumes da série “LEGENDS OS JAZZ GUITAR”, seguramente um dos mais importantes documentos gravados ao vivo com apresentações de WES MONTGOMERY, JOE PASS, BARNEY KESSEL, HERB ELLIS, KENNY BURRELL, GRANT GREEN e CHARLIE BYRD. É pura técnica desfilando beleza, com essas estrelas em cena.
(o) De 1996 e dentro da série “JAZZ HEROES” temos um documentário muito importante sobre WES MONTGOMERY, com “takes” do mesmo em cena e narração por 03 guitarristas: GEORGE BENSON, JIM MULLEN e RONNY JORDAN. Boa parte da biografia de WES e muito de sua técnica são devidamente apreciadas neste documentário.
(p) Em 20/abril/2005 o excepcional guitarrista JOHN JORGENSON apresentou-se em quinteto no Teatro Olímpico de Vicenza, mostrando suas soberbas técnica, emoção e superior capacidade de improvisação à guitarra, dentro da herança de DJANGO REINHARDT. No espetáculo de 02 horas, JORGENSON nos brinda com 21 temas, sendo 09 de sua autoria, 03 de DJANGO e mais 09 de outros autores e/ou clássicos do populário americano.
Como recomendações para assistir TAL FARLOW e FREDDIE GREEN, já fizemos indicações em edições anteriores destas resenhas.





Retornaremos à guitarra e aos guitarristas em próximo artigo
apostolojazz@uol.com.br

P O D C A S T # 6 9

22 setembro 2011

FRANK DRIGGS (1930 – 21-09-11)


Quem me informou foi Mestre Raffa. Morreu um dos grandes testemunhos vivos da história do Jazz. O grande produtor e historiador FRANK DRIGGS , foi encontrado morto em sua residência no dia 21. De intensa atividade no mundo do Jazz, recebeu um Grammy em 1991 por sua produção do álbum “Robert Johnson : The complete recordings”, editado pela antiga CBS. Em seu arquivo estão mais de 100.000 fotos de músicos de Jazz.
RIP
CONFESSO QUE OUVÍ


Durante o "II Festival de Contrabaixos" = Sala Baden Powell nos dias 30 de setembro e 01 e 02 de outubro próximos, sempre às 19.00 horas = ocorrerá o lançamento no Rio de Janeiro do livro "Confesso que Ouví", da autoria de ÉRICO CORDEIRO.

O Autor estará autografando os livros vendidos (R$ 40,00/exemplar) a partir das 18.00 horas.

Trata-se de obra importante sobre o JAZZ, com excelente seleção de resenhas, em que cada uma foca um músico da "Arte Popular Maior" com a análise descritiva de uma de suas gravações importantes. Leitura indispensável para jazzistas e jazzófilos, o livro "Confesso que Ouví" entra para a bibliografia nacional como parte integrante das obras nacionais sobre JAZZ.

19 setembro 2011

ORQUESTRA DE MARIA SCHNEIDER NA EUROPA


A band-leader Maria Schneider deu a conhecer o seu calendário para a próxima tournée na Europa. Em 20 de outubro estará no Festival Internacional de Jazz de Barcelona, para dois dias depois se apresentar em Luxemburgo. Em 24, 26 e 28 a banda tocará em Viena, Zurich e Genebra respectivamente. Sem dúvidas, a banda de Maria Schneider continua sendo um sucesso em todo o mundo. Pianista, compositora e arranjadora de méritos, Maria ainda ganhou vários prêmios importantes e desde os anos 90 vem dirigindo sua banda com muito sucesso.

18 setembro 2011

YOUNG LIONS

Aqui estou para falar de 2 gratas revelações e já craques em seus instrumentos, o 1º e mais jovem é o pianista GERALD CLAYTON ( 27 ) filho do contra baixista John Clayton, Gerald ganhou o importante prêmio Thelonious Monk em 2006, acompanhou Roy Hargrove, Roberta Gambarini ( inclusive quando por aqui estiveram da última vez ) entre outros.
Tem apenas 2 cd's (oficiais) lançados como lider, o magistral "Two Shade" (Decca-2009) com Joe Sanders ( b ) e Justin Brown ( ds ), com 12 faixas sendo 10 da própria cepa e 2 standards, "All of You" (Porter) e "Con Alma" (Gillespie), que fecha o cd com uma interpretação solo emocionante, o outro recém lançado "Bond: The Paris Sessions" (Emarcy-2011) com o mesmo trio do 1º cd, foi gravado em Paris e quase todo autoral, demonstrando além de tudo ser um compositor de mão cheia.
Clayton que foi eleito pela DownBeat, pianista revelação acaba de arrebatar as platéias dos principais festivais da Europa, considerado inclusive pela crítica, real sucessor de nada mais nada menos que Oscar Peterson.

A outra revelação é o trumpetista SEAN JONES pouca coisa mais velho ( 33 ) mas com uma bagagem de fazer inveja, tendo iniciado na Cleveland Jazz Orchestra e componente atual da Lincoln Center Jazz Orchestra, tocando ainda com Joe Lovano e Kenny Barron, com quem assisti no Dizzy's Club em 2010.
Possui uma discografia de 6 cd's lançados como lider a maioria pela gravadora Mack Avenue, sendo o último de 2011 "No Need For Words" acompanhado por Orrin Evans ( p ) Luques Curt Calvaire ( b ), Kahlil Kwame Bell ( ds & perc ), Brian Hogan ( ts ) e Matt Stevens ( g ).
São 8 temas do próprio Jones, mais um díscipulo do Miles mas com sua própria sonoridade, que recomendo bastante atenção, na certeza de que não vou errar.

Fui, devendo as capas dos respectivos cd's...

RESGATADO ROUND MIDNIGHT


Nosso Mestre LLulla sempre atento identificou que a primeira faixa do PODCAST 68, abaixo, não era ROUND MIDNIGHT. O CD NHOP LIVE está com as faixas trocadas e o tema está escondido em BLUES IN THE CLOSET e resgatado abaixo:



17 setembro 2011

VICTOR ASSIS BRASIL - TRIBUTO

E HOJE

Mais uma vez a chance de recordar este musico reverenciado por muitos com um dos maiores musicos de jazz brasileiros de todos os tempos

SESI
In Jazz Festival
Em homenagem a Victor Assis Brasil

A Caravana SESI Cultural leva para o Parque dos Patins, na Lagoa, um grande festival em tributo ao saudoso saxofonista Victor Assis Brasil, um dos maiores músicos do país.

Para embalar o público ao som do Jazz: a diva Leny Andrade, Paulo Russo e convidados, Sambop, Idriss Boudrioua e Base&Brass.

Data: 17 de setembro
Horário: 18 horas
Ingressos: Entrada franca
Classificação Etária: Livre
Local: Espaço Victor Assis Brasil
Parque dos Patins, Lagoa Rodrigo de Freitas

Ficha Técnica:
Idealização: Paulo Assis Brasil
Produção: Nossa Terra Brasil Produções Artísticas Ltda
Apoio: SindMusi
Promoção: MPB FM

Beto Kessel

16 setembro 2011

HÁ 50 ANOS – O GLOBO

O Globo publica em 16 de Setembro de 1961:

“O programa da I Semana de Música de Vanguarda, que se inicia, na tarde de hoje, no Teatro Municipal, prosseguirá amanhã à noite com o Concerto de Jazz de Vanguarda produzido e coordenado pelo disc-jockey Estevão Hermann, da Rádio Globo. Esse espetáculo vem despertando enorme interêsse, notadamente porque dêle participarão os mais aclamados conjuntos brasileiros que se estão especialmente na criação da vanguarda. Lá estarão o Trio Luís Eça, o Quarteto de Câmara de K. Ximbinho. Finalizando a apresentação, uma orquestra de trinta figurinhas sob a regência do maestro Cipó executará composições e arranjos de sua autoria e de Marcos Rupe.”

P O D C A S T # 6 8

15 setembro 2011

SFJazz Collective

TURN OUT THE STARS

Bil Evans morreu em 15 de Setembro de 1980. Eis Evans com seu último trio — Marc Johnson, baixo e Joe LaBarbera, bateria, tocando uma música que compôs em memória do seu pai. Oremos!

A MARAVILHA REVELADA PELO "GOOD OLD BENEDETTO"

14 setembro 2011

Made In Europe

Há ainda preconceito quando surge um bom jazzista na Europa. Os mais tradicionalistas, que viveram intensamente o Be-Bop, encabeçam essa corrente de reacionários. Tudo bem que às vezes é uma questão de gosto pessoal. Isso não se discute. Mas o que se percebe é um nítido desprezo por tudo aquilo que possa alterar um conceito pré-estabelecido, supostamente definitivo, que não suporta qualquer tipo de reconstrução, seja rítmica ou harmônica. Os europeus têm hoje feito mais pelo jazz do que os próprios norte-americanos. E esse é o ponto. Se a idéia é manter o jazz como um gênero atuante, crescente e sempre estimulante, o papel do jazz europeu torna-se fundamental. Claro que os americanos são magníficos, até como os pais da matéria. Mas a sobrevivência do jazz passa por um horizonte bem mais aberto e abrangente. Os pianistas europeus, por exemplo, estão em momento exuberante, com um "approach" diferente, inovador. Nota-se o foco em fazer do instrumentista antes de tudo um arranjador. Exibir um tema, como proposto em versões clássicas, já não é suficiente. Pianistas como Stefano Bollani, Stefano Battaglia (Italia), Simon Nabatov (Rússia), Frank Chastenier (Alemanha), Stefan Karlsson ( Suécia) e Christian Jacob (França), só para citar alguns, criam uma linguagem das mais frescas e revigorantes. Essa é a razão de um Bollani sozinho ao piano lotar seus shows pelo mundo, até mesmo no Brasil. Alguma mágica? Não. Apenas a vontade consciente de desafiar ouvidos e mentes preguiçosas, que adoram permanecer numa zona de conforto. É provável que se diga que essa concepção tenha sido já desenvolvida por Herbie Hancock. Sim, uma verdade. Assim como alguns novos pianistas americanos já aderiram também a essa refrescante escola, como John Beasley, destaque absoluto de uma geração pouco ousada. Nosso grande Sá cita Eric Reed, Mehldau, Cyrus e Jarrett como os maiores. São competentes, sem dúvida. Mas caminham pelo perigoso atalho da previsibilidade. Pelo menos para mim, o último CD do Cyrus (Journeys) teve o mesmo efeito de um Lexotan. Ao contrário, "The Christian Jacob Trio Live In Japan" é um primor em originalidade, técnica e bom-gosto. Espero que o assunto provoque algumas análises no blog. E, quem sabe, traga outras avaliações e conceitos. Tomara. Ninguém é dono da verdade, muito menos no jazz.
......................................................................................................................................
PS. Som na caixa: Too Close For Comfort (intencional, rs..) - The Christian Jacob Trio Live In Japan


......................................................................................................................................

13 setembro 2011

GRAHAM COLLIER (1937- 10-09-11)


Graham Collier era um dos mais importantes músicos ingleses, responsável mesmo pela grande divulgação do Jazz na Gran Bretanha . Compositor,arranjador,maestro e contrabaixista, era conhecido como o mais importante compositor de Jazz do Reino Unido.Foi o primeiro músico inglês a ser graduado na famosa “Berklee College of Music” de Boston. Escreveu também sete livros sobre Jazz, além de gravar dezenove álbuns,sendo que o último , intitulado “Hoarded Dreams” acaba de ser lançado nos Estados unidos. Foi também o primeiro músico de Jazz a receber um título honorífico do “Arts Council of England”. Nos anos 80 fundou o curso acadêmico para graduação em Jazz na prestigiosa “London Royal Academy of Music”. Foi também co-fundador do famoso conjunto “Loose Tubes” que com seu sucesso influenciou e fez reviver o Jazz na Inglaterra em meados dos anos 80. Collier faleceu em sua residência na Grécia, vitimado por um acidente cardíaco. Contava 74 anos. (Informações captadas no blog “Noticiero Del Jazz”)

12 setembro 2011

WARDELL QUEZERGUE JR. (1930-06-09-114)


Dele nós nunca tínhamos ouvido falar. Em New Orleans era conhecido como o “Bethoven Negro”, em razão de suas composições e arranjos. Nos parece que estava mais ligado ao lado pop da música do que propriamente do Jazz. Trabalhou com músicos famosos como Stevie Wonder, Paul Simon, B.B.King e Willie Nelson entre outros. Tragicamente muitas de suas composições e arranjos se perderam quando o furacão Katrina arrasou New Orleans. Mas, felizmente muitas dessas músicas ficaram guardadas através da grande variedade de músicos que as gravaram. Wardell Quezergue Jr. Tinha 81 anos.

