Editores e Colaboradores : Mauro Nahoum (Mau Nah), José Sá Filho (Sazz), Arlindo Coutinho (Goltinho); David Benechis (Bené-X), José Domingos Raffaelli (Mestre Raf) in memoriam, Luciana Pegorer (PegLu), Luiz Carlos Antunes (Llulla) in memoriam, Ivan Monteiro (I-Vans), Mario Jorge Jacques (MaJor), Gustavo Cunha (Guzz), José Flavio Garcia (JoFla), Alberto Kessel (BKessel), , Gilberto Brasil (BraGil), Reinaldo Figueiredo (Raynaldo), Claudia Fialho (LaClaudia), Marcelo Carvalho (Marcelón), Marcelo Siqueira (Marcelink), Pedro Wahmann (PWham), Nelson Reis (Nels), Pedro Cardoso (o Apóstolo) e Carlos Augusto Tibau (Tibau).

BLOG CRIADO em 10 de maio de 2002

29 agosto 2007

J.T MEIRELES TRIO É A PRÓXIMA ATRAÇÃO DO PROJETO QUINTA DE BOM TOM - Hípica Bossa & Jazz (Restaurante da Hípica)


Reprodução do gentil e-mail recebido da produção do espaço Hípica Bossa & Jazz (clique na imagem para ampliar):

J.T MEIRELES TRIO É A PRÓXIMA ATRAÇÃO DO PROJETO QUINTA DE BOM TOM

O saxofonista J.T Meireles, acompanhado de Adriano Giffoni, no baixo acústico e Fernando Merlino, no piano, são os próximos convidados do projeto Quinta de Bom Tom, que acontece na quinta-feira, dia 30, na Sociedade Hípica Brasileira. O J.T. Meireles Trio, comandado pelo consagrado instrumentista, levará repertório voltado para o Samba-Jazz, incluindo músicas como Casa Forte, de Edu Lobo, Batida Diferente, de Mauricio Einhorn e Durval Ferreira e Take Five, de Paul Desmond. A série de encontros musicais tem direção artística do guitarrista Victor Biglione e já levou ao novo espaço cultural da cidade nomes como Marcel Powell, Carlos Malta e Nicolas Krassik, entre outros.

Instrumentista, arranjador e produtor de discos durante mais de quarenta anos, Meireles participou de inúmeras gravações incluindo o lendário Mas que nada, de Jorge Ben, além de participar do grupo MEIRELLES E OS COPA 5 e tocar com praticamente todos os grandes músicos de sua época, tornando-se um ícone da moderna música instrumental brasileira.

O Quinta de Bom Tom é um projeto quinzenal em que o público pode usufruir de boa música aliado a uma culinária de qualidade. A parte gastronômica ficará a cargo de Rebecca Lockwood, chef do restaurante da Hípica. “Queremos resgatar esse clima da década de 50, onde se podia ouvir música boa, comer bem e encontrar os amigos com conforto e segurança”, comenta Rebecca.

Diante da pouca oferta de locais para se ouvir Jazz, Bossa Nova e MPB na Zona Sul do Rio de Janeiro, a revitalização do Restaurante da Hípica surge em ótimo momento. Desde a entrada da chef Rebecca Lockwood, em fevereiro de 2007, o restaurante vem recebendo atrações musicais, aliada à boa comida e bebida, com preços bastante acessíveis.

SERVIÇO:

Hípica Bossa & Jazz (Restaurante da Hípica) - Av. Borges de Medeiros, 2448, Lagoa. (21) 2156-0155. Quinta-feira (30/08), às 20h. R$ 20,00. 18 anos. Cap: 120 p. Estacionamento no local (5 reais), c/c: Visa e Mastercard.


Site: www.shb.com.br

Nenhum comentário: