Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

05 janeiro 2009

UMA QUESTÃO PARA SE PENSAR: QUEM É RUDRESH MAHANTHAPPA ?

Dando uma geral pelaí, depois de dias fora da cidade e sem muito acesso à rede, deparei-me com uma notícia no site www.ejazznews.com, dando conta da quase unanimidade na escolha, por inúmeros sites/revistas/jornais (bem provavelmente em suas listas tipo "melhores do ano 2008" - esse formato tão abominado pelo Tenêncio, diga-se) do disco Kinsmen, do saxofonista-alto cujo nome quase impronunciável consta do título deste post.

Diz ali que Rudresh, que trabalha uma mistura de jazz com música do sul da Índia, foi incensado (sem trocadilho) seguidamente pelos críticos da DownBeat (não os leitores, esses insondáveis seres), pelo grupo de críticos do Village Voice e ainda pela turma do All About Jazz, entre outros, com a consideração de ser "claramente um dos mais inovadores jovens no jazz, hoje".

Daí as minhas perguntas aos demais editores, colaboradores, leitores e amantes do jazz em geral que frequentam estas plagas virtuais:
- Só eu não conhecia Mahanthappa?
- É possível a existência de um tal portentoso saxofonista, fazendo por onde ganhar uma série extensa de indicações - e a matéria do site lista uma meia centena de locais de edições onde se pode ver qual lugar ele tirou entre os mais-mais do ano findo - sem que tenhamos visto aqui uma menção sequer a ele, no nosso acompanhamento do dia-a-dia jazzístico?
- Será que fui eu que não li o CJUB nessa data, se alguém o mencionou?

Confesso que fiquei curioso...

Ontem mesmo, nosso atento Mestre LOC resenhou a última obra e as participações brilhantes de Donny McCaslin na Orquestra da Schneider em sua coluna. A este nós já ouvimos e dele temos notícias esparsas, mas temos.

Mas sobre Rudresh Mahanthappa, nihil? Será que deixamos a bola passar no meio de nossas pernas?

Estou preocupado. Ou há um bando enorme de tolos nos EUA, "premiando" a outros tantos, ou talvez seja a hora de assumir que precisamos fazer melhor nosso dever de casa.

Daí o grito: Avante CJUB, vamos mostrar a essa gente bronzeada o nosso valor em 2009!

Grandes abraços.

P.S.: pelas poucas faixas que consegui ouvir do trabalho de Rudresh no disco Kinsmen, é obra palatável para um ouvido quase laico em extravagâncias "ornettianas", como o meu. Agradaram-me mais do que as faixas a que tive acesso do trabalho de Jon Irabagon, um outro expoente do sax-alto (vencedor do Thelonious Monk Jazz Prize em 2008, resenhado pelo Mestre LOC em sua coluna de 9 de novembro passado). Pelo menos isso...

10 comentários:

APÓSTOLO disse...

Prezado MauNah:
Nunca tinha ouvido falar do cidadão e agora, em função de sua indicação, correrei atrás.
No CJUB cedo ou tarde tudo vem a tona...

Guzz disse...

grande MauNah
o carinha aí passou na nossa frente, provavelmente o Sazinho ou o Bene-x tenham visto também.

a gravação era de um concerto no North Sea Jazz Festival em 13 de julho do ano passado e como a qualidade era gravação de audiência (da platéia) eu deixei passar, nem peguei pra ouvir porque geralmente essas gravações não são de boa qualidade.

para ter uma idéia, a formação era em quarteto acompanhado por Craig Taborn piano (o único que conhecia), Francois Moutin contrabaixo e Dan Weiss bateria.

Ficou o silêncio em relação a ele mas vamos atrás.

Abs,

BraGil disse...

Caro MauNah
Este cara é parceiro inseparável do pianista Vijay Iyer. Comentei o cd Reimagining no PRIMEIRO post "o que estamos ouvindo" que sumiu.
É bom ficar de ouvidos abertos pois na lista dos "rising stars" de 2008 dos críticos da Downbeat, ficou em 2º, atrás do Miguel Zenón e a frente de Steve Wilson(M.Schneider)e Antonio Hart.
O Vijay ficou em 3º atrás do Robert Glasper(esteve em O.Preto) e Jason Moran.
Os dois são belas promessas.
BraGil

John Lester disse...

Prezado MauNah, se servir de consolo, também nunca ouvi nada de ou sobre Rudresh. Providenciaremos algo sobre ele no Jazzseen.

Grande abraço, JL.

Anônimo disse...

Gilberto,
o Glasper virá ao Brasil em Maio por ocasião do Bridgestone Festival.
Abraço,
Ivan Monteiro

Mau Nah disse...

Falando no Bridgestone Festival (leia-se Toy Lima), alguém mais tem informações a respeito do provável lineup?

Afinal, uma das coisa mais saborosas para os aficionados pelo jazz é esse disse-me-disse especulativo sobre quem vem, quem cancelou e quem substituiu quem na última hora...

Grande BraGil, sempre ligado, repete a referencia a Vijay feita pelo Mestre RAF, em post exatamente sobre o Bridgestone do ano passado, e que estou procurando no arquivo para referenciar aqui.

Abraços.

Mau Nah disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mau Nah disse...

Este é o link para o post em que Mestre Raf mencionou, antes de qualquer outro, o nome do Rudresh aqui no CJUB.

A César o que é de César!

Mestre é Mestre...

http://charutojazz.blogspot.com/2008/04/bridgestone-music-festival-muda-cara.html

Anônimo disse...

Vejam e ouçam o Rudresh no site www.bridgestonemusic.com.br.Dia 25 entra no ar em streaming o show completo do Vijay Iyer & Rudresh em 2008.Por ora é possivel se ver 3 temas nos Melhores Momentos na aba Vídeo e ainda a integra do show na Rádio Bridgestone.
Tb no youtube alguns temas estão disponiveis.
abç
toy lima

Mario disse...

Mais um pouco de Rudresh:
http://www.npr.org/templates/player/mediaPlayer.html?action=1&t=1&islist=false&id=98597232&m=98512964

Manim