MORREU O BATERISTA EDDIE MARSHALL


Vitimado por um ataque cardíaco, faleceu em 7 de setembro aos 73 anos de idade o baterista Eddie Marshall. Nascido em Springfield, Massachussets, El e em 1956 fo para New York desenvolver sua carreira, adotando o estilo dos bateristas Max Roach e Art Blakey. Durante dois anos tocou com o quarteto Charlie Mariano & Toshiko Akiyoshi . Depois de dois anos servindo as forças armadas, voltou a tocar outra vez com Akiyoshi em 1965. Trabalhou em seguida com o pianista Mike Nock, atuando por um ano na “house band” do nightclub Dom em New York. Trabalhou também com Stan Getz e foi o baterista de Dionne Warwick em suas tournées.
Em 1967 ele foi membto Fo “The Fourth Way”, um grupo de fusão que incluia Mike Noch, Michael White e Ron McClure. Com esse grupo excursionou pela San Francisco Bay Area até princípios e 1970, após o que atuou com John Hendricks e The Pointer Sisters. Foi também integrante do grupo Almanac com Bennie Maupin (fl-st), Cecil McBee(b) e Mike Nock(p), gravando um álbum em 1977.
Nos anos 80 trabalhou no projeto “Bebop & Beyond” que gravou albuns em tributo a Dizzzy Gillespie e Thelonious Monk.
Marshall sofreu uma cirurgia no coração em 1984, quando interrompeu sua carreira. Também fez parte da “San Francisco School of the Arts” e lançou seu segundo álbum como líder em 1999. Nos anos 2000 ele trabalhou na “San Francisco Arts Comission”.
RIP

07 setembro 2011

BRANDFORD MARSALIS NO RIO EM 07.09.2011

Nesta quarta feira a noite no Teatro Casagrande (Leblon), estara se apresentando o saxofonista Brandford Marsalis, filho de Ellis Marsalis (pianista) e irmao de Wynton (trompetista), Delfeayo (trombonista) e Jason (baterista).

Pelo que li e irei conferir amanha, Brandford estara acompanhado por Joey Calderazzo ao piano, Eric Revis no baixo e Justin Faulkner na bateria.

Que tenhamos la os ares descontraidos de New Orleans.

Beto

04 setembro 2011

MILES DAVIS - PALESTRA EM 28.09 AS 18:30

Tomo a liberdade de transcrever, ou melhor copiar aqui no Blog, uma das atividades relacionadas a Mostra "Queremos Miles" que esta em cartaz no CCBB aqui no Rio de Janeiro.

Eu estive la na ultima terca feira e gostei da exposicao. Recomendo a todos !!!

Visitando a pagina do CCBB na internet, encontrei mencao a palestra que ocorrera em 28.09.2011.

Seguem abaixo os dados:

----------------------------------------------------------------------------------

Palestra “Queremos Miles”
28 Set a 28 Set
Local: Teatro II | Rua Primeiro de Março, 66 - Centro
Horário: Quarta, às 18h30


Para marcar o fim da exposição Queremos Miles no CCBB do Rio, em 28 de setembro, dia no qual são completados 20 anos da morte de Miles Davis, esta palestra vai reunir três brasileiros apaixonados e especialistas no trompetista: o pesquisador e crítico José Domingos Raffaelli, o trombonista, arranjador e compositor Vittor Santos e o jornalista Antônio Carlos Miguel.

Duração: 90 minutos

-----------------------------------------------------------------------------------

Beto

01 setembro 2011

A RECUPERAÇÃO DE LEE KONITZ


São boas as notícias sobre a saúde de Lee Konitz, vitimado em junho por um AVC que o obrigou a interromper suas atividades. Ao que tudo indica está totalmente recuperado e anuncia a sua volta para o dia 21 de setembro quando participará de um evento acadêmico na Universidade de Columbia, constando de uma série de seminários e conferências. Também estará tocando por uma semana no famoso “Birdland” de New York, à partir de 31 de setembro. Estará com o Tomasz Stanko Quartet, Louis Armstrong Centenial Band e a Birdland Big Band.

HOT HOUSE JAZZ – SETEMBRO 2011