Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

30 agosto 2011

CHARLIE PARKER - Obra Imortal

Vivo fosse "BIRD" teria completado 91 anos nesta 3ª feira, 20/agosto.
Sua música completará vários séculos à frente, pelo que significa de eternamente novo, revolucionário, permanente.
"BIRD" live ! ! ! . . .

3 comentários:

llulla disse...

Claro, meu caro Apóstolo.
Fico pensando na idolatria popular por Miles Davis, enquanto Parker é esquecido. Colocando os dois na balança, Bird pesará muito mais. Mas, é assim que a banda toca e o recurso é não ouví-la.
abcs.
llulla

Andre Tandeta disse...

Charlie Parker é o maior nome do jazz.
Um artista definitivo,genio, tal qual J.S. Bach . Criou uma linguagem na decada de 40 que se tornou um dos fundamentos da linguagem jazzistica.
Abraços ao dois "Birdmaniacos" ,como eu, Apostolo e Llulla.

APÓSTOLO disse...

Estimados Mestre Lula e Tandeta:

Considerando que tantos e tantos compositores e cantautores são "cultuados" em nosso pobre BRASIL muito acima e além de NOEL ROSA e de TOM JOBIM, nada me estranha em relação a PARKER.
O mais que muito bem lembrado por Tandeta, o mago, completo e perfeito J.S.Bach, é também tão pouco tocado e apreciado entre nós em nossa terra, que fico imaginando como será o inferno.
Quanto ao peso de Miles, prezado Mestre e por mais que o incensem, avalio como de algumas gramas até 1959.