Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

25 março 2011

PODCAST # 43




PARA BAIXAR: http://www.divshare.com/download/14392944-52c

6 comentários:

Nelson disse...

Mário,

Em tempos de TSUNAMI, foi bom ouvir "Dindi" com o Watanabe e, o "How High is the Moon" na voz da cantora Kobayashi.

ARIGATÔ

Nelson Reis

Palmeira disse...

Alô, MaJor

Pesquisando sobre a faixa de Toshiyuki Honda, na ilustríssima companhia de Corea/Vitous/Haynes mas a quem (Honda) eu naturalmente não conhecia, encontrei o album "Dream", de 1983,editado pela EMI. Mas as referências ao album (AMG, por exemplo)dão "Co-Motion" como uma composiçao de Corea, faixa 3 do album, com a duração de 12 minutos e uns quebradinhos. Como você apresentou o tema como de autoria do próprio Honda e a faixa do podcast dura 5:06, e como não conheço nenhuma das duas composições, fiquei na dúvida sobre ser a composição apresentada realmente "Co-Motion" ou uma outra. Por exemplo, "Dream Comes True", de Honda (faixa 1 de "Dreams"). Seria isso? Desde já, grato pela atenção (e pelos podcasts).
Luis Antonio

MaJor disse...

Palmeira está com razão, o tema é de Corea, mesmo nesta versão compacta. Enganei-me, ok?
Abraços
Mario Jorge

Palmeira disse...

Obrigado.

As faixas de Aki Takase e Toshiko são uma maravilha. A da orquestra é de um dos CDs que, por milagre, a Sony editou no Brasil. A mais antiga, em trio, eu não conhecia, interessantíssima composição com traços de música oriental tanto quanto de bebop. Que coisa bonita!

Palmeira disse...

P.S.: Os dois pianistas a quem fui apresentado, Shibuya e Matsunaga também são ótimos, a menos a julgar pelas faixas selecionadas. Esse Matsunaga, pelo que li, tinha apenas 18 anos à época dessa gravação. Confesso que por vezes fico de pé atrás com esses garotos-prodígio, em geral pianistas, que se apregoa terem-se revelado jazzistas excepcionais desde criancinhas, vindos de todos os lugares do mundo. Mas esse C Jam Blues é muito bom. E o Japão, no que tange a jazz, não é definitivamente o Cazaquistão ou a Birmânia(com todo o respeito a estes). A ver.

apostolojazz disse...

Grande MÁRIO:

Bela surpresa, com viagem extra-fronteiras ao oriente e que mostra tão bem a universalidade do JAZZ, inquestionavelmente a "ARTE POPULAR MAIOR".
Pura maravilha ! ! ! . . .