Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

20 março 2008

MUSEU DE CERA # 38 - PINETOP SMITH


Clarence ‘Pinetop’ Smith nasceu em 1904 no Alabama, passou sua juventude em Birmingham sendo um autodidata no piano e iniciando carreira nos espetáculos de vaudeville em pequenos teatros como dançarino, vocalista e pianista. Aos 20 anos foi para Pittsburgh onde se associou à cantora Ma Rainey e mais tarde já em Chicago junto com os pianistas Albert Ammons, Meade ‘Lux’ Lewis e Cow Cow Davenport passou a fazer parte do circuito all-night jam sessions de clubes noturnos.
Em 1928 seu nome ficou eternamente vinculado ao estilo de piano-blues o famoso — boogie woogie — com a gravação para a Vocalion do Pine Top's Boogie Woogie que se tornou um clássico do repertório dos pianistas que adotaram o boogie. Embora Jimmy Yancey tenha recebido os créditos de “inventor” do boogie foi Pinetop que o popularizou com sua consagrada gravação, inclusive pela primeira vez usando o termo boogie-woogie. Este, um estilo pianístico de execução do blues caracterizando-se por figuras de baixo (mão esquerda) de 8 notas por compasso repetidas (eight-to-the-bar) em forma de riffs, enquanto a mão direita improvisa uma linha melódica sincopada. O boogie-woogie foi muito popular na década de 30 ultrapassando os limites do piano para ser reproduzido até por orquestras inteiras.
A origem do vocábulo é obscura e segundo alguns historiadores referia-se aos passos de uma dança dos negros o shuffle, uma expressão onomatopáica talvez. Pinetop viveu muito pouco e nascido pobre assim morreu com somente 25 anos, acidentalmente por obra de uma bala perdida durante um tumulto em um dancing hall onde atuava na Orleans Street em Chicago. Em tempo, a alcunha maldosa dada a Clarence Smith de “pine top” foi por ter o alto da cabeça pontiaguda, lembrando um pinheiro.
Reproduzimos aqui no Museu o famoso Pine Top's Boogie Woogie (Clarence Smith) ao piano e ao mesmo tempo dando as dicas para se dançar o boogie.

Gravação original: 29/dez/1928 - Vocalion 1245 (mx C-2726 A) - Chicago
Fonte: CD - Boogie Woogie & Barrelhouse Piano, Vol. 1 (1928-1932) – selo Documents Records DOCD 5102 – 1994 – USA


Nenhum comentário: