Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

11 junho 2011

DONNY NICHILO E IGOR PRADO BAND

A verdade é que não existiria nada sem o Blues. Apesar de ser o estilo preferido dos guitarristas, por historicamente ser a guitarra o instrumento que mais representa o estilo, é no piano blues que chegamos mais perto da raiz e pela estrutura hamônica que proporciona o instrumento.
Pois é, acendam a luz vermelha e chamem as damas ao salão !

E essa atmosfera a gente encontra em Long Way From Chicago, CD do pianista Donny Nichilo lançado aqui em nossa terrinha pelo selo Chico Blues Records, onde voce pode adquirir o CD.

Nesta sessão é acompanhado pela Igor Prado Band composta por Igor Prado guitarra, Rodrigo Mantovani contrabaixo e Yuri Prado bateria.

Nascido em Chicago,  Donny Nichilo descobriu o Blues aos 17 anos quando ouviu o gaitista Little Walter - "... foi como se eu tivesse sido atingido por um raio", disse ele; e foi este instrumento que iniciou os seus estudos resolvendo comprar no ano seguinte um velho piano. Isso no início dos anos 70' quando  já começava a trabalhar todos os domingos na Maxwell Street em Chicago, na época um ponto de encontro onde muitos músicos de blues se apresentavam na rua e o som rolava solto de todos os lados, um ponto de referência na cidade. Não demorou muito para encontrar a atmosfera do jazz e do swing, principalmente quando esses sons eram baseados no blues e é o que ele mostra com absoluta maestria aqui.

Hoje Donny Nichilo se reveza entre Chicago e Brasil e foi aqui que ele resolveu gravar seu primeiro CD solo, privilégio nosso. Alias. CD muitíssimo bem gravado no Guidon Studios em São Paulo e com a engenharia de som de Jeff Berg, quem deu realmente a atmosfera musical que a gravação pedia.

Um disco obrigatório com apenas 1 tema autoral, Lately, e interpretações de The Preacher (Horace Silver, gravada com os Jazz Messengers), o standard Gee Baby Ain´t I Good to You (Andy Razaf, Don Redman), I´m Walkin´ (Fats Domino), Confessin´the Blues (Jay McShaw),  Seventh Son (Willie Dixon) e a badalada Confessin´ the Blues (Maceo Merriwheater), entre outras.

Som na caixa !

Um comentário:

Roberto Scardua disse...

Grande dica Gustavo!