Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

22 novembro 2010

ALAN DAWSON

22 de novembro: DIA DO MUSICO.




10 comentários:

Nelson disse...

Grande Tandeta,

Esse é "um dos caras". Alan Dawson, é um mestre do instrumento. Que dinâmica.Que acentuação de pedal de tambor baixo (bumbo). Que divisão. Não foi à tôa que o nosso Wilson das Neves, ao sair do Brasil, foi ser seu aluno lá "nos States" Uma pena que a intervenção do Sonny Rollins tenha sido cortada, para ser focado somente o solo de Alan.
Grande lembrança para "o dia do músico".
A você os meus parabéns em dôbro. Pelo dia de hoje e, pela escolha da apresentação.

Abçs.
Nelson Reis

Ne

Beto Kessel disse...

Se o Jazz e a musica dos musicos, nada mais justo que desejar um gigantesco Parabens a estes profissionais que nos emocionam.

Ao parabenizar os Cjubianos Tandeta e Chimelli, fica aqui meu abraco a todos os musicos.

Beto Kessel

Beto Kessel disse...

Se o Jazz e a musica dos musicos, nada mais justo que desejar um gigantesco Parabens a estes profissionais que nos emocionam.

Ao parabenizar os Cjubianos Tandeta e Chimelli, fica aqui meu abraco a todos os musicos.

Beto Kessel

APÓSTOLO disse...

Viva o "Dia dos MÚSICOS", esses seres que enchem o mundo de felicidade.
A busca contínua pelo melhor, o prazer de gerar prazer, a satisfação de satisfazer, a persistência em seu instrumento, fazem do MÚSICO esse indivíduo a quem tanto devemos.
ALAN DAWSON é um cracaço, ontem, hoje e sempre.
Grato, TANDETA, pela lembrança e pela música, a ARTE DAS ARTES.

Andre Tandeta disse...

Obrigado,Amigos.
Alan Dawson e' um verdadeiro monumento a Musica, sou um estudioso da obra dele.
E uma retificação: Wilson Das Neves nunca estudou com Alan Dawson. Ha alguns brasileiros que foram seus alunos mas acho que so' consigo me lembrar do Pascoal Meireles.
Abraço

Nelson disse...

Meu Prezado Tandeta,

Foram palavras por nós ouvidas do próprio Wilson das Neves, em entrevista - já há algum bom tempo atrás - em um programa de televisão - acho que na TV Brasil Canal 2,dedicado aos músicos.
Não costumamos "inventar nada" mas....pode até ser que os meus 70, possam estar começando a "trair a minha memória"
E, como disse o Mestre "APÓSTOLO", "um VIVA a todos os músicos", pelo encanto que trazem às nossas vidas.

Abçs.
Nelson Reis

figbatera disse...

É isso!

Andre Tandeta disse...

Meu caro Nelson,
sabemos todos que inventado não foi, voce merece sempre todo o nosso respeito e credibilidade mas todos podemos nos confundir as vezes. Convivo muito com Wilson Das Neves,somos muito amigos,trabalhamos juntos e estamos sempre conversando.Ele esteve nos Estados Unidos sempre a trabalho e nunca pensou em se fixar la. Tenho tambem certeza que ele nunca estudou com nenhum professor la . Mas isso a gente descobre depois, por hora fico agradecido a voce e ao Apostolo pelas palavras .
Abraço

Nelson Reis disse...

Meu Bom Confrade Tandeta,

Você pode estar até correto, em suas colocações. Pois acredito que ele foi um dos primeiros músicos entrevitados pela Jornalista e Reporter, Sta. Patrícia Palumbo, em uma série de programas de entrevistas com músicos "de primeira água", em um programa que tinha(?)no Canal 2-TV Brasil. Por ali desfilaram grandes nomes,tais como Mauro Senise, Gilson Peranzetta, Chico Batera e outros.
Fiquei até surpreso do Wilson haver se referido a Alan Dawson. E ele - de fato - não se referiu a ele "como tendo sido seu aluno". Isso - de fato - fui eu, aqui acima, que "carreguei um pouco nas tintas", como força de expressão. Mas, recordo-me perfeitamente, quando ela havia perguntado a ele, durante a entrevista, como ele se interessara pelo instrumento, e de haver dito, que quando fora à América, conhecera vários "grandes do instrumento" e, ter conhecido o Alan. E, com ele, "haver aprimorado algumas técnicas no instrumento" .
Na ocasião, achei até "um fato interessante", pois como todos sabemos o Wilson - apesar de ser um excelente baterista - não tem tradição jazzística. Mas, isto não importa, pois um músico profissional, muitas vezes, tem que se curvar às circunstâncias, tendo que tocar em qualquer estilo. Mambo,iê-iê-iê e rock'n roll. E, no esmero de aprendizado, um instrumentista pode ter suas predileções mas, aprimora tecnicas com rítmos de varios estilos, quer seja por exercício ou até por força de necessidade de trabalho.
Espero que possa ter esclarecido a você e aos confrades aqui do Blog, quaisquer possíveis malentendidos.
Obrigado, mais uma vez e, um forte abraço.

Nelson Reis

MauNah disse...

Tandetinha Tenencio, com atraso, um abracao pelo seu dia!